Revista Desenredo http://seer.upf.br/index.php/rd <p>A Revista <em>Desenredo</em> foi criada pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo - UPF. O título da revista é baseado em um conto de Guimarães Rosa, publicado na obra <em>Tutaméia</em>, de 1967. Para quem não teve o prazer de ler esse texto, a narrativa trata de um marido apaixonado que, perante a reconhecida infidelidade da esposa, procura reconstruir ou desconstruir, pela persistência e pela linguagem, a má reputação da mulher: “Entregou-se a remir, redimir a mulher, à conta inteira. Incrível? É de notar que o ar vem do ar. De sofrer de amar, a gente não se desafaz.” A tentativa de fazer e refazer as verdades, de tornar a cada verdade uma outra, mais “nua e pura”, talvez seja, afinal, a meta dos editores e dos autores da <em>Desenredo</em>, periódico quadrimestral que atenta a diferentes temáticas, assuntos e questões, a cada volume, sob a ótica das áreas e das linhas de pesquisa que compõem o Mestrado em Letras da UPF.</p> <p>A Revista <em>Desenredo</em> adota o DOI (Digital Object Identifier) desde 2013 e, atualmente, é qualificada como B1 no Webqualis da Capes. Desde janeiro de 2015, é publicada somente em versão on-line, em três números por ano, contando com o apoio técnico e editorial da Editora UPF.</p> <p>ISSN Eletrônico:&nbsp;2236-5400</p> <p>&nbsp;</p> pt-BR <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons"></a><br>Este artigo está licenciado com a licença&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a>.</p> fcofianco@upf.br (Francisco Fianco) editora@upf.br (Editora UPF) Qui, 18 Nov 2021 00:00:00 -0300 OJS 3.1.1.2 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Sumário http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13170 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13170 Qui, 18 Nov 2021 15:08:41 -0300 Editorial http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13171 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13171 Qui, 18 Nov 2021 15:11:16 -0300 O Narrador Demoníaco do Romance Os Tambores Silenciosos http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12614 <p>Este artigo pretende interpretar a obra <em>Os tambores silenciosos</em>, de Josué Guimarães, em relação à construção de sentidos quanto aos estatutos narratológicos e seus constituintes interpretativos. Assim, focalizando o gênero romanesco, associará dois elementos característicos à narrativa, ora na ordem do narrador, ora no campo dos estudos da personagem. Como diegese, a narrativa que foca na trajetória individual do herói, na sua psicologia demoníaca, de acordo com György Lukács. Para tanto, a condição do personagem, dissociado e em busca, é transmigrada para a função de narrar, característica e complexa no que diz respeito ao romance. Ademais, é necessário considerar os modos da compreensão do romance postulados por Jean Pouillon, na obra <em>O tempo no romance</em>, que propõe a distinção formal de duas visões: “por detrás” e “com”, a partir do olhar das irmãs Pilar, que o leitor acompanha na narrativa. Dessa forma, é necessário compreender a voz que narra e busca algo nos voos dessa perspectiva que tenta desvelar a vida e busca alguma reordenação na degradação do mundo, baseando-se em Todorov no que tange às visões de Pouillon, bem como a perspectiva de Gérard Genette complementa o estudo do narrador, tratando da focalização.</p> Loreci Alves Marins, Miguel Rettenmaier ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12614 Seg, 31 Mai 2021 14:26:02 -0300 Arte e Programas de Inteligência Artificial: GPT-2, GPT-3, Wu Dao 2.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12652 <p>O texto faz parte de uma pesquisa tentando relacionar o estudo do manuscrito com a inteligência artificial.&nbsp; A partir da roda da escritura, verifico em que medidas os programas GPT e Wu Dao 2.0 podem seguir ou não a roda. Se para os GPT 2 e 3, parece obvio que não tendo subjetividade, é impossível percorrer a roda, ficamos em dúvida quanto ao programa chinês devido à enorme capacidade jamais visto até hoje.