A participação social na escola do México: um problema de democracia e cultura política?

Palavras-chave: Igualdade, México, Participação cidadã, Escola secundária

Resumo

Este artigo questiona a tese culturalista, para explicar por que a participação social não pode surgir no setor educativo do México. Baseado em um trabalho empírico com escolas secundárias de três estados: Chiapas, Ciudad de México e Durango (n=27), este estudo evidencia que os indivíduos mostram predisposição a intervir de maneira crítica e fundamentada em seus centros escolares; não obstante, por não existirem estruturas de oportunidade para ampliar competências cidadãs, esses mesmos atores não parecem ser vistos como iguais, havendo entendimento superficial do mundo juvenil por parte dos professores, que impedem que a participação do cidadão se efetive, apesar do regime autoritário construído pelo sistema de partido único (1920-2000).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Flores-Crespo, Universidad Autónoma de Querétaro (FCPyS)
Professor-pesquisador da Universidade Autônoma de Querétaro (FCPyS). México.ORCID: 0000-0002-5508-1464.
Publicado
2019-09-04
Como Citar
FLORES-CRESPO, P. A participação social na escola do México: um problema de democracia e cultura política?. Revista Espaço Pedagógico, v. 26, n. 3, p. 642-656, 4 set. 2019.