Biologia do amar: pistas para recriar sensibilidade humana e ambiental

  • Roque Strieder Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
  • Araceli Girardi Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
Palavras-chave: Educação. Biologia do amar. Ternura. Ser humano.

Resumo

O contexto das crises, econômica, de recursos naturais e existenciais são reflexos de crises em âmbito cultural e também de crise no universo das experiências formativas. Crises que evidenciam o desencanto do ser humano, a sensação de vazio interior, o distanciamento interrelacional, ansiedade e angústia traduzidas em estresse e enfermidades somáticas. Como alternativa a esse cenário intranquilo e ameaçador nosso objetivo é propor uma possibilidade formativa a ser desenvolvida em escolas, como ações pedagógicas e formativas no âmbito da biologia do amar em consonância com a ternura. A investigação, com base em referenciais teóricos, tem como fonte principal as contribuições de Maturana e Yáñez (2009) e Fernández (2010). Para os autores muitos são os aspectos que desencadeiam as crises existenciais do Homo sapiens demens e, nesse sentido, a educação torna-se referência fundamental como possibilitadora de experiências formativas estratégicas e despertadoras do emocionar do amar e da ternura como perspectivas humanizadoras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roque Strieder, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
Possui graduação em Ciências 1º Grau pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ijuí (1978). Graduação em Ciências Licenciatura Plena Com Habilitação Em Mat pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ijuí (1983). Especialização em Matemática pela Unijuí/RS (1986). Especialização em Adminsitração escolar pela UFSC/SC (1991). Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996). Doutorado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (1999). Atuou como pró-reitor de pesquisa, pós-graduação e extensão da Universidade do Oeste de Santa Catarina no período de maio de 2000 até maio de 2008. Foi editor da revista Visão Global da Unoesc no período de 2007 a 2010. Professor do programa de Mestrado em Educação da Unoesc. Professor em cursos de graduação e especialização. Atua como pesquisador em projetos de pesquisa da Unoesc, do PIBIC/CNPq e da Fapesc, bem como em projetos com fomento local. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, humanização, aprendizagem, valores e ética.
Araceli Girardi, Universidade do Oeste de Santa Catarina, Campus de Joaçaba
Professora da rede Municipal de Monte Carlo/SC e mestranda junto ao programa de Pós-graduação em educação da Unoesc/SC
Publicado
2018-12-13
Como Citar
STRIEDER, R.; GIRARDI, A. Biologia do amar: pistas para recriar sensibilidade humana e ambiental. Revista Espaço Pedagógico, v. 26, n. 1, p. 282 - 300, 13 dez. 2018.