</p> Philippe Willemart ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12652 Qui, 10 Jun 2021 19:19:34 -0300 Notícias de D. Xicote: a presença de Josué Guimarães no sistema literário da Serra Gaúcha http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12791 <p>Neste artigo, investigamos a presença de Josué Guimarães na imprensa escrita de Caxias do Sul, entre os anos 1950 e 1980, com vistas a refletir sobre a influência da literatura suprarregional na formação e na consolidação do sistema literário da Serra Gaúcha. O enfoque volta-se aos jornais <em>A Época, Pioneiro,</em> <em>Diário do Nordeste </em>e <em>Jornal de Caxias</em>, que fazem menções ao escritor em entrevistas, colunas sociais, listas de obras mais vendidas, simulados de vestibular e notícias sobre publicação de livros. Chama a atenção, de modo especial, a existência de colunas assinadas pelo pseudônimo D. Xicote em dois desses periódicos, no início da década de 1950.</p> João Claudio Arendt, Leticia Lima ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12791 Seg, 23 Ago 2021 00:00:00 -0300 Miticidade e paródia: figurações da Virgem Maria e Maria Madalena no romance O Evangelho segundo Jesus Cristo, de José Saramago e no conto “A doce luz verde”, de Josué Guimarães http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12792 <p>A miticidade que envolve a figura da mãe de Jesus em seu caráter virginal e puro, e a de Maria Madalena, uma das imagens femininas mais controversas do cristianismo, são <em>topoi</em> na cultura ocidental, sendo recorrentemente revisitados pela literatura e pelas artes. Nesse sentido, o presente trabalho tem por objetivo apresentar uma leitura interpretativa do conto “A doce luz verde”, que integra a coletânea <em>O gato no escuro</em>, do escritor Josué Guimarães. Conduzimos nossas reflexões a partir de uma leitura paródica, nos termos de Hutcheon (1985), e do mito mariano na medida em que propomos aproximações com o romance saramaguiano <em>O evangelho segundo Jesus Cristo</em>. Para tanto, revisitamos a figuração da Virgem Maria e Maria Madalena nas obras aqui arroladas, embasando-nos nos estudos de Ferraz (2011), Martins (2004), Bastazin (1999), Eliade (1992), entre outros/as.</p> André Eduardo Tardivo, Sandro Adriano da Silva ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12792 Seg, 02 Ago 2021 00:00:00 -0300 A invasão dos pássaros em Lagoa Branca: elementos fantásticos em Os tambores silenciosos (1976), de Josué Guimarães http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12801 <p>O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma análise interpretativa do romance <em>Os tambores silenciosos</em>, publicado em 1976 por Josué Guimarães. Considerando o vasto leque de possibilidades interpretativas que a obra apresenta, optamos por focalizar a presença dos elementos fantásticos, demonstrando como adquirem contornos de denúncia social, remetendo às questões políticas da seara brasileira da década de 1970.</p> Vicentonio Regis do Nascimento Silva, Ana Maria Soares Zukoski ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12801 Dom, 01 Ago 2021 00:00:00 -0300 Representações de Morte e Recomeço na Literatura Infantil de Josué Guimarães http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12786 <p><em>A última bruxa</em>, instigante e provocativa obra infantil de Josué Guimarães, foi publicada em 1987. Por meio da mobilização da figura da bruxa, Guimarães cria uma história que dialoga com conceitos como morte, vida, eternidade, velhice e recomeço. O objetivo deste trabalho é analisar a obra citada percebendo como as dicotomias morte x vida, fim x recomeço são fundamentais para a compreensão da narrativa.&nbsp; Defendemos nesse trabalho, que a obra apresenta três possibilidades de interpretação; uma alinhada às vivências do leitor infantil – e assim, a história será uma reinterpretação de contos de fadas. Outra que leva em conta o contexto de produção e assim a obra pode ser lida como uma analogia para&nbsp; a abertura democrática brasileira no final dos 1980. E finalmente, uma terceira leitura, que compreende as referências à magia como metáforas para a própria existência humana na Terra – e assim “A última Bruxa” é uma aguda narrativa sobre o sentido da vida.</p> Pedro Afonso Barth ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12786 Ter, 27 Jul 2021 00:00:00 -0300 A presença de Josué Guimarães hoje: atualidade de Os tambores silenciosos http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13016 <p>A permanência de Josué Guimarães agora é examinada através de análise de seu romance <em>Os tambores silenciosos, </em>considerando posições de seus críticos<em>.