As ambiguidades do Iluminismo em algumas obras de Francisco de Goya: leitura de imagens

  • Camila Guidolin Programa Interuniversitário de doutoramento em História: Universidade de Lisboa; ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa.
  • Francisco Fianco UPF

Resumo

Pretende-se identificar as ambiguidades do pensamento e da obra de Goya através da análise de alguns de seus retratos de corte (Carlos IV, La reina María Luisa con tontillo e La familia de Carlos IV) e da mais famosa de suas gravuras (Capricho nº43, El sueño de la razón produce monstruos). A tais ambiguidades relacionaremos as principais características do período histórico no qual viveu o artista, repleto de transformações sociais e culturais, para, através de uma análise reflexiva das imagens, compreender o quanto foi inovador o que Goya estava fazendo em termos de pintura ao mesmo tempo que estava plenamente integrado à sociedade que suas vinculações intelectuais estavam criticando e transformando. Por fim, acompanharemos a crítica ao iluminismo nascente que já se faz entrever em suas gravuras, especialmente a já citada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Guidolin, Programa Interuniversitário de doutoramento em História: Universidade de Lisboa; ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa.
Possui graduação em História (2011) - Licenciatura Plena - e mestrado em História (2015) - área de concentração História Regional - pela Universidade de Passo Fundo. Atualmente desenvolve o seu doutoramento em História no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Dedica-se a pesquisas sobre imaginário e representações no mundo islâmico, com ênfase nas revoluções iranianas do século XX, nacionalismo iraniano, questões de gênero e homoafetividade no Oriente Médio. Recentemente vem desenvolvendo pesquisa sobre a arte e o pensamento oriental com ênfase na análise das narrativas sequênciais e produções cinematográficas contemporâneas, além da relação entre as religiosidades e o mundo contemporâneo.
Francisco Fianco, UPF
Possui graduação em Licenciatura Plena em Filosofia (2002) e mestrado em Filosofia (2004) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Estética e Filosofia da Arte, tendo desenvolvido dissertação de mestrado sobre Walter Benjamin (2004) sob orientação da Profa. Dra. Márcia Tiburi pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos-RS e tese de doutorado sobre Nietzsche e a Escola de Frankfurt (2008) sob orientação do Prof. Dr. Rodrigo Duarte pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é Professor da Área de Ética e Conhecimento e do Curso de Filosofia da Universidade de Passo Fundo-RS.
Publicado
2017-10-19
Como Citar
Guidolin, C., & Fianco, F. (2017). As ambiguidades do Iluminismo em algumas obras de Francisco de Goya: leitura de imagens. Revista Desenredo, 13(2). https://doi.org/10.5335/rdes.v13i2.7181
Seção
Artigos