O retorno da aula expositiva no ensino de História: notas para uma prática fabulatória

  • Nilton Mullet Pereira Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  • Gabriel Torelly Professor de História do Projeto Educacional Alternativa Cidadã.
Palavras-chave: Aula expositiva. Fabulação. Ensino.

Resumo

O texto trata do elemento central do fazer docente e do ensino de História: a aula expositiva. Argumenta a respeito do papel da aula expositiva e problematiza o caráter narrativo da exposição do professor de História, uma vez que este cria um cenário e dá um tom dramático à narrativa histórica. Problematiza a exposição didática e oferece uma análise das críticas que essa estratégia tem recebido. Nesse sentido, procura-se despir a aula expositiva do tom seco e árido que sempre a acompanhou, bem como da sua íntima ligação com um ensino tradicional de História. Do mesmo modo, pretende-se dar relevância aos diferentes modos expressivos que acompanham a narrativa didática na aula, afirmando-se que esse é um dos momentos mais importantes e decisivos da relação ensino-aprendizagem nesse conteúdo. Além disso, a teorização a respeito da faculdade da fabulação pode bem permitir uma nova experiência com aulas expositivas, uma vez sustentada a ideia de que uma exposição oral em uma aula de História implica uma estratégia fabulatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nilton Mullet Pereira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Graduado em História e Doutor em Educação. Professor da área de ensino de História na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Gabriel Torelly, Professor de História do Projeto Educacional Alternativa Cidadã.
Graduado em História e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor de História do Projeto Educacional Alternativa Cidadã.
Publicado
2014-09-23
Como Citar
PEREIRA, N.; TORELLY, G. O retorno da aula expositiva no ensino de História: notas para uma prática fabulatória. Revista Espaço Pedagógico, v. 21, n. 2, 23 set. 2014.