Revista Desenredo http://seer.upf.br/index.php/rd <p>A Revista <em>Desenredo</em> foi criada pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo - UPF. O título da revista é baseado em um conto de Guimarães Rosa, publicado na obra <em>Tutaméia</em>, de 1967. Para quem não teve o prazer de ler esse texto, a narrativa trata de um marido apaixonado que, perante a reconhecida infidelidade da esposa, procura reconstruir ou desconstruir, pela persistência e pela linguagem, a má reputação da mulher: “Entregou-se a remir, redimir a mulher, à conta inteira. Incrível? É de notar que o ar vem do ar. De sofrer de amar, a gente não se desafaz.” A tentativa de fazer e refazer as verdades, de tornar a cada verdade uma outra, mais “nua e pura”, talvez seja, afinal, a meta dos editores e dos autores da <em>Desenredo</em>, periódico quadrimestral que atenta a diferentes temáticas, assuntos e questões, a cada volume, sob a ótica das áreas e das linhas de pesquisa que compõem o Mestrado em Letras da UPF.</p> <p>A Revista <em>Desenredo</em> adota o DOI (Digital Object Identifier) desde 2013 e, atualmente, é qualificada como B1 no Webqualis da Capes. Desde janeiro de 2015, é publicada somente em versão on-line, em três números por ano, contando com o apoio técnico e editorial da Editora UPF.</p> <p>ISSN Eletrônico:&nbsp;2236-5400</p> <p>&nbsp;</p> Universidade de Passo Fundo pt-BR Revista Desenredo 1808-656X <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons"></a><br>Este artigo está licenciado com a licença&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a>.</p> Sumário http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12839 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-08-20 2021-08-20 17 2 Editorial http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12840 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-08-20 2021-08-20 17 2 Por que é preciso aprofundar o conceito de gêneros do discurso? http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12587 <p>Este artigo assume como objetivo revisitar o conceito de gênero do discurso, sob a perspectiva do Círculo de Bakhtin, para, por meio dessa incursão teórica, aprofundar o conceito de gênero em um conjunto de textos, para além do manuscrito clássico que o popularizou. Tem como corpus teórico os escritos de Bakhtin (1924), (2010[1975]), (2016 [1952-1953]); Medviédev (2016[1928]); Volóchinov (2017[1929]). O estudo revela que o conceito de gênero do discurso para Bakhtin e o Círculo assume a estrutura triádica – conteúdo temático, construção composicional e estilo, como parte essencial do conceito, mas outros elementos devem ser levados em consideração, como o contexto de produção do gênero, a esfera de atividade humana em que está ancorado o discurso que se materializa nos gêneros, os sujeitos envolvidos na interação, o auditório social, as relações dialógicas constitutivas do enunciado. &nbsp;</p> Fernanda Lopes Bortolini Patrícia da Silva Valério ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12587 Autoria e estilo: um caso concreto do autor-criador no gênero discursivo panfleto http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12668 <p>O objetivo deste trabalho é demonstrar que autor e interlocutor encontram-se imanentemente implicados na construção estilística do enunciado e que a relação entre eles, determinada pelas condições sócio-históricas de produção, é materializada na forma de posições axiológicas refletidas e refratas no enunciado. Para evidenciar esse propósito, foi analisado um panfleto divulgado nas eleições de 2020 para prefeitura de Recife-PE. Como referencial teórico, utilizamos as concepções de autor e estilo com base no aparato teórico de Bakhtin (2011), Volóchinov (2002), dentre outros.</p> Pedro Farias Francelino Elias Coelho da Silva ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12668 Os gêneros textuais e o ensino da compreensão leitora: uma análise de livros didáticos do ensino médio http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12612 <p>Considerando a relevância dos gêneros textuais ao ensino de línguas, este trabalho tem por finalidade analisar como as atividades de leitura são orientadas nos livros didáticos de Língua Inglesa do Ensino Médio com vistas ao letramento crítico. Esta produção é um recorte de um estudo vinculado ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq 2019/2020). Nesse sentido, analisamos a coleção <em>Way to Go </em>e como parâmetros de análise, levamos em consideração a indicação de gênero textual, propósito comunicativo, forma composicional, suporte e a orientação para o posicionamento crítico dos alunos.&nbsp; Diante de nossos resultados, percebemos que a maioria das unidades apontam atividades embasadas em gêneros textuais, indicando a forma composicional, suporte e atenção ao desenvolvimento da criticidade dos alunos. No tocante ao propósito comunicativo, vimos que muitas atividades deixam de atender a esse critério. A coleção estudada apresenta, portanto, uma adequação parcial com as teorias relacionadas a este estudo.