O aparelho formal da enunciação: que aparelho é este?

  • Claudia Toldo Universidade de Passo Fundo
Palavras-chave: Aparelho formal da enunciação. Emprego das formas. Emprego da língua. Ensino de língua portuguesa.

Resumo

A proposta deste trabalho aborda o ensino de língua portuguesa na escola a partir de uma perspectiva enunciativa, mais precisamente, uma reflexão que proporcione ao aluno da educação básica a oportunidade de se enunciar, na e pela linguagem, e se colocar como sujeito de sua enunciação na escola enquanto espaço privilegiado para se pensar o uso da língua. Para isso, a discussão ampara-se no texto do linguista Émile Benveniste, O aparelho formal da enunciação, publicado em 1970 na revista Langages, e constitutivo da segunda parte dos Problemas de linguística geral II dedicada à comunicação. Nesse artigo dirigido especificamente a linguistas, Benveniste procede a uma distinção entre o emprego das formas e o emprego da língua. É essa dicotomia que justifica a necessidade de se pensar o ensino da língua a partir da enunciação, haja vista que o aluno-locutor, ao se apropriar das formas, se encontra numa relação absoluta com a escola, com a sociedade, com o mundo e, sobretudo, com uma língua que sirva para viver.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Toldo, Universidade de Passo Fundo
Doutorado em Linguística (PUCRS); pós-doutorado em Linguística (UFRGS/CAPES); Professora de Língua Portuguesa e Linguística no Curso de Letras e professora/orientadora do Programa de Pós-graduação em Letras (Mestrado e Doutorado) da Universidade de Passo Fundo (UPF/RS); pesquisadora do CNPq.
Publicado
2018-12-07
Como Citar
Toldo, C. (2018). O aparelho formal da enunciação: que aparelho é este?. Revista Desenredo, 14(3), 424-434. https://doi.org/10.5335/rdes.v14i3.8607