Chamada de dossiês

SUBMISSÕES ATUAIS:

 

INFÂNCIA E CIDADANIA  – V. 27, nº 2 – MAI./AGO. 2020

 PRAZO DE SUBMISSÃO: 15 DE OUTUBRO DE 2019

A atenção à infância vem se consolidando, nas últimas décadas, e dando visibilidade a inúmeros avanços na garantia de direitos das crianças. Ainda assim permanece como miragem o marco de uma sociedade que, nos diferentes contextos, não hesite ou recue em universalizar condições à cidadania da criança. Barreiras históricas condicionam a proteção, a educação e a participação da infância. Este dossiê objetiva compor uma polifonia de vozes que inspire, subsidie e fortaleça o campo multidisciplinar de estudos da infância. Espera-se, para isso, contribuições de pesquisadores, ativistas, profissionais das áreas jurídica, educacional, da saúde, dentre outras.

Demanda livre: A Revista Espaço Pedagógico recebe artigos sobre temas diversos do campo educacional em fluxo contínuo.

 

 PAULO FREIRE- PEDAGOGIA DO OPRIMIDO – 50 ANOS - V.27, N.3 – SET./DEZ. 2020

PRAZO DE SUBMISSÃO: 16 DE MARÇO DE 2020

O livro de Paulo Freire Pedagogia do Oprimido, lançado inicialmente em 1970 em Nova York, está completando em 2020, cinquenta anos. Em sua homenagem a Revista Espaço Pedagógico está organizando o dossiê: Paulo Freire- Pedagogia do Oprimido – 50 anos. O dossiê tem a pretensão de analisar a obra Pedagogia do Oprimido em uma perspectiva crítica, no intento de esclarecer suas limitações e suas potencialidades diante do atual contexto cada vez mais complexo, plural e globalizado.  O objetivo é de confrontar as proposições de Freire com as críticas que sua obra e sua proposta pedagógica vêm recebendo na atualidade. Trata-se de não só problematizar as críticas, mas de retomar e fortalecer o papel transformador da educação sob a ótica da Pedagogia do Oprimido. Contamos com a colaboração de todos aqueles que ainda acreditam no poder emancipador da obra de Freire.

Demanda livre: A Revista Espaço Pedagógico recebe artigos sobre temas diversos do campo educacional em fluxo contínuo.

 

SUBMISSÕES ENCERRADAS:

 

PRIVATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO – V. 27, nº 1 – JAN./ABR. 2020

PRAZO ATÉ 15 DE AGOSTO DE 2019

A privatização da educação é um dos temas que vem ganhando centralidade nas pesquisas e debates das políticas educacionais. O avanço da mercantilização e privatização, tanto na educação básica quanto na educação superior, está reconfigurando o cenário educacional e proporcionando avaliações distintas quanto a este percurso: para alguns setores do mercado educacional o processo de privatização constitui a saída para enfrentar a crise educacional e o baixo desempenho da escolarização em todos os níveis de ensino; para os especialistas críticos, o avanço da lógica privada sobre o setor público afeta o direito humano à educação, tendendo a produzir, na maior parte dos casos, aumento das desigualdades educacionais, com prejuízo para as populações em situação de maior vulnerabilidade. Com o objetivo de ampliar a discussão a respeito da relação entre Privatização e Educação, a Revista Espaço Pedagógico está organizando o volume 27, n.1, jan./abr. de 2020 abordando essa temática. Serão aceitos trabalho que explorem: a) a relação entre privatização e educação; b) privatização e políticas educacionais; c) privatização na educação básica; d) privatização na educação superior; e) experiências de privatização da educação no cenário nacional ou internacional; f) privatização e pós-graduação.

 

JUSTIÇA SOCIAL E EDUCAÇÃO – V. 26, nº 3 – SET./DEZ. 2019

PRAZO ATÉ 31 DE MARÇO DE 2019

O tema da justiça social assume uma grande relevância na atualidade. Desde os anos 70 do século passado o mundo é marcado por uma crescente acumulação de riquezas, pelo dramático aumento da desigualdade social, pelo drástico enfraquecimento da democracia, assim como, na linha da teoria do capital humano, pela crescente transformação da educação em meio de converter os sujeitos humanos em seres economicamente produtivos. Nesse cenário se configura uma crise da educação em escala global, dentre outros fatores,  pela concentração de riquezas e pela redução de direitos, modelo esse que mercantiliza a educação e desonera o Estado de sua responsabilidade para com ela. Na base de uma sociedade marcada pelo esgotamento da democracia liberal e na qual mais e mais a educação é enfraquecida em sua condição de bem comum e direito de todos, multiplicam-se formas de desigualdade e de injustiça social. Apresenta-se, assim, um novo modo de configuração da sociabilidade que afeta diretamente tanto a forma de constituição dos processos de individualização e socialização quanto o modo como se compreende a ideia de um mundo comum e a democracia. Urge, pois, pensar novas perspectivas que, considerando o atual cenário sócio-político-educativo, ajudem a lançar luzes sobre a necessária articulação entre justiça social e educação. Nesse sentido, pretende-se vincular esse tema a questões como democracia, direitos humanos, ética e estética. Com esse objetivo, a Revista Espaço Pedagógico orienta o volume 26, n.3, set./dez.2019 para o tema Justiça Social e Educação. Serão aceitos trabalhos que explorem: a) a relação entre justiça social, democracia e educação; b) os desafios colocados à educação sob o enfoque da justiça social; c) justiça social e direitos humanos; d) ética, estética e justiça social.

 
AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR – V. 26, nº 1 – JAN./ABR. 2019

PRAZO ATÉ 10 DE JULHO DE 2018

Nas últimas décadas, tem-se observado um movimento da esfera das fundamentações deontológicas para as consequencialistas como justificação da expansão e de investimentos na educação superior. Em tal cenário, os sistemas de avaliação têm assumido centralidade, visto que passam a ser disputados para atender as visões de diferentes grupos de interesse. Se, por um lado, alguns entendem que a avaliação deve se pautar por objetivos utilitaristas, de crescimento econômico e de educação superior como bem privado, por outro lado, há os que entendem que a avaliação deve priorizar os valores acadêmicos, a responsabilidade social e a ideia de educação superior como bem público. Nesse contexto de mudanças e disputas, a avaliação precisa ser pensada, refletida e problematizada. Assim, a Revista Espaço Pedagógico pauta o volume 26, nº 1, 2019 em torno do tema Avaliação da Educação Superior, aceitando artigos que contribuam para a construção do conhecimento a respeito de aspectos teóricos e metodológicos de avaliações, programas e políticas educacionais, bem como para a discussão dos desafios para a consolidação da avaliação num contexto de globalização e economia do conhecimento.