Avaliação do nível de percepção de cirurgiões-dentistas das redes pública e privada de um município do norte do Rio Grande do Sul sobre atenção em saúde a pacientes com necessidades especiais

  • Micheli Nádia Boneti Acadêmico estagiário do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil.
  • Fernando Alberto Pensin Moro Acadêmico estagiário do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil.
  • Simone Tuchtenhagen Acadêmico estagiário do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil.
  • Antônio Augusto Iponema Costa Acadêmico estagiário do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil.
Palavras-chave: Pessoa com Necessidade Especial, Odontologia, Assistência Odontológica para Pessoas com Deficiências

Resumo

Objetivo: identificar a percepção de cirurgiões-dentistas das redes pública e privada do município de Erechim, RS, sobre atenção em saúde a pacientes com necessidades especiais, avaliando conhecimento, preparo e limitações para o atendimento odontológico. Métodos: este estudo de caráter transversal ocorreu no período de março a agosto de 2019, por meio da aplicação de questionário próprio semiestruturado para cirurgiões-dentistas. Resultados: participaram da pesquisa 82 cirurgiões-dentistas, sendo a maioria (58,54%) atuantes na rede privada; 56,10% não cursaram uma disciplina específica em sua graduação sobre cuidados a pacientes com necessidades especiais. Em contrapartida, dos que cursaram, para a maioria, a disciplina era obrigatória e teórico-prática. Conclusão: apesar de somente 42,68% se sentirem muito bem ou bem preparados, somente 10,98% nunca realizaram atendimentos. Mesmo não tendo cursado uma disciplina específica em sua graduação, os cirurgiões-dentistas de Erechim, RS, realizam o atendimento e, quando necessário, o encaminhamento desses pacientes. Por manifestarem o interesse em se manterem atualizados sobre o tema, ações de educação continuada serão de fundamental importância.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Organização das Nações Unidas Brasil. A ONU e as pessoas com deficiência. 2011. Disponível em URL: https://nacoesunidas.org/acao/pessoas-com-deficiencia/.
2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contagem Populacional. Disponível em URL: https://cidades.ibge.gov. br/brasil/panorama.
3. Lanna Júnior MCM. História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência; 2010.
4. Maior IMML. Movimento político das pessoas com deficiência: reflexões sobre a conquista de direitos. Rev Inclusão Social 2017; 10(2):28-36.
5. Brasil. Decreto Legislativo nº 186, de 09 de julho de 2008. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 09 jul. 2008.
6. Caldas Junior AF, Machiavelli JL. Atenção e Cuidado da Saúde Bucal da Pessoa com Deficiência: introdução ao estudo. Recife: Ed. Universitária; 2013.
7. Brasil. Norma Federal, Resolução CFO nº 22 de 27 de dezembro de 2001. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, em 25 jan. 2002.
8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contagem Populacional, Erechim. Disponível em URL: https://cidades. ibge.gov.br/brasil/rs/erechim/panorama.
9. Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Sul. Busca de especialistas: Busca por Especialidade; 2018.
10. Matesanz MM, Gómez GCE, Chías BG, García CG, Lapiedra RC. Descriptive study of the patients treated at the clinic integrated dentistry for patients with special needs at Complutense University of Madrid (2003-2012). Med Oral Patol Oral Cir Bucal 2015; 20(1):e211-7.
11. Viana YA, Valente JQ, Vasconcelos DL, Rocha EB, Lima PA, Fernandes DC. Carência de Profissional Cirurgião-dentista Especialista em Pacientes com Necessidades Especiais. Cad Grad Ciênc Biológicas e da Saúde 2017; 4(2):137-48.
12. Casamassimo PS, Seale NS, Ruehs K. General Dentists’ perceptions of educational and treatment issues affecting access to care for children with special health care needs. J Dent Educ 2004; 68(1):23-8
13. Fonseca ALA, Azzalis LA, Fonseca FLA, Botazzo C. Análise qualitativa das percepções de cirurgiões-dentistas envolvidos nos atendimentos de pacientes com necessidades especiais de serviços públicos municipais. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum 2010; 20(2):208-16.
14. Brasil. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Estatuto da Pessoa com Deficiência, Brasília, 06 jul. 2015.
15. Macêdo GL, Lucena EES, Lopes IKR, Batista LTO. Acesso ao Atendimento Odontológico dos Pacientes Especiais: A Percepção de Cirurgiões-Dentistas da Atenção Básica. Rev Ciênc Plur 2018; 4(1):67-80.
16. Marra PS, Miasato JM. A Saúde Bucal do Paciente Especial e sua relação com o nível sócio-econômico dos pais. Rev Bras Odontol 2008; 65(1):27-30.
17. Lawrence H, Sousa LP, Gonçalves FL, Saintrain MVL, Vieira APGF. Acesso à Saúde Bucal Pública pelo Paciente Especial: a Ótica do Cirurgião-Dentista. Rev Bras Promoç Saúde 2014; 27(2):190-7.
18. Silva ZCM, Pagnoncelli SD, Weber JBB, Fritscher AMG. Avaliação do perfil dos pacientes com necessidades especiais da clínica de odontopediatria da faculdade de odontologia da PUCRS. Rev Odonto Ciênc 2005; 20(50):313-8.
19. Castilho LS, Silva MES, Oliveira ACB, Abreu MHNG, Ankomaa HK, Resende VLS. Considerações sobre a humanização do atendimento odontológico a pacientes com deficiências de desenvolvimento a partir de um projeto de extensão. Rev Bras Ext Universit 2014; 5(1):19-25.
20. Haddad AS. Odontologia para pacientes com necessidades especiais. Porto Alegre: Editora Santos; 2007.
21. Conselho Regional de Odontologia de São Paulo. Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais; 2018.
Publicado
2021-06-01
Como Citar
Boneti, M., Pensin Moro, F., Tuchtenhagen, S., & Iponema Costa, A. (2021). Avaliação do nível de percepção de cirurgiões-dentistas das redes pública e privada de um município do norte do Rio Grande do Sul sobre atenção em saúde a pacientes com necessidades especiais. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 25(2), 191-197. https://doi.org/10.5335/rfo.v25i2.10772
Seção
Investigação Científica