http://seer.upf.br/index.php/rep/issue/feed Revista Espaço Pedagógico 2018-10-19T09:09:49-03:00 Flávia Eloisa Caimi espacopedagogico@upf.br Open Journal Systems <p>A revista Espaço Pedagógico é uma publicação científica do<a href="https://www.upf.br/ppgedu" target="_blank" rel="noopener"> Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU)</a> e da Faculdade de Educação (FAED) da <a title="UPF" href="https://www.upf.br/" target="_blank" rel="noopener">Universidade de Passo Fundo</a>, apresentada em versão online. Publica trabalhos originais e inéditos em português, espanhol e inglês, resultantes de estudos teóricos, pesquisas, reflexões sobre experiências pedagógicas, entrevistas com educadores, traduções e resenhas críticas de obras que abordem temas relevantes na área da educação. Excepcionalmente, publica trabalhos em outras línguas, como italiano, francês e alemão.<br> É uma publicação de acesso livre, classificada no <a href="https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodicos.jsf?" target="_blank" rel="noopener">Qualis CAPES</a> (2013-2016) no extrato B1 em Educação.</p> http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8563 SUMÁRIO 2018-10-19T09:09:46-03:00 Flávia Eloisa Caimi (Editora Chefe) caimi@upf.br 2018-08-30T20:39:46-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8564 Editorial 2018-10-19T09:09:45-03:00 Adriano José Hertzog Vieira (Organizador) adrianojhvieira@gmail.com Márcio Tascheto da Silva (Organizador) tascheto@upf.br Flávia Caimi (Editora Chefe) caimi@upf.br 2018-08-30T20:39:47-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8565 O mal-estar da experiência no século XXI: desafios para uma nova pedagogia universitária 2018-10-19T09:09:46-03:00 Adriano José Hertzog Vieira adrianojhvieira@gmail.com Márcio Tascheto da Silva tascheto@upf.br Bernadete Maria Dalmolin bernadalmolin@uol.com.br Com o objetivo de potencializar a extensão como mobilizadora da aprendizagem na educação superior, no presente artigo tematizam-se o Manifesto de Córdoba e sua crítica ao modelo instrucionista, no qual a docência detém a soberania do ensino. Em vista disso, argumenta-se, com base em Walter Benjamin (1994), acerca da abstenção da experiência na sociedade capitalista dos séculos XX e XXI e suas repercussões nefastas para o processo de assujeitamento. Em Jean Piaget (2008), busca-se referenciar a experiência como elemento fundamental para que o processo de aprendizagem se realize, tornando-se constituidor das subjetividades. Por fim, busca-se identificar na extensão universitária seu potencial significante para a construção de uma nova pedagogia universitária na qual a experiência é o elemento mobilizador dos processos de conhecer/saber. 2018-08-30T20:39:47-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8566 Universidad en el siglo XXI: ¿extensión, responsabilidad social universitaria, vínculo con el medio o conocimiento para el desarrollo de los territorios? 2018-10-19T09:09:46-03:00 Guillermo Williamson Castro guillermo.williamson@ufrontera.cl Néstor Contreras Fuentes nestor.contreras@ufrontera.cl La universidad en Chile enfrenta enormes desafíos producto de la crítica de movimientos sociales, indígenas, académicos, empresariales y de los partidos políticos debido a su distanciamiento factual de los grandes problemas que enfrentan los territorios y sus procesos de desarrollo. La búsqueda de respuestas a esos requerimientos, justos y democráticos, en el marco de una economía neoliberal, lleva a reflexionar críticamente sobre las relaciones entre la universidad y el territorio según las concepciones dominantes en diversos momentos o instancias en el país: extensión, responsabilidad social universitaria, vínculo con el medio. La reflexión se inicia con un análisis contextual de la realidad universitaria chilena respecto de la temática, luego se discute brevemente la cuestión del territorio para continuar revisando, de modo crítico, las concepciones que han marcado las interacciones con la sociedad desde 1990 a la fecha, para terminar presentando la propuesta actual: vínculo con el Medio, que se instala desde el estado –aún de modo inicial- como componente clave en los sistemas de aseguramiento de la calidad universitaria, particularmente en los procesos de acreditación. Finalmente plantea algunas conclusiones y realiza algunas propuestas desde una concepción de comunicación para el conocimiento orientado al desarrollo de los territorios. 