Educação e Justiça Social na Contemporaneidade: repensando o sentido da docência no âmbito escolar

Palavras-chave: Docência, Educação, Modernidade, Pós-Modernidade

Resumo

O estudo tematiza novos horizontes para pensar a educação na contemporaneidade a partir dos marcos referenciais modernos e pós-modernos implicados na ideia de justiça social, procurando desdobrar implicações para pensar o sentido da docência no âmbito escolar. O estudo ampara-se na defesa de um pensamento complexo, capaz de permitir a emergência de novas formas de sensibilidade e racionalidade para com a questão educacional, o que pode significar um dimensionamento amplo para a ideia de justiça social, bem como de espectro acerca do que constitui a atividade docente. O repensar da docência no âmbito escolar envolve a compreensão acerca de seu caráter dinâmico, contraditório e complexo, o que significa assinalar seu envolvimento com os problemas do mundo social e histórico e suas relações com o universo das ciências, das subjetividades e, do mundo do trabalho. Os sentidos implicados na ideia de justiça social desafiam aos educadores a não apenas compreender o curso dos acontecimentos do mundo moderno/contemporâneo nestas quatro esferas do mundo humano, como que, fundamentalmente, reconfigurar e avaliar seus modos de intervenção crítica na realidade educacional, tendo em vista o combate das (in)justiças globais e contingentes que se exacerbam no capitalismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sidinei Pithan da Silva, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Brasil.
Doutor em Educação pela Universidade Federal do Paraná. Professor do curso de Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências, mestrado e doutorado, da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Brasil.
Publicado
2019-09-04
Como Citar
DA SILVA, S. Educação e Justiça Social na Contemporaneidade: repensando o sentido da docência no âmbito escolar. Revista Espaço Pedagógico, v. 26, n. 3, p. 676-700, 4 set. 2019.