Relação entre os músculos masseter e esternocleidomastoideo nas situações de flexão e rotação da coluna cervical, em mastigação e máxima intercuspidação habitual, analisados através da atividade eletromiográfica

  • REV FO Universidade de Passo Fundo
Palavras-chave: contração muscular; eletromiografia; postura.

Resumo

Na atualidade, com as frequentes inovações tecnológicas agregadas aos telefones celulares favorecendoseu uso excessivo, altos níveis de estresse e o ritmo acelerado da vida, inconscientemente, as pessoas têmadotado novas e diferentes posturas corporais, que direta ou indiretamente interferem na posição da colunavertebral. Um importante músculo postural do pescoço é o esternocleidomastoideo, cuja relevante função éa de estabilizar. Objetivo: analisar a possível relação entre os músculos masseter e esternocleidomastoideo,em diferentes posições da cabeça e da coluna cervical, nas situações de mastigação, repouso e máximaintercuspidação habitual. Metodologia: os dados foram coletados inicialmente com cabeça e coluna eretas,em repouso e em máxima intercuspidação habitual. Em seguida, coletou-se, sempre em mastigação, com acabeça e a coluna eretas, inclinadas para frente, para trás, para direita, para esquerda, giradas para direita epara esquerda. Todos os momentos de coleta de dados ocorreram por 5 segundos em cada posição. Resultados:nota-se um aumento na atividade elétrica do músculo esternocleidomastoideo quando a mastigaçãoacontece com a cabeça e a coluna fora da posição ereta. Em algumas posições da cabeça, esse aumento, emvalores absolutos, não é observado de forma relevante no sexo feminino, sendo notado no masculino. Conclusões:existe uma relação de trabalho entre os músculos masseter e esternocleidomastoideo. Essa relaçãosugere que o segundo músculo trabalha na tentativa de estabilizar a cabeça para otimizar o ato mastigatório,ação essa notadamente encontrada no sexo masculino e de forma menos ativa no sexo feminino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Tortora GJ. Princípios de anatomia humana. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan; 2007.
2. Bankoff ADP, Ciol P, Zamai CA, Schimidt A, Barros DD. Estudo
do equilíbrio corporal postural através do sistema de
baropodometria eletrônica. Revista Conexões 2004; 2(2).
3. Campelo TS. Postura e equilíbrio corporal: estudo das relações
existentes. Trabalho de Conclusão de Curso. Campinas:
Faculdade de Educação Física; Unicamp; 2003.
4. Braccialli LMP, Vilarta R. Aspectos a serem considerados na
elaboração de programas de prevenção e orientação de problemas
posturais. Revista Paulista de Educação Física 2000;
14(1):16-28.
5. Smith LK, Weiss EL, Lehmkuhl LD. Cinesiologia clínica
de Brunnstrom. São Paulo: MIR Assessoria Editorial Ltda;
1997.
6. Neto AJF, Neves FD, Junior PCS, Prado CJ, Barbosa DZ,
Soares PV. Oclusão (ABENO: odontologia essencial: parte
clínica). São Paulo: Artes Médicas; 2013.
7. Dângelo JG, Fattini CA. Anatomia humana: sistêmica e segmentar.
3. ed. São Paulo: Atheneu; 2011.
8. Teixeira LMS, Reher P, Reher VGS. Anatomia aplicado a
odontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2008.
9. Amantéa DV, Novaes AP, Campolongo GD, Barros TPA. Importância
da avaliação postural no paciente com disfunção
da articulação temporomandibular. Acta Ortopédica Brasileira
2004; 12(3).
10. Molina OF. Fisiopatologia craniomandibular: oclusão e
ATM. São Paulo: Pancast; 1989.
11. Okeson JP. Tratamento das desordens temporomandibulares
e oclusão. Tradução EZ2 Translate Tecniologia e Serviço. 7.
ed. Rio de Janeiro; 2013.
12. Haralur SB, AL-Gadhaan SM, AL-Qahtani AS, Mossa A,
AL-Shehri WA, Addas MK. Influence of functional head postures
on the dynamic functional occlusal parameters. Annals
of Medical and Health Sciences Research 2014; 4(4):562-6.
13. Nascimento ALO. Dor cervical na sobrecarga da língua em
sujeitos classe I e classe II/2ª. Divisão de Angle [dissertação].
Campinas (SP): Universidade Estadual de Campinas; 2017.
14. Stapait EL, Dalsoglio M, Ehlers AM, Santos GM. Fortalecimento
dos estabilizadores da cintura escapular na dor no
ombro: revisão sistemática. Fisioter Mov 2013; 26(3):667-5.
15. Bernardino Júnior R, Kamimura KM, Lizardo FB, Sousa
GC. Análise da contribuição sinérgica entre os músculos
masseter e deltoide. Um estudo eletromiográfico. Anais do
5o Congresso Brasileiro de Eletromiografia e Cinesiologia e
10o Simpósio de Engenharia Biomédica. 23 a 26 de outubro
de 2017; Uberlândia: Center Convention Uberlândia; 2018.
16. Carter GV. Estudo eletromiográfico da postura mandibular
influenciada pelas mudanças horizontais da postura da
cabeça. 1959. [acesso 02 de outubro de 2020]. Disponível
em URL: https://ecommons.luc.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=
2510&context=luc_theses.
17. Cheng C, Chien A, Hsu W, Chen CP, Cheng XK. Investigation
of the differential contributions of superficial and deep
muscles on cervical spinal loads with changing head postures.
PLoS One 2016; 11(4).
18. Kahlaee AH, Rezasoltani A, Ghamkhar L. Is the clinical cervical
extensor endurance testecapable of differentiating the
local and global muscles? The Spine Journal 2017; 913-21.
19. Khatir RM, Talebian S, Toosizadeh N, Olyaei GR, Maroufi N.
Disturbance of neck proprioception and feed-forward motorcontrol following static neck flexion in healthy young adults.
Journal of Electromyography and Kinesiology 2018; 41:160-7.
20. Cheng CH, Chien A, Hsu WL, Yen LW, Lin YH, Cheng HYK.
Changes of postural control and muscle activation pattern in
response to external perturbations after neck flexor fatigue
in young subjects with and without chronic neck pain. Gait
& Posture 2015; 41(3):801-7.
Publicado
2022-02-13
Como Citar
FO, R. (2022). Relação entre os músculos masseter e esternocleidomastoideo nas situações de flexão e rotação da coluna cervical, em mastigação e máxima intercuspidação habitual, analisados através da atividade eletromiográfica. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 25(3), 420-428. https://doi.org/10.5335/rfo.v25i3.13334
Seção
Artigos