Injúrias dentárias traumáticas em crianças e adolescentes vítimas de violência periciadas no Instituto Médico Legal de Feira de Santana, Bahia

  • Mona Lisa Cordeiro Asselta da Silva
  • Jamilly de Oliveira Musse
  • André Henrique do Vale de Almeida
  • Jeidson Antõnio Morais Marques
  • Maria Conceição Oliveira Costa

Resumo

Objetivo: traçar o perfil epidemiológico de crianças e adolescentes que apresentaram como fator etiológico do traumatismo dentário a violência física. Sujeitos e método: estudo de casuística em crianças (0-11) e adolescentes (12-18) vítimas de violência submetidas a exame de lesão corporal, periciadas por peritos odontolegais no IML de Feira de Santana, Bahia, utilizando dados secundários, no período de 1º de janeiro de 2007 a 31 de dezembro de 2014. Resultados: no período entre 2007 e 2014, foram periciados, por odontolegistas, no Instituto Médico Legal (IML) de Feira de Santana, Bahia, 107 casos de violência física contra crianças e adolescentes. Desses, 39,2% apresentaram lesões dentárias, todas provocadas por instrumento contundente; os anos de 2011 e 2012 tiveram o maior número de vitimados (21,5%); a maior prevalência de traumatismo dentário ocorreu em 2011 (20,0%); 57 (53,3%) vítimas eram do sexo feminino; 86 (80,4%) pertenciam à faixa etária adolescente (12 a 18 anos); com relação à cor de pele da vítima, 76 (76,8%) eram faiodermas; 36 (83,7%) agressores não eram membros da família; 37 (50,7%) vítimas foram agredidas na rua; 33 (32,7%) vítimas apresentaram duas lesões e, dessas, 10 (30,3%) foram de traumatismo dentário; o braço foi o meio mais utilizado para provocar as injúrias dentais traumáticas. Conclusão: a maior parte dos vitimados pela violência física que sofreram traumatismo dentário era do sexo masculino, adolescente e faioderma. Os responsáveis pelas agressões, na maioria dos casos, não tinha vínculo familiar com a vítima e as agressões ocorreram em maior prevalência na rua. As vítimas que apresentaram duas lesões foram as que sofreram o maior número de traumatismo dentário sendo na maioria dos casos provocados pelas mãos, com socos e murros.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-10-18
Como Citar
Asselta da Silva, M. L., Musse, J., Almeida, A. H., Marques, J. A., & Costa, M. (2016). Injúrias dentárias traumáticas em crianças e adolescentes vítimas de violência periciadas no Instituto Médico Legal de Feira de Santana, Bahia. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 21(1). https://doi.org/10.5335/rfo.v21i1.5390
Seção
Artigos