Biologia do amar: pistas para recriar sensibilidade humana e ambiental

  • Roque Strieder Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
  • Araceli Girardi Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
Palavras-chave: Educação. Biologia do amar. Ternura. Ser humano.

Resumo

O contexto das crises, econômica, de recursos naturais e existenciais são reflexos de crises em âmbito cultural e também de crise no universo das experiências formativas. Crises que evidenciam o desencanto do ser humano, a sensação de vazio interior, o distanciamento interrelacional, ansiedade e angústia traduzidas em estresse e enfermidades somáticas. Como alternativa a esse cenário intranquilo e ameaçador nosso objetivo é propor uma possibilidade formativa a ser desenvolvida em escolas, como ações pedagógicas e formativas no âmbito da biologia do amar em consonância com a ternura. A investigação, com base em referenciais teóricos, tem como fonte principal as contribuições de Maturana e Yáñez (2009) e Fernández (2010). Para os autores muitos são os aspectos que desencadeiam as crises existenciais do Homo sapiens demens e, nesse sentido, a educação torna-se referência fundamental como possibilitadora de experiências formativas estratégicas e despertadoras do emocionar do amar e da ternura como perspectivas humanizadoras.

Biografia do Autor

Roque Strieder, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
Possui graduação em Ciências 1º Grau pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ijuí (1978). Graduação em Ciências Licenciatura Plena Com Habilitação Em Mat pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ijuí (1983). Especialização em Matemática pela Unijuí/RS (1986). Especialização em Adminsitração escolar pela UFSC/SC (1991). Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996). Doutorado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (1999). Atuou como pró-reitor de pesquisa, pós-graduação e extensão da Universidade do Oeste de Santa Catarina no período de maio de 2000 até maio de 2008. Foi editor da revista Visão Global da Unoesc no período de 2007 a 2010. Professor do programa de Mestrado em Educação da Unoesc. Professor em cursos de graduação e especialização. Atua como pesquisador em projetos de pesquisa da Unoesc, do PIBIC/CNPq e da Fapesc, bem como em projetos com fomento local. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, humanização, aprendizagem, valores e ética.
Araceli Girardi, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
Professora da rede Municipal de Monte Carlo/SC e mestranda junto ao programa de Pós-graduação em educação da Unoesc/SC
Publicado
2018-12-13
Como Citar
Strieder, R., & Girardi, A. (2018). Biologia do amar: pistas para recriar sensibilidade humana e ambiental. Revista Espaço Pedagógico, 26(1), 282 - 300. https://doi.org/10.5335/rep.v26i1.7213