Atendimentos realizados no Serviço de Traumatismos Dentários da FOP-Unicamp durante o período de dois anos

  • Andrea Cardoso Pereira Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas
  • Ana Carolina Correia Laurindo de Cerqueira Neto Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas
  • Thiago Farias Rocha Lima Faculdade de Odontologia Universidade Federal da Paraíba
  • Alexandre Augusto Zaia Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas
  • Adriana de Jesus Soares Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Objetivo: verificar a frequência dos atendimentos realizados no Serviço de Traumatismos Dentários da FOP- Unicamp, durante o período de fevereiro de 2013 a fevereiro de 2015. Sujeitos e método: os dados foram coletados na ficha clínica utilizada no serviço e foram avaliados os seguintes aspectos: gênero, faixa etária, classificação do dente, período entre o trauma e o primeiro atendimento no serviço, etiologia, classificação da injúria traumática e procedimento efetuado. Os dados foram analisados com auxílio do software SAS e do teste Qui-Quadrado, que foi utilizado para verificar a presença ou a ausência de significância com nível de 5%. Resultados: foram analisadas as fichas clínicas de 57 pacientes com 161 dentes traumatizados, com maior prevalência do gênero masculino e da faixa etária abaixo dos 14 anos. Os incisivos centrais (60,9%) foram os dentes mais afetados. A maioria dos pacientes (56,1%) procurou atendimento entre 0 e 30 dias após o trauma. As quedas (33,3%) foram a etiologia mais comum. As injúrias dentárias traumáticas mais encontradas foram as fraturas coronárias de esmalte e dentina (19,9%) e a subluxação (19,3%). O procedimento mais efetuado foi a realização dos exames clínico e radiográfico (46,6%). Conclusão: os achados mais prevalentes dos atendimentos foram: o gênero masculino; a maior frequência de injúrias na faixa etária abaixo dos 14 anos de idade; os incisivos centrais como os dentes mais acometidos; o período entre 0 e 30 dias para procurar atendimento; as quedas, a etiologia mais comum; os exames clínico e radiográfico, o procedimento mais efetuado; as fraturas coronárias de esmalte e dentina e a subluxação, as injúrias mais observadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Cardoso Pereira, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas
Área de Endodontia, Departamento de Odontologia Restauradora
Ana Carolina Correia Laurindo de Cerqueira Neto, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas
Área de Endodontia, Departamento de Odontologia Restauradora
Thiago Farias Rocha Lima, Faculdade de Odontologia Universidade Federal da Paraíba
Área de Endodontia, Departamento de Odontologia Restauradora
Alexandre Augusto Zaia, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas
Área de Endodontia, Departamento de Odontologia Restauradora
Adriana de Jesus Soares, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas
Área de Endodontia, Departamento de Odontologia Restauradora
Publicado
2016-10-18
Como Citar
Pereira, A., Cerqueira Neto, A. C., Rocha Lima, T., Zaia, A., & Soares, A. (2016). Atendimentos realizados no Serviço de Traumatismos Dentários da FOP-Unicamp durante o período de dois anos. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 21(1). https://doi.org/10.5335/rfo.v21i1.5216
Seção
Artigos