Transitando entre dois estados, vou enganando-me e “passando a perna” no Estado burguês

Mariana Cunha Pereira, Maria José Alves

Resumo


Este artigo pretende dialogar com as ideias do filósofo Antonio Gramsci sobre educação. A ideia é discutir, com base numa realidade concreta – a região de fronteira, elementos da contra-hegemonia presente nas relações de ensino-aprendizagem. Para tanto, este texto apresenta as experiências de duas professoras, uma como profissional da educação básica da rede estadual de ensino do Tocantins, em município limítrofe com o estado de Goiás, e a outra como professora do ensino superior, que, ao realizar um trabalho de pesquisa de campo, intuiu o quão significativo seria um recorte investigativo sobre os aspectos da educação escolar naquela fronteira interna do Brasil. Trata-se de fronteira entre municípios de dois estados: Tocantins e Goiás. A metodologia faz uso
de memória, análise de documentos e entrevistas dos pioneiros e professores mais velhos, ainda moradores daquela região. A narrativa se faz na primeira pessoa do plural para assumir um local de inserção naquele contexto e de coautoria. Trata-se, portanto, de um artigo que dialoga com autores das áreas de educação, antropologia,
sociologia, história e geografia.

Palavras-chave


Educação. Estado. Fronteira. Goiás. Tocantins. Abstract This

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5335/rep.v24i3.7766