2018-08-30T20:39:48-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8567 A extensão universitária e o futuro da universidade 2018-10-19T09:09:47-03:00 Sandra de Fátima Batista de Deus sdeus@terra.com.br Este estudo propõe uma reflexão sobre o papel da extensão universitária no futuro da universidade brasileira. Para tanto, considera-se que este caminho deve ser pautado pela reflexão em torno dos 100 anos da Reforma de Córdoba, pelos encaminhamentos da Conferência Regional de Educação Superior, pela urgente necessidade de defesa da universidade pública, pela incorporação da Agenda 2030 na pauta da extensão universitária e, muito especialmente, por três componentes que marcam a contradição interna das universidades: os currículos engessados; o acomodamento/desencanto docente e discente e a estrutura universitária distante e com poucas condições de atender as demandas da sociedade. A universidade pública, que cumpre um papel fundamental na sociedade brasileira, tem sido questionada em todos os sentidos. Um questionamento que tem como finalidade o desmonte do ensino público e gratuito e que está calcado na total ignorância sobre o desempenho destas instituições. A extensão universitária tem tarefas importantes a cumprir nestes períodos de turbulência e definição de novas rotas. 2018-08-30T20:39:48-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8568 O tecido social da universidade brasileira e a expressão cultural de uma crise 2018-10-19T09:09:47-03:00 Cecilia Pires pirescecilia@gmail.com A universidade brasileira traz em sua história o vestígio da situação colonial vivida no país, produzida pelos colonizadores portugueses. As relações sociais, políticas, culturais e econômicas encontradas na sociedade civil, em sua relação com o Estado, estão expressas na vida universitária. Nos episódios de duas ditaduras marcantes, o período do Estado Novo, na era Vargas, e o golpe civil-militar de 1964, a universidade sofreu o impacto de reformas que estabeleceram estruturas de ensino com viés autoritário, próprio desses regimes. Especialmente, as reformas de base do período de João Goulart foram abortadas, e o regime ditatorial produziu a reforma modernizadora de 1968, que traduz a submissão dos governantes militares às decisões de organismos norte-americanos. Muito intelectuais denunciaram e lutaram por uma universidade pública, democrática e de qualidade e deixaram suas contribuições. Anseia-se e luta-se ainda hoje para que a universidade brasileira se torne um lugar de debate democrático, com avanços sociais fundamentados em valores éticos. 2018-08-30T20:39:48-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8569 Entendimento de professores universitários sobre o seu fazer: ensino como atividade preponderante e extensão como atividade ainda periférica 2018-10-19T09:09:47-03:00 Cátia Maria Nehring catneh@hotmail.com Isabel Koltermann Battisti isabel.battisti@unijui.edu.br Marta Cristina Cezar Pozzobon marta.pozzobon@hotmail.com As dimensões ensino, pesquisa e extensão são tratadas de diferentes formas a partir da natureza e da organização acadêmica das instituições de educação superior. A indissociabilidade entre elas possibilita o estabelecimento e o desenvolvimento do espírito científico universal. Esta escrita baseia-se em uma investigação que objetiva discutir a constituição do professor da educação superior e levanta as seguintes questões: qual relação os professores que atuam em universidades estabelecem entre suas atividades de ensino, de pesquisa e de extensão? Eles compreendem a indissociabilidade entre as três atividades como política de suas instituições? Qual é o papel atribuído à extensão a partir da perspectiva de que esta dimensão é um elemento de diálogo e aprendizagem entre universidade e sociedade? Os dados empíricos consideraram um questionário respondido por professores que atuam em universidades com jornada de trabalho de tempo integral. As análises organizaram-se a partir de duas unidades e consideram proposições apresentadas, especialmente, por Mazzilli (2011), Síveres (2011, 2013) e Dias e Ketzer (2007) e identificadas no documento “Plano nacional de graduação: um projeto em construção” (FORGRAD, 2004). De acordo com o levantamento, o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão não está estabelecido, essa relação precisa ser construída como uma política institucional, e a atividade de extensão ainda é percebida como atividade periférica no fazer do professor universitário. 