</p> Adriana Morais Jales Camila Bezerra Freire Débora Brenda Teixeira Silva ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12612 Repertório sociocultural e gênero dissertativo-argumentativo na redação do ENEM e na dissertação de francês do BAC http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12619 <p class="Normal tm5"><span class="tm6">Ao concluírem a Educação Básica, alunos do Brasil e da França são solicitados a escrever textos do gênero dissertativo-argumentativo no ENEM e no </span><em><span class="tm7">baccalauréat </span></em><span class="tm6">(BAC) respectivamente. O objetivo do artigo é comparar o g</span><span class="tm6">ênero redação/dissertação escolar tal como ele é praticado nos exames oficiais no Brasil e na França, a fim de melhor compreender as especificidades do trabalho com o gênero dissertativo-argumentativo nas línguas-culturas brasileira e francesa.</span><span class="tm6"> Para tanto, analisaremos textos oficiais do Ministério da Educação de cada país e trechos de cinco redações nota mil do ENEM e de cinco dissertações autênticas publicadas na França. O trabalho baseia-se na inter-relação entre princípios epistemológicos da abordagem dialógica do discurso (ADD) e na análise de discursos comparativa, de origem francesa e estudada pelos membros do laboratório CLESTHIA-CEDISCOR. No Brasil, o grupo de pesquisa </span><em><span class="tm7">Diálogo</span></em><span class="tm6"> (CNPq/USP) tem buscado aproximar os saberes de ambas as vertentes mencionadas, tal como realizado neste estudo. </span></p> Daniela Nienkötter Sardá Vanessa Fonseca Barbosa ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12619 Ler e escrever na universidade: o gênero discursivo resenha acadêmica em foco http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12504 <p>A expansão universitária trouxe para o debate um tema, por vezes, negligenciado: os letramentos acadêmicos. Ainda que, ao ingressar na esfera acadêmica, os estudantes sejam competentes leitores e produtores de textos, é comum que se deparem com inúmeros desafios relacionados ao ler e escrever gêneros discursivos que circulam na esfera acadêmica. Tais desafios são enfrentados em razão da mudança de esfera discursiva e, por isso mesmo, das práticas, valores, identidade, cultura, gêneros próprios da esfera acadêmica. Considerando esse contexto, o presente este relato de experiência tem como objetivo descrever uma proposta de ensino de produção do gênero discursivo resenha acadêmica com vistas ao desenvolvimento do letramento acadêmicos dos (as) participantes. Para isso, foram contemplados, na oficina, não só aspectos linguísticos, mas também discursivos do gênero selecionado.</p> Marcela Tavares de Mello Camila Duarte Souza ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12504 Os gêneros textuais especializados e o conceito de comunidade discursiva como elementos de análise da variação denominativa em terminologia http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12613 <p>O texto apresenta um conjunto de reflexões acerca da relação entre a Terminologia e outros campos da Linguística e como essa relação pode colaborar para a ampliação da disciplina. São campos que colaboram na discussão a Linguística Textual e as Teorias dos Gêneros e do texto. No último campo, em especial, seria interessante um diálogo com os trabalhos de John Swales sobre a noção de comunidade discursiva. Parte-se do pressuposto que a análise de fenômenos estudados pela Terminologia pode ser feita a partir do diálogo da Terminologia com esses campos de conhecimento. As reflexões aqui apresentadas são feitas a partir da análise de um corpus diversificado com características que estão condicionadas à forma de comunicação dos especialistas de uma comunidade de especialista no setor da cana-de-açúcar. Os resultados mostram que muitos aspectos da variação terminológica podem ser entendidos a partir do tratamento de dados com reflexões teóricas do texto e do discurso presentes na Linguística.</p> Luís Henrique Serra Francisco Alves Filho ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12613 Carta aberta na escola: um olhar a partir da composição do gênero e da progressão tópica http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12621 <p>Neste artigo, refletimos sobre como o trabalho com a composição do gênero carta aberta e com a progressão tópica pode contribuir para práticas de produção textual escolares, pois consideramos essa articulação mais uma possibilidade de subsidiar o processo de escrita argumentativa. Como <em>corpus </em>de análise selecionamos, duas versões de uma carta aberta, produzida por um estudante terceiro ano de Ensino Médio. Passos analíticos: 1º) estrutura composicional do gênero carta aberta, 2º) disposição das pirâmides tópicas, os quais culminam na discussão sobre os objetos de análise. Um olhar para a carta aberta em sala de aula, com foco na composição do gênero, aliado à progressão tópica, constituiu-se um importante recurso para o processo de ensino e aprendizagem de produção textual. Esperamos que esta reflexão possa embasar práticas pedagógicas e auxiliar no avanço da escrita escolar quanto à continuidade e coerência do texto, de modo que estratégias argumentativas sejam suficientemente exploradas.