Abordagem dos cirurgiões-dentistas da Estratégia Saúde da Família sobre o câncer bucal

  • Clébio Jarlison Rego de Freitas Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Maria Ângela Ferreira Fernandes Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Bruna Rafaela Martins Santos Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Tatyana Maria Silva de Souza Rosendo Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Câncer bucal, Atenção Primária em Saúde, Cirurgião-Dentistas

Resumo

Objetivo: este estudo busca analisar a atuação dos cirurgiões-dentistas da rede pública de saúde acerca do câncer bucal. Método: trata-se de um estudo transversal no qual foram entrevistados 217 dentistas. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário estruturado, enviado via e-mail, pelo Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Norte. Resultados: um terço dos profissionais relatou ser capaz de realizar biópsias e citologia esfoliativa, mas apenas 15,2% das unidades de saúde possuíam condições materiais para fazê-las. Cerca de 85% dos cirurgiões-dentistas possuíam o conhecimento básico sobre o câncer bucal e 66,8% realizavam ações educativas-preventivas. Conclusão: embora a maioria dos cirurgiões-dentistas tivessem conhecimento adequado para realizar o diagnóstico bucal, a maioria não era capaz de realizar procedimentos cirúrgicos com finalidade diagnóstica. A realização desse exame durante a atenção primária é perfeitamente possível, por necessitar de baixa complexidade de equipamentos, e sua eficácia no diagnóstico permite a detecção precoce e o início do tratamento em estágios iniciais da doença, podendo reduzir as taxas de mortalidade por câncer bucal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Brasil. Ministério da Saúde. Sistema de informações sobre Mortalidade [acessado em 2018 mar 12]. Disponível em URL: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sim/cnv/obt10uf.def.
2. Brasil. Instituto Nacional de Câncer (Inca). ABC do Câncer: Abordagens Básicas para o Controle do Câncer. 4. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Inca; 2018.
3. Torres-Pereira CC, Angelin-Dias A, Melo NS, Lemos Jr. CA, Oliveira EMF. Abordagem do câncer de boca: uma estratégia para os níveis primário e secundário de atenção em saúde. Cad Saúde Pública 2012; 28(Suppl):s30-s9. 4. Vasconcelos RM, Trindade JSO, Almeida ICP, Silva RJC, Morais MLSA. Perfil clínico-epidemiológico de câncer de boca em idosos. Rev Gestão & Saúde [periódicos na internet] 2013 [acessado 2017 fev. 15]; 1984-91. Disponível em URL: http:// periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/22970.
5. Bray F, Ferlay J, Soerjomataram I, Siegel RL, Torre LA, Jemal A. Global cancer statistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA Cancer J Clin 2018; 68(6):394-424.
6. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca). Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativa 2018: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: Inca; 2017.
7. Carvalho MB, Lenzi J, Lehn CN, Fava AS, Amar A, Kanda JL, et al. Características clínico-epidemiológicas do carcinoma epidermóide de cavidade oral no sexo feminino. Rev Assoc Med Bras 2001; 47(3):208-14.
8. Breber S, Jeunon FA, Babosa AA, Grandinetti HAM. Carcinoma de células escamosas bucal: Uma revisão de literatura entre perfil do paciente, estadiamento clínico e tratamento proposto. Rev Bras Cancerol 2007; 53(1):639.
9. Warnakulasuriya S. Global epidemiology of oral and oropharyngeal cancer. Oral Oncol 2009; 45(4-5):309-16. 10. Gómez I, Seoane J, Varela-Centelles P, Diz P, Takkouche B. Is diagnostic delay related to advanced-stage oral cancer? A meta-analysis. Eur J Oral Sci [serial on the Internet] 2009 [acessado 2017 jan. 14]; 117(5):541-6. Disponível em URL: http://doi.wiley.com/10.1111/j.1600-0722.2009.00672.x.
11. Gómez I, Warnakulasuriya S, Varela-Centelles P, López-Jornet P, Suárez-Cunqueiro M, Diz-Dios P, et al. Is early diagnosis of oral cancer a feasibleobjective? Who is to blame for diagnostic delay?. Oral Dis [serial on the Internet] 2010 [acessado 2017 jan. 14]; 16(4):333-42. Disponível em URL: http://doi.wiley.com/10.1111/j.1601-0825.2009.01642.x.
12. Dib LL. Nível de conhecimento e de atitudes preventivas entre universitários do curso de odontologia em relação ao câncer bucal: desenvolvimento de um instrumento de avaliação. Acta Oncol Bras 2004; 24(2):628-43. 13. Vasconcelos EM. Comportamento dos cirurgiões-dentistas das Unidades Básicas de Saúde do município de São Paulo quanto à prevenção e ao diagnóstico precoce do câncer bucal [Dissertação]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 2006.
