Revista Desenredo http://seer.upf.br/index.php/rd <p>A Revista <em>Desenredo</em> foi criada pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo - UPF. O título da revista é baseado em um conto de Guimarães Rosa, publicado na obra <em>Tutaméia</em>, de 1967. Para quem não teve o prazer de ler esse texto, a narrativa trata de um marido apaixonado que, perante a reconhecida infidelidade da esposa, procura reconstruir ou desconstruir, pela persistência e pela linguagem, a má reputação da mulher: “Entregou-se a remir, redimir a mulher, à conta inteira. Incrível? É de notar que o ar vem do ar. De sofrer de amar, a gente não se desafaz.” A tentativa de fazer e refazer as verdades, de tornar a cada verdade uma outra, mais “nua e pura”, talvez seja, afinal, a meta dos editores e dos autores da <em>Desenredo</em>, periódico quadrimestral que atenta a diferentes temáticas, assuntos e questões, a cada volume, sob a ótica das áreas e das linhas de pesquisa que compõem o Mestrado em Letras da UPF.</p> <p>A Revista <em>Desenredo</em> adota o DOI (Digital Object Identifier) desde 2013 e, atualmente, é qualificada como B1 no Webqualis da Capes. Desde janeiro de 2015, é publicada somente em versão on-line, em três números por ano, contando com o apoio técnico e editorial da Editora UPF.</p> <p>ISSN Eletrônico:&nbsp;2236-5400</p> <p>&nbsp;</p> pt-BR <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons"></a><br>Este artigo está licenciado com a licença&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a>.</p> fcofianco@upf.br (Francisco Fianco) editora@upf.br (Editora UPF) Sex, 11 Nov 2022 00:00:00 -0300 OJS 3.1.1.2 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Sumário http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/14041 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/14041 Sex, 11 Nov 2022 17:09:46 -0300 Editorial http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/14042 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/14042 Sex, 11 Nov 2022 00:00:00 -0300 Alteridade e terapia: um olhar bakhtiniano para o conceito de construção na psicanálise freudiana http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12954 <p>As críticas de Volóchinov a Freud, mais conhecidas pela obra <em>O freudismo</em>, de 1927, se, por um lado, desabonam a psicanálise por entendê-la como uma vertente do subjetivismo, por outro, alternativamente, valorizam o aspecto alteritário e discursivo do acontecimento psicanalítico. Falecido em 1936, Volóchinov não avaliou os últimos textos freudianos, como <em>Construções na análise</em>, de 1937, que poderiam nortear importantes discussões sobre a relação entre alteridade e o tratamento psicanalítico. Ampliando esta reflexão e considerando produções que aprofundam o conceito de alteridade e de psicanálise, temos como objetivo neste artigo discutir as contribuições do conceito bakhtiniano de alteridade ao contemplar o funcionamento das construções no tratamento psicanalítico. Com uma pesquisa bibliográfica, propomos contribuições bakhtinianas enfocando (i) a singularidade dos papéis desempenhados pelos sujeitos na sessão; (ii) o tensionamento das verdades analíticas e (iii) a experimentação de axiologias e vozes discursivas a partir de aproximações e distanciamentos entre analista e analisando.</p> Eduardo da Silva Moll, Maria da Glória Corrêa di Fanti ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12954 Sex, 24 Set 2021 16:18:24 -0300 Um devir-vegetal na Coreia do Sul de Han Kang http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13093 <p>Marcada por um pensamento rizomático, a filosofia francesa de Gilles Deleuze e Felix Guattari aponta possibilidades de criar rotas de fuga a partir de novos modos de existência, para além daqueles validados por uma arquitetura da vida tradicional. Propomos, neste artigo, discorrer sobre a constituição de um devir-vegetal que emerge no romance <em>A vegetariana</em> (2019), da sul-coreana Han Kang. Em um campo de multiplicidades e de desdobramentos da diferença, um devir-vegetal, ao tornar-se real na narrativa de Kang, aponta para um modo de vida minoritário ou para um modo de subjetividade vegetal. As análises advogam que o devir-vegetal vivido pela personagem Yeonghye não se limita à decomposição de um corpo, mas implica reconhecer uma outra existência na multiplicidade da vida, entendendo a planta como ser vivo e inteligente (MANCUSO; VIOLA, 2018).