O jovem Nietzsche e as instituições de formação alemãs

  • Alexander Gonçalves Universidade Estadual do Norte do Paraná
  • Antônio Carlos de Souza Universidade Estadual do Norte do Paraná
Palavras-chave: Bildung. Cultura. Estilo. Língua.

Resumo

De um modo geral, o posicionamento do jovem Nietzsche frente às instituições de formação alemãs (deutsche Bildungsanstalten) se encontra na esteira de sua crítica à formação (Bildung) e deve ser compreendido no âmbito maior de seu projeto de reforma (ou reedificação) da cultura alemã (deutsche Kultur). Partindo da análise da crítica nietzschiana à formação (Bildung) alemã, primeiramente pela via do filisteu da formação (Bildungsphilister) e em seguida pela via dos estabelecimentos de formação alemães, nosso escopo será mostrar de que modo a língua materna, para o jovem Nietzsche, constitui um elemento fundamental para a formação do homem, bem como para a constituição da cultura de um povo. Isso justifica a preocupação nietzschiana com o seu tratamento por parte dos filisteus da formação, bem como com o seu ensino nas instituições de formação alemãs, que, para o jovem filólogo, deve ser conduzido de forma rigorosa e sempre sob a batuta do gênio.

Biografia do Autor

Alexander Gonçalves, Universidade Estadual do Norte do Paraná
Doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Professor no Colegiado de Filosofia do Centro de Ciências Humanas e Educação da Universidade Estadual do Norte do Paraná.
Antônio Carlos de Souza, Universidade Estadual do Norte do Paraná
Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professor no Colegiado de Filosofia do Centro deCiências Humanas e Educação da Universidade Estadual do Norte do Paraná.
Publicado
2017-12-19
Como Citar
Gonçalves, A., & Souza, A. (2017). O jovem Nietzsche e as instituições de formação alemãs. Revista Espaço Pedagógico, 24(3), 533-551. https://doi.org/10.5335/rep.v24i3.7764