</em> Com suporte teórico baseado em Tomachevski e Aristóteles, discutem-se a ressignificação dos temas hoje e o metaforismo da obra. O texto realiza paralelos entre o contexto e as personagens do romance e a circunstância histórica atual.</p> Maria da Glória Bordini ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13016 Seg, 04 Out 2021 18:25:33 -0300 Escrita e construções de sentidos: o papel do outro na reelaboração discursiva http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11496 <p>A presente investigação objetivou analisar a reelaboração discursiva do texto fundamentada nas intervenções entre interlocutores interessados a partir da compreensão da resposta ativa do enunciado marcado pela voz do terceiro no discurso. Nesse contexto, problematizou-se: qual o papel do outro no desenvolvimento discursivo do texto? Trata-se de uma investigação de natureza qualitativa do tipo pesquisa-ação. Para a análise dos dados, discutiu-se a perspectiva dialógica do Círculo Bakhtiniano. Os resultados mostraram que, por sua visão excedente, o outro possui papel relevante e determinante na cadeia organizacional e ininterrupta do discurso no texto. No processo de produção textual, o outro assumiu um lugar significativo na reelaboração dos sentidos através de sua réplica, que permite a retomada das ideias do autor, a partir do entrelaçamento das ideologias, e também das vozes de autoridade que constitui o discurso.</p> <p>&nbsp;</p> Adriana Cavalcanti dos Santos, Wilton Petrus dos Santos ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11496 Qui, 07 Jan 2021 00:00:00 -0300 Alfabetização e Letramento: Um Olhar de Professores Alfabetizadores http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11377 <p>Este artigo investiga o processo de alfabetização e letramento numa instituição de ensino da região administrativa de Roraima. Tem como finalidade analisar as concepções de professoras acerca da alfabetização e letramento, identificando ações pedagógicas desenvolvidas em sala de aula. Apresentando como aporte teórico os estudos de vários autores, pesquisadores da temática pesquisada. &nbsp;A pesquisa foi desenvolvida com três docentes que atuavam em turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Realizou-se um estudo qualitativo, como instrumento de pesquisa utilizamos uma entrevista. Os resultados e conclusões apontam que, para cumprir a função, papel e atribuições pertinentes à alfabetização, o docente&nbsp; necessita &nbsp;conhecer as dimensões que perpassam o seu trabalho em sala de aula para, desenvolver sua prática buscando alfabetizar e letrar.</p> <p>&nbsp;</p> Andreia Julio Rocha, Otília Maria Alves da Nobrega Alberto Dantas, Aldileia da Silva Souza ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11377 Qui, 10 Jun 2021 00:00:00 -0300 Alguns aspectos da leitura no Brasil: comportamentos antigos, alternativas possíveis http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12575 <p>O presente trabalho parte de uma análise de alguns dados dos últimos resultados do <em>Programa de Avaliação Internacional dos Alunos</em> (PISA) e do <em>Retratos da Leitura no Brasil</em> (RLB), o primeiro disponibilizado pelo INEP, o segundo pelo Instituto Pró-Livro, na qual se discutem os baixos índices de leitura numa perspectiva que problematiza o perfil do leitor nacional e os equívocos relacionados ao percurso de sua formação quando se procura delineá-lo a partir do espaço escolar, justamente por este espaço se apresentar fragilizado, distante de investimentos de diversas naturezas que, de fato garantam visualizar o perfil do qual tanto se lastima. O intuito não é revelar uma realidade já conhecida para constranger docentes e discentes, mas retomá-la, já que os índices, a nosso ver apontam mais uma vez para ela, e colocá-la em diálogo com os estudos de José Hélder Pinheiro Alves (2013), Antonio Candido (1995), Silvia Castrillón (2011), Graça Paulino e Rildo Cosson (2009), Tzvetan Todorov (2020), Regina Zilberman (2009), entre outros, para sugerir algumas reflexões. No final, apresentamos alternativas possíveis no contexto da educação básica brasileira, como a criação de <em>comunidades interpretativas</em>, aproveitando as orientações de Annie Rouxel (2013), em sintonia com o que propõe Cecilia Bajour (2012) acerca da <em>escuta como prática de leitura</em>, metodologias que, se bem observadas, recuperam aspectos que estão na natureza da recepção do texto literário, o que, por si só, já é uma sugestão.