&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> José Veranildo Lopes da Costa Junior, Josilene Pinheiro-Mariz ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13093 Ter, 15 Mar 2022 13:26:54 -0300 Etnografar Clarice: por uma didática do olhar, do ouvir, do escrever e do sentir http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13038 <p>Este ensaio objetiva refletir sobre a construção de um método para a investigação da autoria em Clarice Lispector, no campo da análise do discurso pêcheutiana. Visando a traçar um percurso metodológico, recorre-se à articulação entre literatura, psicanálise e ciências sociais, compondo uma bricolagem científica e metodológica. São destacadas a necessidade de considerar os elementos biográficos, materiais e históricos da obra de Clarice e, também, as posições-autor assumidas não apenas por ela, mas também pelo analista do discurso em sua escrita e na produção de gestos de interpretação. Aos vértices eminentemente destacados no fazer do antropólogo – o olhar, o ouvir e o escrever – incluímos a necessidade do sentir como possibilidade de afetação do pesquisador pelo seu campo, no caso, pela obra de Clarice Lispector. O etnografar no contexto da pesquisa sobre a autoria, nesse sentido, é empregado como metáfora para uma afetação da, na e através da escrita.</p> Fabio Scorsolini-Comin, Soraya Maria Romano Pacífico ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13038 Seg, 04 Abr 2022 00:00:00 -0300 Poética dos rios: reflexo do sujeito perante as águas em poemas de Juan L. Ortiz e Max Martins http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13075 <p>Emanuele Coccia nos propõe uma <em>verdade vegetal </em>a partir de uma reflexão filosófica que vai além da interpretação do <em>ser animal</em>, dando espaço para uma linha de pensamento baseada nas plantas e nos fungos, por exemplo. Apoiados na leitura de Coccia, somos capazes de dar um passo a diante, propondo a compreensão, ainda que parcial, de uma <em>poética dos rios</em> que, aqui, se alicerçará a partir da apreciação de dois poemas: <em>Fui al río</em>, de Juan L. Ortiz e <em>Viagem</em> de Max Martins. Nossa leitura se apoiará, sobretudo, na simbologia da água presentes em Bachelard e na relação poética da figura dos rios com a morte, a transformação e a angústia, a partir, sobretudo, de Lacan e de Heidegger.</p> Mariana Vieira, Paula Glenadel Leal ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13075 Dom, 29 Mai 2022 00:00:00 -0300 Do gesto repetido ao gozo afirmativo: a escrita da repetição em "Água viva", de Clarice Lispector http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13095 <p>Objetiva-se evidenciar como, por meio da repetição, opera-se a passagem para um gesto afirmativo em <em>Água viva</em>, de Clarice Lispector. Tomo como hipótese a ideia de que, pela ação iterada, o sujeito que narra, faz um mergulho na pulsão dionisíaca para afirmar a tragicidade da vida. Para sustentar essas ideias, leio a obra sob um viés comparatista, à luz dos pressupostos teóricos advindos da Psicanálise de orientação lacaniana e da Filosofia nietzscheana. Trata-se, portanto, de um trabalho de natureza bibliográfica que entrecruza o discurso literário com outros saberes, numa perspectiva interdisciplinar e comparatista.</p> Gilson Antunes da Silva ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13095 Sex, 04 Mar 2022 00:00:00 -0300 O Remédio e a bula: a memória involuntária e o olfato em Cloro, de Alexandre Vidal Porto http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13092 <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>RESUMO &nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</strong>Este artigo propõe analisar o romance <em>Cloro</em> de Alexandre Vidal Porto tendo, como referência, o conceito de memória involuntária de Walter Benjamin assim como &nbsp;as reflexões de Gagnebin sobre o tema e contando, ainda, com o auxílio de algumas noções freudianas sobre a memória. O romance nos apresenta Constantino, personagem principal cuja existência é marcada por conflitos relacionados à sua sexualidade em relatos nos quais sobressaem diversos odores que pontuam sua história de vida por meio de lembranças que ocupam o centro da narrativa.