2018-08-30T20:39:49-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8570 A extensão universitária em debate: o curso pré-universitário como espaço de educação popular 2018-10-19T09:09:47-03:00 Thiago Ingrassia Pereira thiago.ingrassia@gmail.com Tatiane Fernanda Gomes tatiane@ufsm.br Integrante do eixo que caracteriza a universidade brasileira junto com a pesquisa e o ensino, a extensão potencializa a relação da educação superior com a comunidade. O estudo em tela aborda as potencialidades de cursos pré-universitários populares em processos de aprendizagem, formação inicial de docentes e diálogo entre a universidade e sujeitos sociais diversos. Objetiva discutir a extensão universitária a partir de uma experiência de curso pré-universitário vinculada ao desafio da democratização do acesso à universidade. Embasado em princípios da educação popular de matriz freireana e em estudos e pesquisas sobre educação, universidade e extensão, este trabalho situa historicamente a extensão como uma prática dialógica, permeada por intencionalidade política, com desdobramentos epistemológicos e metodológicos no conhecimento acadêmico. Por meio de grupos focais com estudantes universitários(as) que atuam como educadores(as) em curso pré-universitário, a pesquisa desenvolvida explora as diferentes contribuições desse espaço para a formação docente e em processos de conscientização mais amplos que potencializam a reinvenção da universidade, tendo compromisso com cenários de transformação social. Dessa forma, sinaliza para o potencial de projetos de extensão universitária como mecanismos de produção e difusão de conhecimento emancipatório. 2018-08-30T20:39:50-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8571 Universidade e comunidade sob a ótica do curso Educação do Campo na Unipampa 2018-10-19T09:09:48-03:00 Algacir José Rigon ajrigon@gmail.com Vinícius Piccin Dalbianco vinidalbianco@yahoo.com.br Ao conceber a universidade como parte integrante e fundamental da estrutura social, pretende-se, por meio das experiências do curso de licenciatura Educação do Campo da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), descrever e discutir a relação entre a universidade e a comunidade. Para cumprir com essa finalidade, foi realizada uma revisão de literatura sobre os temas trazidos, bem como foi analisado o Plano de Desenvolvimento Institucional da Unipampa e o Projeto Pedagógico do Curso Educação do Campo, frente aos desafios da formação docente numa proposta não convencional de formação universitária. O Manifesto de Córdoba em 1918 pontuava questões importantes para o protagonismo dos estudantes, bem como para o rompimento com o modelo focado no ensino e na pesquisa, reformando a universidade na direção da abertura para a comunidade e da reestruturação da gestão, com o objetivo de viabilizar maior participação dos estudantes. Com o desafio de formação de um novo educador e de um novo gestor, com foco na formação para a docência, para a gestão, para a política e para a pesquisa, o curso em pauta atende os princípios do manifesto na sua organização curricular e na viabilização da participação dos estudantes e, especialmente, da comunidade nas instâncias decisórias. A organização curricular em alternância e interdisciplinar, a constituição do conselho comunitário, bem como a postura de escuta dos estudantes nos diferentes espaços retroalimentam a relação entre universidade e comunidade, de modo a resultar em uma formação crítica e emancipatória com perspectiva de mudanças do sistema social vigente. 