A padaria antropofágica de Ednardo: uma análise de discurso da canção “Artigo 26”

  • Raul Azevedo de Andrade Ferreira Universidade Regional do Cariri (URCA)
  • Cláudia Rejanne Pinheiro Grangeiro Universidade Regional do Cariri (URCA)
Palavras-chave: Análise do Discurso. Ednardo. “Artigo 26”.

Resumo

O trabalho propõe-se a uma análise dos efeitos de sentido produzidos pelo contato da língua portuguesa com a língua francesa na letra da canção “Artigo 26” do compositor cearense Ednardo. Para esta análise, mobilizamos o arcabouço teórico-metodológico da chamada Análise do Discurso Francesa, em autores como Michel Pêcheux (1995), Michel Foucault (1997, 1992, 1999) e Courtine (1981), demonstrando os mecanismos pelos quais o texto promove o diálogo entre a cultura brasileira e a herança da França revolucionária republicana, ressignificando os elementos de uma e de outra cultura, por meio do pastiche e fazendo emergir um discurso antropofágico que se constitui com base em três “regiões do dizer” distintas: a Revolução Francesa, o discurso literário da Padaria Espiritual e o discurso da cultura popular brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raul Azevedo de Andrade Ferreira, Universidade Regional do Cariri (URCA)
Doutor em Teoria da Literatura pelo PPGL-UFPE. Professor do Departamento de Línguas e Literatura da Universidade Regional do Cariri (URCA)
Cláudia Rejanne Pinheiro Grangeiro, Universidade Regional do Cariri (URCA)
Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP/FCLAR com estágio no CEDITEC (Centre d'Étude des Discours, Images, Textes Écrits,Communication, Sorbonne Nouvelle Paris XII. Professora do Departamento de Línguas e Literaturas da Universidade Regional do Cariri (URCA).
Publicado
2016-09-22
Como Citar
Ferreira, R., & Grangeiro, C. (2016). A padaria antropofágica de Ednardo: uma análise de discurso da canção “Artigo 26”. Revista Desenredo, 12(1). Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/5869
Seção
Artigos