</p> <p><strong>PALAVRAS-CHAVE</strong></p> <p>Cloro; Memória; Walter Benjamin; Sigmund Freud; Alexandre Vidal Porto</p> José Luiz Cordeiro Dias Tavares, Elizabeth Cardoso ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13092 Ter, 02 Nov 2021 16:25:55 -0300 Retalhos de comoção: o acontecimento estésico em Inspiração de Mário de Andrade http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13115 <p>Neste trabalho, analisamos o poema <em>Inspiração</em>, de Mário de Andrade, integrante de <em>Paulicéia Desvairada</em> (1921), considerada a primeira obra essencialmente moderna do escritor. Com base no instrumental teórico da semiótica francesa, nosso objetivo é apreender a construção dos sentidos do poema, que se constitui como um acontecimento estésico. Nessa perspectiva, observamos a relação sensorial entre o sujeito poético e o objeto ‘São Paulo’, a ruptura de isotopia e as homologações estabelecidas entre categorias da expressão e de conteúdo do texto, a partir do conceito de semissimbolismo. Partimos da premissa de que o poema “Inspiração”, lido durante a Semana de Arte Moderna, e em sua singularidade, contribuiu para que o Modernismo, enquanto movimento de ruptura em relação a valores artísticos e literários convencionais e acadêmicos, vigentes à época, de maneira estética e ética, pode ser concebido como um “belo gesto”.</p> Nayara Christina Herminia Carrijo, Vera Lúcia Rodella Abriata ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13115 Qua, 12 Jan 2022 15:34:09 -0300 “A terceira margem do rio”: água, exílio e as infinitas possibilidades em Guimarães Rosa http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13002 <p>A literatura, em seu plano semântico, pode conter múltiplos sentidos e devires. Dependendo do grau de profundidade da leitura pretendida, podemos explorar situações e fazer considerações jamais antes pensadas. Em um confronto com "<em>A terceira margem do rio"</em>, de Guimarães Rosa, numa relação de exílio e melancolia, através de uma riqueza linguística ímpar, esboçamos, pelos processos rizomáticos propostos pelos filósofos pós-modernos Gilles Deleuze e Félix Guattari, encontrar mais uma das inúmeras chaves de leitura que o texto pode nos proporcionar. Dessa maneira, a investigação buscou compreender, como nova chave, as águas, imagens oníricas elaboradas pelo escritor, como um mote essencial de sua narrativa.</p> Adilson Silva Santos, Stefania Rota Chiarelli ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13002 Ter, 21 Jun 2022 17:01:16 -0300 Gozoso e doloroso: a estética do corpo no romance As pequenas mortes de Wesley Peres http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13098 <p>O presente artigo analisa o romance <em>As pequenas mortes</em> (2013), de Wesley Peres, ressaltando a representação estética do corpo na narrativa. A partir de considerações sobre a literatura brasileira contemporânea, a análise da representação do corpo físico do personagem Felipe Werle aborda a dicotomia existencial de um corpo que goza, mas que também sofre pelo mesmo motivo: é corpo. A sustentação teórica dos conceitos de gozo e dor, baseada nos estudos psicanalíticos empreendidos por pesquisadores, dedica-se a inventariar e explicitar as pulsões obsessivas do narrador em torno do sexo, da morte e do câncer, as quais fazem do corpo do protagonista objeto de análise e descrição de seus próprios excessos, culminando em uma estética cuja urdidura é tecida ao longo do discurso literário, altamente poético, filosófico e metaficcional.</p> <p><strong>Palavras–chave</strong>: Wesley Peres; Literatura contemporânea; Corpo; Gozo</p> <p>&nbsp;</p> Fábio Tibúrcio Gonçalves, Luciana Borges ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13098 Ter, 21 Jun 2022 17:09:01 -0300 O Inquietante Freudiano em "A amiga Genial", de Elena Ferrante http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13111 <p>A Amiga Genial (2015) é o primeiro romance da tetralogia napolitana, série de romances contemporâneos escritos por Elena Ferrante, autora italiana que conquistou a crítica internacional. Este artigo pretende analisar as implicações da multiplicidade e fragmentação da identidade como retratado em A Amiga Genial (2015), de Elena Ferrante, a partir da teoria e do conceito de “inquietante” proposto por Freud (1919). Também usamos da literatura de Agamben (2009) e Gagnebin (2014). Usamos da teoria do psicanalista Freud para conduzir um olhar diferente sobre a amizade complexa e convoluta entre Lenu e Lila, amizade esta que é a base do romance de Ferrante.