2018-08-30T20:39:50-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8572 Tessituras entre concepções, curricularização e avaliação da extensão universitária na formação do estudante 2018-10-19T09:09:48-03:00 Kátia Curado Silva katia.curado@unb.br Andréa Kochhann andreakochhann@yahoo.com.br Este artigo trata das concepções de extensão universitária na formação do estudante, da curricularização dessas atividades no processo formativo e da avaliação das ações extensionistas. Defende-se que as ações extensionistas influenciam na formação do estudante. Dessarte, é importante compreender qual concepção as atividades carregam e como ocorre seu movimento de avaliação, visto que estão em processo de validação curricular. A metodologia adotada foi qualitativa e bibliográfica, embasada no Plano Nacional de Educação (BRASIL, 2001a, 2014), no Plano Nacional de Extensão Universitária (BRASIL, 2001b, 2011), no Fórum dos Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras (FORPROEX, 2001, 2012), no Ofício Circular MEC/Sesu n. 263 (BRASIL, 1994 apud REIS, 1996), em Reis (1993, 1995, 1996), entre outros. A tessitura entre a extensão e o processo formativo passa pela compreensão de que as atividades não podem ser de prestação de serviços e assistencialismo, mas acadêmicas, visando à transformação do real. A participação em projetos e programas de extensão deve compor, no mínimo, 10% dos créditos totais do currículo do estudante, como processo indissociável da pesquisa e do ensino. O acompanhamento e a avaliação das ações extensionistas devem ocorrer seguindo os critérios de indissociabilidade, interdisciplinaridade, interprofissionalidade, produção acadêmica, dialogicidade, transformação social e impacto na formação do estudante, estabelecidos pelo Forproex. 2018-08-30T20:39:50-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8573 Assessoria jurídica universitária popular e a formação do bacharel em Direito 2018-10-19T09:09:48-03:00 Damião Bezerra Oliveira damiao@ufpa.br Raphael Carmesin Gomes raphael.carmesin@gmail.com O presente artigo visa a descrever as contribuições que o programa de extensão universitária Núcleo de Assessoria Jurídica Universitária Popular Aldeia Kayapó (Najupak) deu durante sua existência, para a formação do bacharel em Direito da Universidade Federal do Pará (UFPA). Para esse fim, além do referencial teórico que embasa as experiências e práticas da assessoria jurídica universitária popular (Ajup), exploram-se os discursos de bacharéis em Direito que, em algum momento de seu percurso formativo, participaram deste programa de extensão em seus 10 anos de existência (2004-2014). Nesse sentido, transcrevem-se as narrativas dos bacharéis, colhidas em entrevistas semiestruturadas, realizadas para a consecução da dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPA. Conclui-se que o Najupak foi essencial na promoção de uma formação paralela dos bacharéis em Direito, proporcionando a eles experiências pedagógicas diferenciadas do currículo oficial, por meio do estímulo às reflexões críticas sobre a própria formação jurídica. 2018-08-30T20:39:51-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8575 Formação continuada para conselheiros municipais de educação e a avaliação dos planos municipais de educação 2018-10-19T09:09:48-03:00 Solange Jarcem Fernandes solangejarcem@gmail.com Aureotilde Monteiro monteiro.ufms@gmail.com O artigo analisa as propostas de avaliação dos planos municipais de educação elaboradas pelos conselheiros municipais de educação que participaram do curso de extensão Formação Continuada de Conselheiros Municipais do Programa Nacional de Capacitação de Conselheiros Municipais de Educação, vinculado à Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação e oferecido em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. O curso visou a contribuir para a formação dos conselheiros e a fortalece-los como uma das instâncias de gestão democrática e de acompanhamento e avaliação das políticas públicas implementadas na área educacional nos respectivos municípios. Para este estudo, trabalhou-se com os documentos do programa, o material didático do curso e o projeto de avaliação e monitoramento elaborado pelos conselheiros, denominado de Projeto Integrador, nas suas dimensões política e de controle social. Do resultado das análises realizadas nos projetos integradores, é possível afirmar que os conselheiros apresentaram entendimento do papel e da função sociais dos conselhos municipais de educação no processo de formulação dos instrumentos de avaliação de políticas públicas e no acompanhamento do planos municipais de educação dos respectivos municípios dentro da proposta do curso de extensão, a formação com bases democráticas. 