“Os perfumes, as cores e os sons se correspondem”: Benveniste e a busca pela imagem criativa em Baudelaire

Palavras-chave: Semiologia. Dossiê Baudelaire. Imagem criativa.

Resumo

Em 1992, manuscritos de Émile Benveniste sobre a linguagem poética foram anunciados e geraram o que hoje se conhece como Dossiê Baudelaire. Este estudo objetiva verificar como a escrita de Benveniste presente no dossiê esboça um estudo semiológico de uma obra. O corpus são 159 fólios que deixam ver termos e procedimentos ruminados na escrita de Benveniste. Os resultados apontam que a particularidade e a singularidade do discurso de Baudelaire devem-se à imagem do espelho, que engendra outras imagens criativas. A correspondência é, então, o princípio que estrutura o universo poético baudelaireano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sabrina Vier, Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Professora Curso de Letras e Especialização em Educação Infantil Professora convidada no Mestrado Profissional em Gestão Educacional
Publicado
2018-12-07
Como Citar
Vier, S. (2018). “Os perfumes, as cores e os sons se correspondem”: Benveniste e a busca pela imagem criativa em Baudelaire. Revista Desenredo, 14(3), 515-540. https://doi.org/10.5335/rdes.v14i3.8587