</p> Ailla Rakel Viegas Gonçalves, Andrea Teresa Martins Lobato ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13111 Seg, 11 Jul 2022 20:05:39 -0300 Os espelhos na literatura: a (des)construção intertextual http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13637 <p>Este artigo reflete sobre a recriação textual como apropriação e/ou (re)construção de formas e temas de outras obras para a composição de outro texto na relação texto-base (primitivo) e texto parodiado ou parafraseado (derivados) e nisso a demarcação das fronteiras entre o imaginário e o simbólico. Segue-se a linha da literatura comparada onde o texto pode ser produzido a partir do diálogo, do hibridismo, de trocas e de retomadas em que a máscara investe na duplicidade no plano do conteúdo e na percepção e significação no plano da interlocução do discurso. Igualmente, serve-se da Semiótica no sentido de que no signo o antecedente-expressão mostra-se no corpo-objeto ou no corpo-sujeito no ato do destruir para (re)construir, de reler para reescrever ao usar o duplo na linguagem e no sentido nas teses da máscara em Josef; dos espelhos em Eco; do “empoderamento” em Foucault, da desconstrução em Culler, da carnavalização em Kristeva e da recriação intertextual em Sant´Anna, Dixon e Weschefelder. E isso aplicado nos contos de Ovídio (A beleza de Narciso) como texto primitivo para a paródia de Machado de Assis (O espelho) e este em diálogo parafrásico com <em>O espelho,</em> de Guimarães Rosa.</p> <p>PALAVRAS-CHAVE: Recriação intertextual; Literatura comparada; Semiótica.</p> Ivânia Campigotto Aquino, Gilmar Azevedo ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13637 Dom, 05 Jun 2022 17:27:27 -0300 Literatura e expressão de emoções: o caso “Otelo” http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13869 <p>O presente texto tem como tema a questão das emoções na literatura a partir de uma perspectiva filosófica. Ainda que tradicionalmente desprezadas na filosofia, uma incursão pelos estudos de estética nos mostra que ela, literatura, pode ajudar a entender filosoficamente as emoções a partir de, pelo menos, três aspectos: como recalibração, como compreensão e como clarificação. A partir desta construção conceitual, analisaremos as emoções presentes na tragédia Otelo, de Shakespeare.</p> Francisco Fianco, Gerson Trombetta ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13869 Sex, 30 Set 2022 16:52:57 -0300 O Iago de Agatha de Christie: a recriação de um personagem shakespeariano http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/10983 <p>No âmbito da ficção, é bastante comum observar a retomada e a recriação de personagens como Dom Juan, Fausto, Marguerite Gautier, Emma Bovary, Dom Quixote, dentre outros. Partindo dessa premissa, o objetivo de nosso artigo é estabelecer conexões entre os personagens Norton do romance <em>Cai o pano</em>, de Agatha Christie, e Iago, da peça <em>Otelo</em>, de William Shakespeare, evidenciando o fato de que Norton é uma recriação do personagem shakespeariano, por apresentar características e atuar de maneira semelhante à de Iago. Como apoio teórico, empregamos os textos dos seguintes críticos: Reis (2017), Souto (2016), Bloom (2001), Heliodora (2014), York (2007), Menegheti (2014), Hopkins (2016). Portanto, ao traçar paralelos entre Iago e Norton, foi possível constatar que este é uma recriação daquele e um ente ficcional que se filia à linhagem do anti-herói shakespeariano, agindo como um ser diabólico e perverso, que consegue instigar terceiros a praticar crimes, sem se comprometer e sem que a lei possa puni-lo.