2018-08-30T20:39:52-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8576 Contribuições de projeto de extensão à formação inicial em curso de Pedagogia em universidade pública 2018-10-19T09:09:49-03:00 Andreia Cristiane Silva Wiezzel andreia.wiezzel@unesp.br Este artigo apresenta reflexões em torno da concepção, da execução e da avaliação de um projeto de extensão universitária desenvolvido no âmbito do programa Núcleos de Ensino da Universidade Estadual Paulista, no período de 2009 a 2016. O texto está organizado em quatro seções: a primeira apresenta, em linhas gerais, o programa Núcleo de Ensino; a segunda destaca a concepção, as bases teórico-metodológicas e o procedimento do projeto de extensão; a terceira seção aponta os resultados gerais obtidos sobre a população atendida, no caso, crianças com dificuldades nas relações interpessoais na escola; e a quarta traz a repercussão à formação dos universitários do curso de licenciatura envolvidos no trabalho. Conclui-se, a partir deste projeto, que a extensão universitária, em sua articulação com o ensino e a pesquisa, oportunizou formação diversificada e ampla aos alunos universitários, além de impactar na realidade das crianças participantes do projeto nas escolas públicas envolvidas. Diante desses resultados, fazem-se necessários aprofundar as discussões e ampliar essas práticas nos cursos de graduação. 2018-08-30T20:39:52-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8578 Extensão universitária: contribuições de professores guarani para a formação inicial de professores de matemática 2018-10-19T09:09:49-03:00 Gabriela dos Santos Barbosa caimi@upf.br O objetivo deste artigo é analisar as contribuições de um projeto de extensão universitária voltado à formação continuada de professores guarani para a formação inicial de professores de matemática. O projeto foi desenvolvido com professores indígenas que atuam em duas aldeias guarani situadas em Maricá, Rio de Janeiro, e contou com a participação de dois estudantes de licenciatura em Matemática, bolsistas de extensão. Seguindo os princípios da Pedagogia Decolonial, buscou-se compreender os impactos da interação com os professores indígenas e com a cultura guarani na formação dos estudantes de licenciatura. Tratou-se de um estudo de caso fundamentado nas ideias de D’Ambrósio (1997, 1998, 2002, 2013) sobre Etnomatemática, nas ideias de Tardif (2014) sobre os saberes docentes e de Serrazina (2003), Alarcão (2001) e Nóvoa (2009) sobre formação de professores. Ao longo do projeto, implementaram-se ações que evidenciaram aspectos da cultura guarani. Incentivou-se o desenvolvimento da postura investigativa dos professores por meio da análise de suas práticas e da reflexão sobre o desempenho de seus alunos. Acompanhando tais ações, os licenciandos puderam rever sua concepção de matemática e de educação matemática. Entre os principais resultados, estão a crítica feita por eles aos saberes de formação e saberes disciplinares propostos pela universidade e a relativização de saberes curriculares, ambas provocadas pela descoberta da matemática e da pedagogia guarani. Concluiu-se que o projeto de extensão favoreu a troca de conhecimentos entre dois grupos culturais distintos e, assim, efetivou a interculturalidade crítica. 2018-08-30T20:39:52-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8579 Diálogo com Educadores 2018-10-19T09:09:46-03:00 Daniel Herrero caimi@upf.br 2018-08-30T20:39:53-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/8580 RESENHA 2018-10-19T09:09:46-03:00 Cátia Ruas Teixeira Sauer sauer@upf.br Silvana Ribeiro silvanaribeiro@upf.br 2018-08-30T20:39:53-03:00 ##submission.copyrightStatement##