O que os homens estrangeiros veem, as mulheres brasileiras sentem: discurso, memória, corpo e identidade

  • Ana Paula Vieira de Andrade Assumpção Universidade Católica de Pelotas - UCPel
  • Aracy Graça Ernst Universidade Católica de Pelotas - UCPel
  • Luciane Botelho Martins Universidade Católica de Pelotas - UCPel
Palavras-chave: Discurso. Memória. Corpo. Identidade.

Resumo

Ao considerar o discurso lugar de produção de sentidos e de processos de identificação do sujeito, este trabalho tem a finalidade de interpretar a representação discursiva estereotipada dos homens estrangeiros em relação às mulheres brasileiras sob a perspectiva da Análise de Discurso de tradição pecheuxtiana, através de anúncios publicitários. O foco da análise são as formações imaginárias sobre a mulher brasileira e as posições-sujeito que se encontram no intradiscurso. Para atender a esse propósito, analisamos duas camisetas fabricadas pela empresa Adidas, confeccionadas para a Copa do Mundo 2014 no Brasil, que fazem menção ao corpo das brasileiras. O objetivo parte da observação de como o processo de reificação da mulher na sociedade de consumo está condicionada a uma estrutura social androcêntrica, implicando uma relação de poder reforçada pelos anúncios publicitários de turismo sobre o Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Vieira de Andrade Assumpção, Universidade Católica de Pelotas - UCPel
Possui graduação em Letras - Português e Latim e respectivas Literaturas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Licenciatura Plena. É Mestre em Letras pela Universidade Católica de Pelotas (PPGL-UCPel). Atualmente é professora do Ensino Médio pelo Estado do Rio Grande do Sul. É membro do LEAD (Laboratório de Estudos em Análise de Discurso pêcheuxtiana), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Letras da UCPel, onde desenvolve atividades de pesquisa na linha "Discurso, ideologia e inconsciente".
Aracy Graça Ernst, Universidade Católica de Pelotas - UCPel
Possui graduação em Curso de Letras pela Universidade Federal do Rio Grande (1971), Mestrado em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1980) e Doutorado em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1994). Realizou estágio pós-doutoral na Universidade de Paris III, Sorbonne-Nouvelle, desenvolvendo o trabalho "O discurso proverbial e o discurso das alterações. Elementos para uma análise semântico discursiva" (2001). Atualmente é professor titular da Universidade Católica de Pelotas. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teorias da Enunciação e Análise de Discurso, atuando principalmente nos seguintes temas: discurso proverbial, reescrituras de contos de fadas, corpo e subjetividade, ideologia e ensino.
Luciane Botelho Martins, Universidade Católica de Pelotas - UCPel
Mestre em Linguística Aplicada (UCPel/2016), é também, pedagoga e graduada em Letras Português Inglês, ambas pela Universidade Federal do Rio Grande (2015 e 2002 respectivamente), possui Pós-graduação em Pedagogia Gestora pela UNIVEST - Lages (2003) e Pós-graduação em Linguística e Ensino de Língua Portuguesa - Furg (2014). Atualmente é professora de anos iniciais pela Prefeitura Municipal de Rio Grande e pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino-Aprendizagem. Em 2013 participou do PDPI (Programa de Aperfeiçoamento de Professores de Língua Inglesa) pela Loyola University of Chicago. É membro do LEAD - Laboratório de Estudos em Análise do Discurso de filiação pecheutiana desde 2014.
Publicado
2016-09-22
Como Citar
Assumpção, A. P., Ernst, A., & Martins, L. (2016). O que os homens estrangeiros veem, as mulheres brasileiras sentem: discurso, memória, corpo e identidade. Revista Desenredo, 12(1). Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/5871
Seção
Artigos