http://seer.upf.br/index.php/rd/issue/feed Revista Desenredo 2018-09-21T11:28:43-03:00 Rejane Pivetta de Oliveira pivetta.rejane@gmail.com Open Journal Systems <p>A Revista Desenredo é uma publicação quadrimestral do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo. Recebe artigos em fluxo contínuo de colaboradores do Brasil e do exterior interessados em propostas relacionados à área de Letras, no âmbito dos estudos linguísticos e literários.<br>A Revista poderá organizar dossiês temáticos, de acordo com decisão da Comissão Editorial.</p> <p>A Revista Desenredo adota o DOI (Digital Object Identifier) desde 2013 e, atualmente, é qualificada como B1 no webqualis da Capes. Desde janeiro de 2015, é publicada somente em versão on-line.<br>ISSN: 1808-656X</p> http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/8634 Expediente Revista Desenredo, v. 14, n. 2, maio/ago. 2018 2018-09-21T11:28:41-03:00 OJS SEER UPF seer@upf.br 2018-09-17T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/8359 Editorial Vol 14, n2 2018-09-21T11:28:41-03:00 Patricia da Silva Valerio patriciav@upf.br 2018-07-10T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/7864 A escrita criativa nos cursos de pós-graduação stricto sensu das universidades brasileiras 2018-09-21T11:28:41-03:00 Marcelo Spalding Perez marcelospalding@gmail.com Luiz Antonio de Assis Brasil e Silva laab@pucrs.br <p>Temos visto no Brasil uma demanda crescente por cursos e livros de escrita criativa na última década. Resta,<br>porém, investigar se essa demanda crescente se reflete em maior presença nas universidades brasileiras,<br>especificamente nos cursos de pós-graduação strictu sensu, nos quais se dá a maior parte da pesquisa e da<br>produção de conhecimento no Brasil. Para tal pesquisa, foram analisados 28 programas de pós-graduação com<br>nota acima de 5 na Avaliação Quadrienal 2017 da Capes. Também se buscou no Banco de Teses e Dissertações<br>da Capes trabalhos em que a expressão “escrita criativa” aparecesse no título. Ao final, a hipótese inicial de crescimento da presença formal nos cursos de pós-graduação no Brasil foi frustrada, o que pode estar relacionado com a persistente crença de que a escrita é um dom restrito a gênio iluminados.</p> 2018-09-17T14:32:23-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/7897 O Zé Povinho nas trincheiras: epopeia e anedota no memorialismo da Grande Guerra 2018-09-21T11:28:41-03:00 Paulo Alexandre Cardoso Pereira ppereira@ua.pt <p>No presente artigo, partindo de uma leitura panorâmica dos textos de alguns memorialistas portugueses da Grande Guerra (Jaime Cortesão, Augusto Casimiro, Pina de Morais, Albino Forjaz de Sampaio e André Brun, entre outros), são examinadas algumas estratégias de reencenação narrativa da memória pós-traumática, com destaque para o efeito de dissonância estilística que neles de deteta entre um registo épico-celebratório e uma miniloquência de tom elegíaco ou burlesco. Essa oscilação retórica é, em seguida, relacionada com uma essencial mutação da política e da poética da memória que nestes textos se torna inteligível e em função da qual o lugar do herói épico do passado parece ter sido ocupado pela figura anónima do Soldado Desconhecido.</p> 2018-09-17T14:32:48-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/7959 A semântica argumentativa como base para análise de redações de vestibular 2018-09-21T11:28:42-03:00 Cristiane Dall' Cortivo-Lebler cristianedc@unisc.br Cristiano Sandim Paschoal cristianopaschoal@mx2.unisc.br Este artigo visa a analisar a abordagem e o desenvolvimento do tema em redações produzidas por vestibulandos de uma universidade do Rio Grande do Sul. Fundamentou-se, para a devida análise, na Teoria da Argumentação na Língua, desenvolvida pelo semanticista Oswald Ducrot e seus colaboradores, cujo pensamento principal que a norteia é de que a linguagem é essencialmente argumentativa. Concluiu-se, a partir da análise de um corpus de 40 redações, que o uso de conectores linguísticos é primordial para um bom desempenho textual e que é premente a necessidade de uma melhor aproximação entre teoria linguística e ensino para que se possibilite a alunos e futuros vestibulandos construírem sentido no texto a partir do linguístico, bem como maior entendimento de todos os aspectos que circundam o universo textual. 2018-09-17T14:33:13-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/7992 Escrita acadêmica: a resenha como produto de retextualização 2018-09-21T11:28:42-03:00 Anne Carolline Dias Rocha Prado annerochaprado@gmail.com Márcia Helena de Melo Pereira marciahelenad@yahoo.com.br Neste trabalho, encaramos a resenha acadêmica como um produto de retextualização. Ancorados em Marcuschi (2010) e Matencio (2002), entendemos a retextualização como um processo de transformação de um texto em outro, que envolve aspectos linguísticos, textuais, discursivos e cognitivos. Dessa forma, pretendemos descrever as operações textuais e discursivas envolvidas no processo de retextualização de um curta-metragem para a escrita de uma resenha acadêmica. Para isso, utilizaremos uma resenha acadêmica escrita por uma dupla de estudantes universitários, e seus dados processuais, a partir do curta metragem Vida Maria. Nossas análises mostraram que, na resenha analisada, os nossos sujeitos estabeleceram uma relação com o curta metragem, ao mesmo tempo em que se posicionaram como avaliadores da obra, mantendo, para isso, um vínculo com a estrutura retórica do gênero e com o