Histórias (in)visíveis: o medo pelo outro como um ato responsável

  • Ana Beatriz Ferreira Dias Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
  • Valdemir Miotello Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Palavras-chave: Justiça restaurativa. Ato responsável. Bakhtin.

Resumo

Ao problematizar relações sociais prejudicadas por danos ligados à prática de ato infracional, analisamos enunciados que circularam em uma prática de justiça restaurativa denominada “Círculo Restaurativo”, uma prática bastante recente no contexto brasileiro. Com foco em enunciados proferidos pela mãe do jovem em conflito com a lei, exploramos a relação que ela estabeleceu com seu filho enquanto uma alteridade que lhe constitui e altera. Para tanto, analisamos a gravação em áudio e vídeo de um círculo restaurativo presente no acervo do projeto gaúcho Justiça para o Século 21. A metodologia de análise fundamenta-se em orientações teórico-metodológicas formulados pelo Círculo de Bakhtin, desenvolvidos de acordo com o paradigma indiciário de leitura e no cotejamento de textos. Observamos que os enunciados da mãe do jovem infrator sugerem um forte medo pelo filho, de tal forma que sua percepção dos fatos a aprisiona em uma responsabilidade ilimitada por ele.

Biografia do Autor

Ana Beatriz Ferreira Dias, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
Doutora em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora Adjunta de Língua Portuguesa e Linguística no Curso de Graduação em Letras: Português e Espanhol – Licenciatura, da UniversidadeFederal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Cerro Largo (RS).
Valdemir Miotello, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Doutor em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas. É professor associado IV (aposentado) da Universidade Federal de São Carlos. Tem experiências na área de Linguística, com ênfase em Estudos akhtinianos.É líder do Grupo de Estudos dos Gêneros do Discurso – GeGe/UFSCar.
Publicado
2018-09-17
Como Citar
Dias, A. B., & Miotello, V. (2018). Histórias (in)visíveis: o medo pelo outro como um ato responsável. Revista Desenredo, 14(2), 274-297. https://doi.org/10.5335/rdes.v14i2.8043
Seção
Artigos