</p> <p>&nbsp;</p> Altamir Botoso ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/10983 Seg, 19 Abr 2021 16:54:58 -0300 A escrita como prática social e (auto)reflexão no processo de formação de professores: uma experiência com a produção de biograficzines http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11501 <p>Este trabalho analisa a experiência de produção de biograficzines sob o viés da escrita como prática social e (auto)reflexão no processo de formação de professores de língua materna. O aporte teórico se engendra a partir de dois eixos: o dos Estudos do Letramento, pensando a linguagem como delineadora das práticas sociais, o que aponta mudanças significativas para a formação docente de professores de línguas; e o da narrativa de vida como mecanismo (auto)(trans)formador e (auto)reflexivo. A metodologia se vale dos subsídios da pesquisa-ação. A experiência foi realizada com alunas da licenciatura em Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC), no semestre 2018.1. Os resultados permitem a conclusão de que, por meio da (auto)reflexão propiciada pela produção de biograficzines, sujeitos em formação inicial podem vivenciar a linguagem no âmbito das práticas sociais, o que potencialmente ressignifica suas experiências de ensino e se revela como um transformador de sua futura práxis docente.</p> Priscila Sandra Ramos de Lima, Francisco Rogiellyson da Silva Andrade, Sandra Maia Farias Vasconcelos ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11501 Sáb, 19 Jun 2021 20:05:23 -0300 Uma proposta de escolarização da poesia no ensino médio a partir do cordel “A morte de Nanã”, de Patativa do Assaré http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12541 <p>O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma proposta de Oficina Literária, baseada em uma sequência didática expandida (Cosson, 2014 [2020]), que visa a aprimorar o processo de leitura e de escolarização da poesia no Ensino Médio. Como <em>corpus</em> do trabalho selecionamos o cordel “A morte de Nanã”, de Patativa do Assaré. Metodologicamente, é uma pesquisa qualitativa e bibliográfica. Como fundamentação teórica adotamos os seguintes autores: Candido (1988 [2017]), Cosson (2014 [2020]), Zumthor (1997), Lajolo (1982), Vitor Manoel de Aguiar e Silva (2007), Compagnon (2009), Rouxel (2012), Ferreira (1993), Hall (2006), Zilberman (2003), Foucambert (1994), Soares (2006), Alves (2008), Pinheiro (2008), Marinho e Pinheiro (2012). Utilizamos ainda algumas ideias de Franco e Testa (2017), Alves e Testa (2019), Feitosa (2001), Brandão (2009), Rojo (2004) entre outros. Como resultados, apontamos a perspectiva de que proporcionar vivências com texto de poesia na sala de aula ajuda a desenvolver competências leitoras e ainda conduz à uma efetivação do letramento literário. Além disso, o poema de Assaré oportuniza a compreensão simbólica, social e psíquica da literatura de cordel e também traz à luz o conhecimento da cultura nordestina em diferentes perspectivas.</p> Eliane Cristina Testa, Kathianne Carneiro Borges Carvalho ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12541 Qui, 03 Jun 2021 00:00:00 -0300 Um retrato variacionista do apagamento da dental /d/ no morfema de gerúndio no estado do Ceará http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/9491 <p>Abordamos, neste estudo, o apagamento da dental /d/ no morfema de gerúndio, a partir de dados do Atlas Linguístico do Brasil - ALiB, na perspectiva da Sociolinguística Variacionista, com o objetivo de verificar a atuação de fatores linguísticos e extralinguísticos sobre a regra de apagamento. Tomamos uma amostra constituída por 48 informantes provenientes de 12 localidades do Ceará: Camocim, Canindé, Crateús, Crato, Fortaleza, Iguatu, Ipu, Limoeiro do Norte, Quixeramobim, Russas, Sobral e Tauá. Dos 513 dados coletados, 179 (34,9%) pertenciam ao apagamento. Apenas as variáveis <em>localidade</em>, <em>localidade vs. faixa etária</em> e<em> tipo de vogal temática</em> se mostraram relevantes para o apagamento.</p> Rakel Beserra de Macedo Viana, Cassio Murilio Alves de Lavor, Aluiza Alves de Araújo ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/9491 Qui, 05 Ago 2021 16:09:05 -0300 Diretrizes para autores http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/14043 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/14043 Sex, 11 Nov 2022 17:14:39 -0300