14. Brasil. Portaria nº 198/GM, de 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. Diário Oficial da União; 13 fev. 2004.
15. Alvarenga MGC, Couto MG, Ribeiro AO, Milagres RCM, Messora MR, Kawata LT. Avaliação do conhecimento dos cirurgiões-dentistas quanto ao câncer bucal. RFO UPF 2012 [acessado 2018 jan. 2009]; 17(1):31-5. Disponível em URL: http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-40122012000100006&lng=es.
16. Cunha AR, Bavaresco CS, Carrard VC, Lombardo EM. Atrasos nos Encaminhamentos de Pacientes com Suspeita de Câncer Bucal: Percepção dos Cirurgiões Dentistas na Atenção Primária à Saúde. J Bras Tele 2013; 2(2):66-74.
17. Ribeiro RIMA, Chaves ALI, Soares JM. Câncer de boca: avaliação do conhecimento e conduta dos dentistas na atenção primária à saúde. Rev Bras Odontol 2014 [acessado 2018 set. 21]; 71(1):42-7. Disponível em URL: http://revodonto.bvsalud.org/pdf/rbo/v71n1/a09v71n1.pdf.
18. Andrade SN, Muniz LV, Soares JMA, Chaves ALF, Ribeiro RIMA. Câncer de boca: avaliação do conhecimento e conduta dos dentistas na atenção primária à saúde. Rev Bras Odontol 2014; 71(1):42-7.
19. Falcão MML, Alves TDB, Freitas VS, Coelho TCB. Conhecimento dos cirurgiões-dentistas em relação ao câncer bucal. Rev Gaúcha de Odontol 2010; 58(1):27-33.
20. Hassona Y, Scully C, Shahin A, Maayta W, Sawair F. Factors Influencing Early Detection of Oral Cancer by Primary Health-Care Professionals. J Canc Educ 2016; 31:285. Disponível em URL: https://doi.org/10.1007/s13187-015-0823-2.
21. Seoane J, Varela-Centelles P, Tomás I, Seionare-romero J, Diz P, Takkouche B. Continuing education in oral cancer prevention for dentists in Spain. J Dent Educ 2012; 76(9):123440. Disponível em URL: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22942420.
22. Saleh A, Kong YHH, Vengu N, Badrudeen H, Zain Rb, Cheong SC. Dentists’ perception of the role they play in early detection of oral cancer. Asian Pac J Cancer Prev 2014; 15(1):229-37. Disponível em URL: https://www.ncbi.nlm.nih. gov/pubmed/24528031.
23. Barros GIS. Câncer de boca em um Município da Região Metropolitana do estado do Rio de Janeiro: Cuidado e Rede de Atenção a partir da Estratégia de Saúde da Família [Dissertação]. Niterói: Universidade Federal Fluminense; 2016.
24. Baykul T, Yilmaz HH, Aydin U, Aksoy M, Yildirim D. Ealy diagnosis of oral cancer. J Int Med Res 2010; 38(3):737-49.
25. Silva AP, Dutra LC, Martins YVM, Araújo HSP, Seabra EJG. Cobertura da atenção secundária no Rio Grande do Norte (RN). Rev Abeno 2015; 15(2):65-73.
26. Noro LRA, Landim JR, Martins MCA, Lima YCP. O desafio da abordagem do câncer de boca na atenção primária em saúde. Ciênc Saúde Coletiva [periódico na Internet] 2017; 22(5):1579-87. Disponível em URL: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017002501579&lng=en&nrm=iso.
27. Sousa FB, Silva MRF, Fernandes CP, Silva PGB, Alves APNN. Oral cancer from a health promotion perspective: experience of a diagnosis network in Ceará. Braz Oral Res [serial on the Internet] 2014 [acessado 2018 dez. 2]; 28(no. spe):1-8. Disponível em URL: http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S180683242014000200006&lng=en&nrm=iso.
28. Scott S, Mcgurk M, Grunfeld E. Patient delay for potentially malignant oral symptoms. Eur J Oral Sci 2008; 116:141-7.
29. Vidal AKL, Silveira RCJ, Soares EA, Cabral AC, Caldas Júnior AF, Souza EHA, et al. Prevenção e diagnóstico precoce do Câncer de boca: uma medida simples e eficaz. Clin Cientif 2003; 2(2):109-14.
30. Ribeiro MTF, Ferreira RC, Vargas AMD, Ferreira EF. Validity and reproducibility of the revised oral assessment guide applied by community health workers. Gerodontology 2014; 31:101-10.
31. Sousa JG. A capacitação dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para a busca ativa das pessoas com alterações da normalidade nas mucosas da boca: contribuição para o diagnóstico das neoplasias orofaciais [Dissertação]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2016.
Publicado
2021-06-01
Como Citar
Rego de Freitas, C., Ferreira Fernandes, M., Martins Santos, B., & Silva de Souza Rosendo, T. (2021). Abordagem dos cirurgiões-dentistas da Estratégia Saúde da Família sobre o câncer bucal. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 25(2), 198-205. https://doi.org/10.5335/rfo.v25i2.10682
Seção
Investigação Científica