A receptividade e a difusão do pensamento de John Dewey no Brasil entre 1930 e 1960

Palavras-chave: John Dewey. Difusão. Educação. Receptividade. Brasil.

Resumo

Ao comemorar, em 2019, 160 anos de nascimento do filósofo John Dewey, há interesse em saber como a sua filosofia tem sido explorada nas reflexões escolares no Brasil. Frente a isso, indaga-se: qual a receptividade do pensamento de John Dewey no Brasil e a difusão atual de suas ideias? A tarefa é árdua, no entanto, necessária, dadas as leituras e interpretações feitas no Brasil por meio do pensamento de John Dewey. O objetivo central do ensaio consiste em entender como e em que medida houve difusão do pensamento filosófico de John Dewey no Brasil bem como os desafios atuais para que a difusão de suas ideias continue. Não se ousa esquadrinhar todos os escritos sobre Dewey no Brasil, pois isso resultaria em uma tarefa impraticável. A metodologia está circunscrita a uma pesquisa bibliográfica que busca evidenciar a receptividade do pensamento de Dewey e atual difusão de suas ideias no período de 1930 a 1960. A hipótese é de que, considerando a grande contribuição da filosofia deweyana na educação brasileira, ainda há muito o que ser explorado e pesquisado, não obstante a caudalosa literatura já produzida sobre ele no Brasil. Isso é apontado com um desafio para a formação humana integral e crítica. Os resultados demonstram que a democracia e a liberdade de expressão, fundamentadas na filosofia revolucionária de John Dewey, ganham peso ao permitirem um maior desenvolvimento dos indivíduos. Argumenta-se que, no Brasil, quanto mais a sua filosofia estiver presente nas atividades escolares, mais fornecerá instrumentos para a manutenção emocional e intelectual dos educandos e, consequentemente, para um maior aporte à educação no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Mendonça, Universidade de Campinas (PUC-Campinas, Brasil).
Pós-doutorado pelo Departamento de Economia da Educação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP, Brasil). Bolsista Produtividade em pesquisa do CNPq. Professor Titular vinculado ao Programa de Pósgraduação em Educação, Mestrado e Doutorado, na Pontifícia Universidade de Campinas (PUC-Campinas, Brasil).
José Aguiar Nobre, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP Brasil).
Doutor em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ Brasil). Docente da Faculdade de Teologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP Brasil).
Publicado
2020-02-01
Como Citar
MENDONÇA, S.; NOBRE, J. A receptividade e a difusão do pensamento de John Dewey no Brasil entre 1930 e 1960. Revista Espaço Pedagógico, v. 27, n. 1, p. 244-266, 1 fev. 2020.