Análise eletromiográfica do efeito da fisioterapia no músculo masseter em pós-operatório de politrauma de face

  • Natália Francine de Paiva Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais
  • Roberto Bernardino Júnior Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais
  • Lucas Gabriel França Borges Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais
  • Edilene Barbosa Ribeiro dos Santos Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais
  • Flaviana Soares Rocha Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais
Palavras-chave: Eletromiografia, Fisioterapia, Mandíbula, Músculos da mastigação

Resumo

Em situações de acidente, os traumas faciais têm ocupado lugar de destaque, e as fraturas mandibulares compreendem o maior percentual de injúrias tratadas pelos cirurgiões bucomaxilofaciais. Intervenções fisioterapêuticas vêm sendo somadas à reabilitação pós-operatória, otimizando a atividade muscular pós-trauma, colaborando na recuperação das funções mastigatórias, de fonação, deglutição e posturais. Objetivo: o presente estudo objetivou comparar a evolução longitudinal da atividade elétrica do músculo masseter por meio de exame eletromiográfico em um indivíduo politraumatizado submetido à fisioterapia e outro com fratura de mandíbula sem tratamento fisioterapêutico. Sujeitos e método: para tal pesquisa, analisou-se um voluntário politraumatizado submetido a tratamento fisioterapêutico, um voluntário com fratura de mandíbula sem tratamento fisioterapêutico e três voluntários sem fraturas como grupo controle. Foi realizada uma primeira coleta de dados eletromiográficos nos primeiros dias após alta do serviço de cirurgia responsável pelo tratamento das fraturas e uma segunda coleta 60 dias após. No indivíduo submetido ao tratamento fisioterápico, realizou-se ainda uma terceira coleta após 90 dias. Resultados: o voluntário politraumatizado submetido ao tratamento fisioterapêutico, em 90 dias, obteve atividade elétrica do músculo masseter, semelhante ao grupo controle. Já o voluntário com fretura mandibular não submetido ao tratamento fisioterapêutico apresentou resultados semelhantes ao grupo controle após 60 dias de alta hospitalar. Considerações finais: conclui-se que a intervenção fisioterapêutica em pacientes politraumatizados é de grande relevância, devolvendo a condição muscular fisiológica de mastigação, no que tange à atividade elétrica, num prazo de até 90 dias, apresentando, além disso, vantagens na redução da sintomatologia desarmonizadora da função.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Brasil. Portaria 105, de 20 de junho de 2012. Consolidação das normas para procedimentos nos Conselhos de Odontologia 2012; 1(1):15.

2. Paranhos LR. Atuação do cirurgião-dentista no ambiente hospitalar. 2002; 7-8.

3. Hupp JR, Ellis IIIE, Tucker MR. Cirurgia oral e maxilofacial contemporânea. 2009; 24.

4. Macedo JLS, Camargo LM, Almeida PF, Rosa SC. Perfil epidemiológico do trauma de face dos pacientes atendidos no pronto socorro de um hospital público. Rev Col Bras Cir 2008; 35(1):9-13.

5. Rocha NSM, Andrade JR, Jayanthi SK. Imagem no trauma de face. Rev Med 2011; 90(4):169-70.

6. Leporace AAF. Estudo epidemiológico das fraturas mandibulares num hospital público na cidade de São Paulo. 2008; 17-20.

7. Montovani JC, Campos LMP, Gomes MA, Moraes VRS, Ferreira FD, Nogueira EA. Etiologia e incidência das fraturas faciais em adultos e crianças: experiência em 513 casos. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia 2006; 72(2):12-4.

8. Gottardello J. Fraturas de ângulo mandibular. Piracicaba, 1995; 5.

9. Búrigo M. Tratamento fisioterapêutico da articulação temporomandibular pós- trauma. Tubarão, 2006: 22-23.

10. Martins Junior JC, Keim FS, Helena ETS. Aspectos epidemiológicos dos pacientes com traumas maxilofaciais operados no Hospital Geral de Blumenau, SC, de 2004 a 2009. Arq Int Otorrinolaringol 2010; 14(2):192-8.

11. Throckmorton GS; Ellis III. The relationship between surgical changes in dentofacial morphology and changes in maximum bite force. J Oral Maxillofac Surg 2001; 59(6):620-7.

12. Youssef RE, Throckorton GS, Ellis III E. Comparasion of habitual mastigatory patterns in man and women using a custom computer program. J Prosthet Dent 1997; 78(2):179-86.

13. Tate GS, Ellis IIIE, Throckomorton GS. Bite forces in patient treated for mandibular angle fractures: implicat ions for fixation recommendations. J Oral Maxillofac Surg 1994; 52(7):734-6.

14. Campolongo GD. Avaliação eletromiográfica do músculo masseter nos pacientes portadores de fratura de face. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Odontologia; 2012. p. 7-8.

15. Dal Santo F, Ellis IIIE, Throckorton GS. The effects of zygomatic complex fracture on masseteric muscle force. J Oral Maxillofac Surg 1992; 50(8):791-9.

16. Brasil. Portaria 641, de 17 de dezembro de 1975. Curitiba: Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional; 1975.

17. Lopes MGP; Rode SM. Tratamento das disfunções craniomandibulares da ATM. São Paulo: Santos; 1995. 18:129-131.

18. Maëstu J, Cichella A, Purge P, Ruosi S, Jurimae J, Jurimae T. Electromyographic and neuromuscular fatigue thresholds as concepts of fatigue. Journal of Strength and Conditioning Research 2006; 20:824-8.

19. Basmanjian JV, De Luca CJ. Muscle alive: their function revealed by eletromiography. 5th ed. Baltimore: Williams & Wilkins; 1985.

20. Merletti R, Parker P. Electromyography: Physiology, Engineering, and Noninvasive Applications. IEEE Press, 2004.

21. Resende APM, Nakamura MU, Ferreira EAG, Petricelli CD, Alexandre SM, Zanetti MRD. Eletromiografia de superfície para avaliação dos músculos do assoalho pélvico feminino: revisão de literatura. Fisioterapia e Pesquisa, São Paulo, 2011; 18(3):292-7.

22. Armijo-Olivo S, Gadotti I, Kornerup M, Lagravère MO, Flores-Mir C. Quality of reporting masticatory muscle electromyography in 2004: a systematic review. Journal of Oral Rehabilitation 2007; 34:397-405. 23. Moore KL. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Editora Guanabara Koogan; 2014.

23. Moore KL. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Editora Guanabara Koogan; 2014.
Publicado
2019-12-18
Como Citar
de Paiva, N., Bernardino Júnior, R., França Borges, L., Barbosa Ribeiro dos Santos, E., & Soares Rocha, F. (2019). Análise eletromiográfica do efeito da fisioterapia no músculo masseter em pós-operatório de politrauma de face. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 24(2), 263-272. https://doi.org/10.5335/rfo.v24i2.10448
Seção
Caso Clínico