</p> Huanna Sperb Ross Aline Rubiane Arnemann Monize Pereira Albiero ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12621 Práticas de escrita na universidade: vozes de autoria no gênero resenha http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11350 <p>A pesquisa em questão teve por objetivo analisar a escrita dos alunos do curso de Letras de uma Universidade Pública do estado do Tocantins, a fim de examinar a forma como estes se assumem autores dos textos produzidos na disciplina de Morfologia do Português, no gênero textual resenha. Esse gênero está na ordem do argumentar (DOLZ; SCHNEUWLY, 2004), permitindo ao resenhista agir, tanto em descrição da obra resenhada, quanto em avaliação, ora em um extremo ora em outro. Dessa forma, a presente pesquisa apresenta-se situada no paradigma de pesquisa qualitativa, de natureza documental, com uma concepção transgressiva (PENNYCOOK, 2006) de Linguística Aplicada. Os resultados mostraram como os acadêmicos, citam e fazem referências aos textos por meio de elementos linguísticos-discursivos. Ainda, constatamos a funcionalidade dos adjetivos, advérbios e verbos de expressarem posicionamentos do resenhista em relação ao texto-base se dá em correspondência com os verbos selecionados na resenha analisada.&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Interacionismo Sociodiscursivo; Novos Estudos do Letramento; Autoria.</p> Dalve Oliveira Batista-Santos Dimas Henrique Pereira de Oliveira Silva ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.11350 Letramento através de notícias: experiência no Programa de Residência Pedagógica http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12611 <p>Neste trabalho, iremos apresentar os resultados do nosso projeto de intervenção acerca do gênero notícia, realizado durante o Programa de Residência Pedagógica, no Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), no ano de 2019. A proposta consistiu na produção de notícias, com base na sequência didática de gêneros da Escola de Genebra. O objetivo principal é verificar os impactos dessa metodologia na produção textual dos alunos, a partir de um processo de avaliação formativa, comparando as produções iniciais e finais. Tomamos como critérios de análise: a adequação ao tema e ao gênero, os indícios de autoria, a informatividade, a articulação e a progressão textual e a adequação linguístico-gramatical. Os resultados indicam que houve um progresso efetivo dos alunos em relação à estruturação do gênero e à compreensão de sua função social, mostrando que a metodologia genebrina é um caminho eficaz para o letramento a partir dos gêneros.</p> <p>&nbsp;</p> Amanda de Andrade Briano Tatiana Simões e Luna ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12611 Fundamentos pedagógicos de Língua Portuguesa na BNCC: uma análise crítica de discursos http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12610 <p>Considerando a importância da Base Nacional Comum Curricular e sua influência no desenvolvimento de práticas pedagógicas em todo o país, neste relato de pesquisa, analisamos criticamente os discursos sobre ensino de língua portuguesa presentes nos fundamentos pedagógicos do componente curricular para os anos finais do Ensino Fundamental. Para tanto, orientamo-nos teórico-metodologicamente pela Análise Crítica de Discurso, que propõe uma análise tridimensional, com vistas à descrição da prática textual, à interpretação das práticas discursivas e à explicação das práticas sociais. Os resultados apontam um discurso sobre ensino de língua portuguesa, em grande medida, alinhado à perspectiva de gêneros discursivos/textuais que considera contextos situados e focaliza o desenvolvimento de práticas de usos de língua(gem). Importante ressaltar certa fluidez discursiva, visto que, por vezes, há o apagamento do gênero enquanto objeto de ensino, o que pode suscitar leituras enviesadas do documento e, consequentemente, subsidiar propostas pedagógicas que não contemplem a complexidade desse objeto.