O lobo e o mago: uma leitura da caminhada espiritual de Hermann Hesse a Paulo Coelho

  • Rafael Senra Coelho Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Teresinha Vânia Zimbrão da Silva UFJF
Palavras-chave: Literatura comparada. Teoria da recepção. Contracultura. Espiritualidade. Individualismo.

Resumo

Resumo: Nesse artigo, pretendemos analisar como o escritor brasileiro Paulo Coelho leu a idéia do aperfeiçoamento individual e da caminhada espiritual na obra do escritor alemão Hermann Hesse. Apesar da influência e de vários elementos em comum, Coelho soube promover a sua imagem, através de declarações e de estratégias de marketing bem conscientes. A contracultura dos anos 60, ponto de partida para o projeto literário de Coelho, é onde converge a mais animada acolhida da obra de Hesse. A recepção crítica dos dois escritores no Brasil nos serve como suporte para a análise, além dos livros Demian, de Hesse, e O Diário de um Mago, de Coelho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Senra Coelho, Universidade Federal de Juiz de Fora
Doutorando do programa de letras da UFJF.
Teresinha Vânia Zimbrão da Silva, UFJF
Professora Associada da Graduação em Letras e da Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado) em Letras: Estudos Literários da UFJF. Pós-doutora.
Publicado
2015-08-26
Como Citar
Coelho, R., & da Silva, T. (2015). O lobo e o mago: uma leitura da caminhada espiritual de Hermann Hesse a Paulo Coelho. Revista Desenredo, 11(1). Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/4541
Seção
Artigos