[1]
E. Carvalho e M. Costa, “A memória e o espaço ficcional em Os que bebem como os cães, de Assis Brasi”l, RDes, vol. 16, nº 2, abr. 2020.