</p> Rosana Maria Schmitt Francieli Matzenbacher Pinton ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12610 Sincretismo e produção de sentidos: leitura do pórtico do município de São Miguel das Missões – RS http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12693 <p>Os pórticos situados à entrada das cidades/municípios, além de darem as boas-vindas aos visitantes, configuram-se como textos – geralmente sincréticos – que carregam em si elementos associados à história da comunidade e, portanto, dizem sobre ela. Entendemos que explorar esse tipo de leitura (não usualmente ensinada nos bancos escolares), além de contribuir para o crescimento cultural do aluno, pode aprimorar competências leitoras, aguçando o olhar e a capacidade de perceber relações entre os elementos do texto e os discursos a eles subjacentes. Tendo isso em conta, o objetivo deste estudo é analisar o pórtico do município de São Miguel das Missões, observando as figuras e os temas que elas recobrem, com intuito de compreender o que esse monumento diz sobre o povo e a comunidade que ele apresenta. A base teórico-metodológica que ancora o estudo é a semiótica discursiva, principalmente os trabalhos de Barros (2001) e Fiorin (2004, 2006, 2016). Também trazemos contribuições de Bakhtin (2003, 2014) no que tange às relações dialógicas implicadas na produção/recepção de enunciados.</p> Emili Coimbra de Souza Luciana Maria Crestani ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-21 2021-06-21 17 2 10.5335/rdes.v17i2.12693 O slam como prática de letramento na escola http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11338 <p>A produção artística do slam se apresenta como uma prática extraordinariamente democrática, englobando as notáveis mudanças provenientes das interações sociais atuais e todas variações que dela provieram. Uma vez que essa prática iniciou em grades centros urbanos e de certa forma se mantém assim, indica um caráter multifacetado e fluído, de forma que a maior parte dos registros desses eventos encontram-se através de narrativas dos participantes ou gravação das performances. A partir da análise desses registros e de materiais bibliográficos, nos propomos a discutir esse gênero. Considerando os conceitos de letramento literário e multiletramentos, também dissertamos sobre o afastamento juvenil da leitura, de forma a possibilitar que jovens encontrem nessa prática um espaço de protagonismo, de (re)descobertas e expressão da própria subjetividade, fazendo uso de temáticas próprias do slam ou criando suas próprias temáticas, pelas demandas apontadas a partir da própria realidade ou externas, através da escrita, oralidade e performance.</p> Izandra Alves Fabiane Verardi Bruna Nathali Souza ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.11338 As definições de “gênero lírico” nos livros didáticos: problematizações e possibilidades quanto à formação de leitores http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11409 <p>Neste artigo, realizamos um levantamento dos conceitos de “gênero lírico” presentes nos livros didáticos de Língua Portuguesa selecionados no Programa Nacional de Livro Didático (PNLD), na edição de 2018. Tendo em vista as dificuldades de abordagem da leitura de poemas em sala de aula, um dos objetivos deste texto é verificar em que medida a problemática conceituação de lírica interfere – negativamente – na própria leitura de textos literários em sala de aula, ao apresentar conceitos teóricos que não se fundamentam na prática da leitura de textos selecionados. Dessa forma, ao recuperarmos a escolarização da poesia e ao percebermos quais características contribuem para a permanência de seu conturbado ensino, propomos, de maneira sintética, uma possibilidade de abordagem didática que busca amenizar as dificuldades da formação de leitores literários de poesia nas escolas.</p> Caroline Dambrozio Guerra Marcus De Martini ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.11409 A crônica e a representação do fato: o acontecimento cotidiano como construção social http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/11336 <p>O artigo destaca o conceito de contrato de informação midiático, na crônica literária, a partir da representação do evento cotidiano. Objetiva demonstrar que o processo de elaboração e compreensão da crônica considera que o leitor possa integrar ao universo representado no texto as suas construções de sentido sobre determinado fenômeno. A análise buscou reconhecer os sentidos construídos sobre o acontecimento noticiado no jornal, suporte para a construção literária. Constatou-se que o universo recriado na crônica resulta de um duplo processo de transformação, em que entram em jogo tanto o olhar do enunciador quanto a identidade do receptor.</p> Íris Vitória Pires Lisboa Juracy Assmann Saraiva ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-06-19 2021-06-19 17 2 10.5335/rdes.v17i2.11336 Diretrizes para autores http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/12841 Francisco Fianco ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2021-08-20 2021-08-20 17 2