Max Scheler: educar é humanizar

Almiro Schulz

Resumo


A educação foi e é objeto de estudo, de análise, de reflexão e de interesse de agentes de múltiplos setores e áreas de saberes, seja no âmbito das políticas públicas, da economia, seja no acadêmico, em especial, das áreas de sociologia, história, psicologia e filosofia. Este artigo tem por objetivo apresentar um aspecto central da visão
da filosofia da educação de Max Scheler, segundo o qual educar significa humanizar. O texto é resultado de um projeto de pesquisa sobre Max Scheler, com base em uma revisão bibliográfica de textos primários e de comentadores. Mesmo que Scheler não tivesse a educação como problema originário de seus estudos e pesquisas, pois é mais conhecido por suas preocupações e elaborações no campo da ética, em especial sobre os valores, ele desenvolveu um sistema axiológico; tratou da filosofia da religião; e, posteriormente, voltou-se para a antropologia
filosófica. Essas questões acabaram gerando a necessidade de inserir em suas abordagens e discussões a educação como processo de humanização, que é uma de suas concepções-chave na visão educativa. Parte, portanto, de uma antropologia, tendo como ponto central a indagação: quem é o homem? Humanizar significa desenvolver o espírito, o que é peculiar ao homem e distingue-o dos outros seres vivos. É um processo, um vir a ser, um ir e vir, um avançar e retroceder. Educar é humanizar.

Palavras-chave


Educação. Filosofia. Humanização. Max Scheler.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5335/rep.v24i3.7765