Pensamento e linguagem: cultura e aprendizagem

  • Adriane Cenci Universidade Federal de Santa Maria
  • Fabiane Adela Tonetto Costas Universidade Federal de Santa Maria
Palavras-chave: Dificuldades de aprendizagem. Linguagem. Escola. Sujeito sócio-histórico-cultural.

Resumo

O trabalho trata da relação pensamento–linguagem – dificuldades de aprendizagem, dando destaque aos aspectos culturais, que centralizam a discussão. Para tanto, recorre principalmente a Vygotsky (1991, 1993), que aborda pensamento e linguagem, e a Soares (1997), que traz a questão da linguagem para o contexto escolar, relacionando-a ao fracasso escolar. Para Vygotsky, a relação pensamento/linguagem não é estática, mas está em constante modificação a partir da interação social. O autor destaca que existem diferentes linguagens relacionadas a grupos sociais e culturas específicas, não afirmando que algumas fossem melhores que outras. A diversidade na escola é algo que a caracteriza, mas, frequentemente, ignora-se tal fato: a diferença se transforma em deficiência, dificuldade que está no aluno. No texto busco perceber as dificuldades de aprendizagem não centradas no aluno, mas sim no processo– processo que envolve a interação professor-aluno, a “bagagem cultural”e a história de ambos, o meio social da criança e da escola e o quê e como se pretende “ensinar”. A característica de “ser aprendente” é típica do ser humano, sujeito sócio-histórico-cultural.

Biografia do Autor

Adriane Cenci, Universidade Federal de Santa Maria
Mestranda em Educação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Santa Maria.
Fabiane Adela Tonetto Costas, Universidade Federal de Santa Maria
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003). Professora Adjunta do Departamento de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSM
Publicado
2012-01-27
Como Citar
Cenci, A., & Costas, F. (2012). Pensamento e linguagem: cultura e aprendizagem. Revista Espaço Pedagógico, 16(2). https://doi.org/10.5335/rep.2013.2213