Possibilidades e limites da postura colaborativa e investigativa do professor como tática de enfrentamento da complexidade da docência

  • Eliane Matesco Cristovão Universidade Estadual de Campinas
  • Juliana Facanali Castro Professora e coordenadora de Matemática da rede particular de Campinas.
Palavras-chave: Colaboração. Postura investigativa. Professor. Matemática. Possibilidades. Limites.

Resumo

Como pesquisadoras da complexidade da docência e da formação de professores em contextos colaborativos, apresentamos e discutimos alguns desafios enfrentados cotidianamente por professores que ensinam matemática, bem como possíveis táticas (DE CERTEAU, 1994) para seu enfrentamento. Descrevemos alguns desses desafios, permeando referenciais teóricos sobre as temáticas com reflexões provenientes de nossas experiências docentes e de integrantes de grupos colaborativos e investigativos. Apontamos a postura investigativa e o apoio de grupos colaborativos (FIORENTINI, 2004) ou comunidades de investigação/aprendizagem (COCHRAN-SMITH; LYTLE, 1999) como caminhos possíveis para auxiliar os professores no enfrentamento desses desafios. Entretanto, reconhecemos que essas alternativas possuem limitações, principalmente, quando os desafios apresentados aos professores ultrapassam as fronteiras das salas de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Matesco Cristovão, Universidade Estadual de Campinas
Doutoranda em Educação Matemática vinculada ao Programa de Pós-Graduação da FE/Unicamp, grupo Prapem. Professora e coordenadora do Curso de Licenciatura em Matemática da Faal.
Juliana Facanali Castro, Professora e coordenadora de Matemática da rede particular de Campinas.
Doutoranda em Educação Matemática vinculada ao Programa de Pós-Graduação da FE/Unicamp, grupo Prapem. Professora e coordenadora de Matemática da rede particular de Campinas.
Publicado
2013-10-04
Como Citar
CRISTOVÃO, E.; CASTRO, J. Possibilidades e limites da postura colaborativa e investigativa do professor como tática de enfrentamento da complexidade da docência. Revista Espaço Pedagógico, v. 20, n. 1, 4 out. 2013.