texto-base. 2018-09-17T14:33:31-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/8043 Histórias (in)visíveis: o medo pelo outro como um ato responsável 2018-09-21T11:28:42-03:00 Ana Beatriz Ferreira Dias ana.bdias@hotmail.com Valdemir Miotello miotello@terra.com.br Ao problematizar relações sociais prejudicadas por danos ligados à prática de ato infracional, analisamos enunciados que circularam em uma prática de justiça restaurativa denominada “Círculo Restaurativo”, uma prática bastante recente no contexto brasileiro. Com foco em enunciados proferidos pela mãe do jovem em conflito com a lei, exploramos a relação que ela estabeleceu com seu filho enquanto uma alteridade que lhe constitui e altera. Para tanto, analisamos a gravação em áudio e vídeo de um círculo restaurativo presente no acervo do projeto gaúcho Justiça para o Século 21. A metodologia de análise fundamenta-se em orientações teórico-metodológicas formulados pelo Círculo de Bakhtin, desenvolvidos de acordo com o paradigma indiciário de leitura e no cotejamento de textos. Observamos que os enunciados da mãe do jovem infrator sugerem um forte medo pelo filho, de tal forma que sua percepção dos fatos a aprisiona em uma responsabilidade ilimitada por ele. 2018-09-17T14:33:51-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/8052 “O mundo não pode ser dividido em coxinhas e petralhas”: a construção de posicionamentos em torno do impeachment 2018-09-21T11:28:42-03:00 Bruno Deusdará brunodeusdara@gmail.com Paula Gesteira gesteira.paula@yahoo.com.br O processo de impeachment efetuado em 2016 convoca as diversas áreas do saber à reflexão crítica e à problematização de sua emergência e consolidação. Com o intuito de fornecer uma contribuição à leitura desse processo, interrogamos a construção de posicionamentos discursivos em torno desse evento que altera significativamente os contornos da história contemporânea brasileira. Como quadro teórico, recorremos à análise do discurso de base enunciativa, cujo foco recai sobre o modo de articulação de pistas linguístico-discursivas na reconstituição dos embates a partir dos quais os posicionamentos são construídos. Em nossas análises, investigamos dois artigos de opinião publicados em veículo de grande circulação no país, antes da votação final no Senado Federal. Como resultados, destacamos as diferentes linhas que constituem os posicionamentos em jogo, indicando que, do lado contrário, encontram-se perspectivas que promovem diálogo entre diferentes pontos de vista e, do lado favorável, concentram-se as oposições unilaterais. 2018-09-17T14:34:11-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/8071 Os Tambores Silenciosos: a tríplice mimese, a relação autor/texto/leitor, ficção e a realidade no jogo da intriga literária 2018-09-21T11:28:42-03:00 Eliane Davila dos Santos elianedavila@yahoo.com Juracy Ignez Assmann Saraiva jurazy@feevale.br Ernani Cesar de Freitas ernanic@feevale.br Desde o tempo de Aristóteles, o homem procura a compreensão dos textos e das obras de arte. Nesse âmbito, observa-se que a temática literária tem gerado interesse de filósofos que se dedicam a desvendar o propósito da literatura no mundo. A partir desse contexto e com o objetivo de demonstrar como a representação mimética, por meio de sua narrativa, promove a convergência da mimese I, da mimese II e da mimese III, analisa-se a obra Os Tambores Silenciosos1. Como marco teórico, procura-se apoio na perspectiva da tríplice mimese de Paul Ricœur (1994) e nos postulados de Wolfgang Iser (2007) que conduzem ao entendimento do texto como um jogo entre o autor e o leitor. O corpus de pesquisa corresponde ao já citado romance Os Tambores Silenciosos, de Josué Guimarães. A análise direciona à percepção da mimese como uma representação da história, ao estabelecer, no jogo da encenação textual literária, “a intriga”2 dentro de uma linha temporal em que se integram a relação autor/texto/leitor, ficção e realidade. 2018-09-17T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/8190 Bakhtin e/com Pêcheux? Pressupostos de trabalho em Linguística Aplicada 2018-09-21T11:28:42-03:00 Maria Marta Furlanetto mmartafurlanetto@gmail.com Este trabalho trata de categorias aparentemente contraditórias, visualizadas em perspectivas teóricas diferentes – a de Bakhtin e seu grupo (teoria dialógica) e a Análise de Discurso, de filiação francesa –, mas que merecem estudo paralelo considerando seu encontro histórico na Europa, pela migração de um texto do pesquisador russo. Dada, de um lado, a afirmação de impossibilidade de conciliar as duas teorias, e, de outro, os estudos que refletem sobre as razões de as duas serem usadas para o estudo de determinados temas e campos realizando aproximações, a memória dos (des)encontros pode explicar afinidades e diferenças, e mostrar que ressonâncias teóricas podem instalar-se nesses campos de estudo. O trabalho objetiva formular argumentos e fornecer razões práticas para o uso de certas categorias, contemporaneamente, em áreas de prática de linguagem, tal como a Linguística Aplicada. Assim, noções como discurso, sujeito, ideologia, memória, interdiscurso, heterogeneidade e gênero são consideradas nesta reflexão. Palavras-chave: Dialogismo. Análise de Discurso. Linguística Aplicada. 2018-09-17T14:35:27-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/8635 Diretrizes para autores 2018-09-21T11:28:42-03:00 OJS SEER UPF seer@upf.br 2018-09-17T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement##