Perfil sociodemográfico e autopercepção em saúde bucal de cuidadores de indivíduos com deficiência intelectual

  • Bruna Ackermann Schardong Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
  • Julia Bauer Marques Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
  • Camila Oliveira da Costa Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
  • Lina Naomi Hashizume Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre
Palavras-chave: Cuidadores, Deficiência intelectual, Saúde bucal

Resumo

Objetivos: analisar o perfil sociodemográfico e avaliar a autopercepção em saúde bucal de cuidadores de indivíduos com deficiência intelectual. Métodos: foram entrevistados 103 cuidadores em instituições de apoio a pessoas com deficiência intelectual da Região Metropolitana de Porto Alegre (RS) para se avaliar as variáveis estudadas. Resultados: a maior parte era composta por mulheres (93%) e mães (79%), a idade média foi de 47 anos ± 14.39 (DP) e grande parte possuía baixa escolaridade (51%). Quanto à renda familiar, o próprio cuidador era o provedor majoritário (40%), com renda total de até 2 salários mínimos (65%). Em relação à percepção de sua saúde bucal, 35% responderam que estavam insatisfeitos com seus dentes, e 84% dos cuidadores tiveram alguma dificuldade relacionada aos seus dentes nos últimos 6 meses. Dos entrevistados, 45% relataram não ter procurado atendimento odontológico por dificuldades financeiras. A maioria (45%) relatou ter procurado o dentista para tratamentos invasivos. Relacionando-se com a saúde do indivíduo cuidado, 75% dos entrevistados afirmaram que a saúde daqueles é mais importante do que a sua. Dentre os participantes da pesquisa, 47% acreditam que ser cuidador acarreta deixar a sua própria saúde em segundo plano. Conclusão: a maioria dos cuidadores de indivíduos com deficiência intelectual entrevistados no estudo era de mães cuidadoras em tempo integral, com poucos recursos financeiros e com baixa escolaridade. Muitas percebiam a necessidade de tratamento odontológico, entretanto, priorizavam o indivíduo sob cuidados em detrimento da sua saúde bucal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Alves AFR, Monteiro JFA. Repercussões psicossociais na vida de cuidadores informais de pacientes acometidos por acidente vascular cerebral. Sal & Transf Soc 2015; 6(3):26-41.

2. Honora M, Frizanco ML. Esclarecendo as deficiências: aspectos teóricos e práticos para contribuição com uma sociedade inclusiva. São Paulo: Ciranda Cultura; 2008.

3. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Definição da pessoa com deficiência. Brasília: Ministério da Saúde; 1999.

4. Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística. Cartilha do Censo 2010. Brasília: SDH-PR/SNPD; 2012.

5. Ceschini M. Por que assistência domiciliar? In: Dias ELF, Wanderley JS, Mendes, RT (org.). Orientações para cuidadores informais na assistência domiciliar. Campinas: Unicamp; 2005, p. 13-8.

6. Beck ARM, Lopes MHBM. Cuidadores de crianças com câncer: aspectos da vida afetados pela atividade de cuidador. Rev Bras Enferm 2007; 60(6):670-5.

7. Câmara FDS, Martins WLL, Moura MDLND, Melo CSD, Medeiros NSRD, Gadelha ECM, et al. Perfil do cuidador de pessoas com deficiência. Rev Bras Ciênc Saúde 2016; 20(4):269-76.

8. Farias CA, Lima POC, Ferreira LA, Cruzeiro ALS, Quevedo LDA. Sobrecarga em cuidadores de usuários de um centro de atenção psicossocial infanto-juvenil no sul do Brasil. Cienc Saude Cole 2014; 19(6):4819-27.

9. Lenardt MH, Willig MH, Seima MD, Pereira LDF. A condição de saúde e satisfação com a vida do cuidador familiar de idoso com Alzheimer. Colomb Med 2011; 42(2/1):17-25.

10. Scalco GPDC, Abegg C, Celeste RK, Hökerberg YHM, Faerstein E. Occupational stress and self-perceived oral health in Brazilian adults: a Pro-Saude study. Cienc Saude Colet 2013; 18(7):2069-74.

11. Vitaliano PP, Persson R, Kiyak A, Saini H, Echeverria D. Caregiving and Gingival Symptom Reports: Psychophysiologic Mediators. Psychosomatic Medicine 2005; 67:930-8.

12. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

13. Mendes PBMT. Quem é o cuidador? In: Dias ELF, Wanderley JS, Mendes RT (org.). Orientações para cuidadores informais na assistência domiciliar. 2. ed. Campinas: Unicamp; 2005. p. 19-33.

14. Cardoso CCL, Rosalini MHP, Pereira MTML. O cuidar na concepção dos cuidadores: um estudo com familiares de doentes crônicos em duas unidades de saúde da família de São Carlos-SP. Serv Soc Rev 2010; 13(1):24-42.

15. Rezende LK, Assis SMB, Barca LF. Suporte social de cuidadores de crianças com Síndrome de Down. Rev Educação Especial 2014; 27(48):111-26.

16. Inocenti A, Rodrigues IG, Miasso AI. Vivências e sentimentos do cuidador familiar do paciente oncológico em cuidados paliativos. Rev Eletrônica Enferm 2009; 11(4):858-65.

17. Nico LS, Andrade SSCDA, Malta DC, Júnior GAP, Peres MA. Saúde bucal autorreferida da população adulta brasileira: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Cienc Saude Colet 2016; 21(2):389-98.

18. Castro HCO, Machado LZ, Walter MIMT, Ranincheski SM, Schmidt BV, Marinho DNC, et al. A satisfação dos usuários com o Sistema Único de Saúde (SUS). Soc Debate 2008; 14(2):113-34.

19. Brandão ALRBS, Giovanella L, Campos CEA. Avaliação da atenção básica pela perspectiva dos usuários: adaptação do instrumento EUROPEP para grandes centros urbanos brasileiros. Cien Saude Colet 2013; 8(1):103-14.

20. Traverso-Yépez M, Morais NA. Reivindicando a subjetividade dos usuários da Rede Básica de Saúde: para uma humanização do atendimento. Cad Saúde Pública 2004; 20(1):80-8.

21. Serapioni M, Silva MGC. Avaliação da qualidade do Programa Saúde da Família em municípios do Ceará. Uma abordagem multidimensional. Cienc Saude Colet 2011; 16(11):4315-26.

22. Priporas CV, Laspa C, Kamenidou I. Patient satisfaction measurement for in-hospital services: a pilot study in Greece. J Med Market 2008; 8(4):325-40.

23. Rahmqvist M, Bara A. Patient characteristics and quality dimensions related to patient satisfaction. Int J Qual Health Care 2010; 22(2):86-92.

24. Gratão ACM, Vendrúscolo TRP, Talmelli LFDS, Figueiredo LC, Santos JLF, Rodrigues RAP. Sobrecarga e desconforto emocional em cuidadores de idosos. Texto Contexto Enferm 2012; 21(2):304-12.
Publicado
2019-12-18
Como Citar
Ackermann Schardong, B., Bauer Marques, J., Oliveira da Costa, C., & Naomi Hashizume, L. (2019). Perfil sociodemográfico e autopercepção em saúde bucal de cuidadores de indivíduos com deficiência intelectual. Revista Da Faculdade De Odontologia - UPF, 24(2), 229-235. https://doi.org/10.5335/rfo.v24i2.10441
Seção
Investigação Científica