</p> Adauto Locatelli Taufer, Fabiano Tadeu Grazioli ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12575 Ter, 22 Jun 2021 00:00:00 -0300 A argumentação no gênero monografia: uma análise na perspectiva da Linguística de Texto http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11124 <p style="margin: 0px; text-align: justify; line-height: normal;"><span style="margin: 0px; font-family: 'Times New Roman','serif'; font-size: 12pt;">Neste artigo, aborda-se aspectos comunicacionais da sociorretórica e mecanismos ligados à textualidade denominados operadores argumentativos, no gênero monografia. Observa-se em que medida esses elementos auxiliam o escrevente a posicionar-se argumentativamente. Para a execução dessa investigação, coleta-se uma monografia da área de Ciências Humanas, do curso de Comunicação Social, e utiliza-se uma metodologia qualitativa, com base em pressupostos teóricos da Linguística Textual. As análises revelam a execução de movimentos sociorretóricos pelo escrevente e que os operadores argumentativos foram responsáveis pelo cumprimento das sequências argumentativas utilizadas. Verifica-se, portanto, que orientar o discente de graduação sobre esses mecanismos pode instrumentalizá-lo com estratégias que corroborem para cumprindo o teor argumentativo esperado no gênero monografia. </span></p> Márcia Helena de Melo Pereira, Jaqueline Feitoza Santos ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11124 Sex, 20 Ago 2021 00:00:00 -0300 Experiência da escrita: intervenção psicoterapêutica com mulheres em tratamento do câncer de mama http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13013 <p>O adoecer com câncer de mama provoca mudanças físicas e emocionais, causando sofrimento e um confronto com a possibilidade de morte e perdas. Esta pesquisa-intervenção de caráter qualitativo teve como objetivo subsidiar intervenções com mulheres em tratamento oncológico para o câncer de mama. A ideia foi utilizar a escrita compartilhada como estratégia psicoterapêutica que possibilita a expressão da subjetividade e o acesso aos conteúdos emocionais para ressignificá-los. Para tanto, foi proposta a duas mulheres diagnosticadas com câncer de mama, com 39 e 62 anos, respectivamente que, a partir da leitura de depoimentos publicados no blog da FEMAMA, escrevessem sobre a experiência oncológica em um diário ofertado a elas especialmente para esta finalidade. Esta intervenção aconteceu em um encontro individual com duração de uma hora e trinta minutos, nas dependências do ambulatório de oncologia de um hospital do norte gaúcho, sendo gravada e transcrita na íntegra. A análise qualitativa dos dados indica os benefícios psicoterapêuticos da escrita e do compartilhamento da experiência do diagnóstico e do tratamento do câncer de mama em prol do autoconhecimento e da potencialização de recursos psicológicos para o enfrentamento e superação das dificuldades decorrentes do adoecimento.</p> Alexandra Verardi Burlamaque, Ciomara Ribeiro da Silva Benincá ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13013 Ter, 12 Out 2021 15:10:07 -0300 A figura da bruxa sob a perspectiva teórica de René Girard, na poesia de Amanda Lovelace http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11214 <p>Este artigo aborda a figura da bruxa na literatura e sua presença nos poemas do título A bruxa não vai para a fogueira neste livro, de Amanda Lovelace. Partimos de um breve panorama dos estudos de Joseph Campbell, focando, em seguida, os conceitos de poder como objeto de desejo e a teoria do desejo mimético de René Girard. Apresentamos dados históricos e a origem etimológica do termo bruxa, importantes para a interpretação em foco, no qual o poder desejado é aquele de controle do fogo destruidor, em oposição ao fogo transformador, também presente na base dos mitos das deusas-bruxas. Finalmente, procedemos à análise da temática feminista dos poemas e os parâmetros que nos apontam o bode expiatório, surgido na linha traçada entre a bruxa das fogueiras da Inquisição e o gênero masculino na atualidade, representado metaforicamente nos poemas como “o cara dos fósforos”.</p> Roseli Hirasike, Vera Lúcia Bastazin ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11214 Sáb, 04 Set 2021 00:00:00 -0300 Diretrizes para autores http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13172 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/13172 Qui, 18 Nov 2021 15:13:47 -0300