A linguagem e a experiência humana em serviço de teleatendimento

Palavras-chave: Enunciação. Subjetividade. Intersubjetividade. Temporalidade. Serviços eletrônicos.

Resumo

Este texto, apresentado e discutido durante a realização do II Colóquio de leituras em Émile Benveniste, propôs-se a refletir sobre uma experiência, muitas vezes frustrante, de usuários de serviços eletrônicos de teleatendimento. A reflexão toma por base alguns textos do linguista sírio, em especial, o artigo A linguagem e a experiência humana, publicado em Problemas de Linguística Geral II (1989), para analisar a dificuldade de um locutor, que origina uma ligação telefônica a uma central de serviços, encontrar um outro (tu real) com quem possa construir uma relação intersubjetiva, condição do discurso, em razão da substituição de funcionários por gravações automáticas de vozes.

Biografia do Autor

Patricia da Silva Valerio, Universidade de Passo Fundo
Doutora em Linguística Aplicada pela Unisinos, mestre em Letras pela Universidade de Passo Fundo e graduada em Letras pela Universidade de Passo Fundo. É professora do Curso de Letras e do Programa de Pós-graduação em Letras da UPF e desenvolve estudos na linha de “Constituição e interpretação do texto e do discurso”. E-mail: patriciav@upf.br.
Publicado
2018-12-07
Como Citar
Valerio, P. (2018). A linguagem e a experiência humana em serviço de teleatendimento. Revista Desenredo, 14(3), 480-489. https://doi.org/10.5335/rdes.v14i3.8561