O elemento referencial na construção de significados do gênero fábulas

  • Jorge Bidarra
  • Leidiani da Silva Reis

Resumo

Em vista da dificuldade que os alunos sentem ao interpretar um texto, o presente artigo tem por objetivo refletir acerca do processo interpretativo no ensino de língua portuguesa. Mais especificamente, discute-se sobre o valor que elementos linguísticos exercem no instante da interpretação textual do gênero fábula. Dentre os vários recursos linguísticos existentes, este trabalho aborda elementos que colaboram na construção dos significados e na tessitura do texto, focalizando, então, o processo de referenciação. A fim de promover, considerando os limites e as possibilidades desta investigação, uma compreensão mais precisa do corpus, dentre os elementos referenciais possíveis na língua portuguesa, opta-se por focalizar as retomadas não correferenciais, tendo em vista serem concebidas como uma forma de manifestação do produtor do texto (KOCH, 2005). Parte-se da hipótese de que a abordagem desse recurso linguístico no ensino de língua portuguesa pode auxiliar o aluno na interpretação textual, tendo em vista o seu papel no processo de extração de informações relevantes do texto. Para efeito de sondagem, toma-se como corpus de análise respostas interpretativas produzidas, a partir de fábulas de La Fontaine, por alunos do 6º ano de uma escola pública de Cascavel, PR. Constata-se que, ao usar tais anáforas em suas respostas, os alunos deixam transparecer suas escolhas com a finalidade de destacar traços ou características do referente e, assim, avaliá-lo segundo suas crenças e seus pontos de vista. Nessa direção, observa-se que os alunos realizaram estratégias de (re)construção do referente, demonstrando compreensão dos textos lidos. Palavras-chave: Anáfora não correferencial. Gênero fábula. Interpretação textual. Interconexão linguística e literária.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Bidarra, J., & Reis, L. (1). O elemento referencial na construção de significados do gênero fábulas. Revista Desenredo, 9(1). https://doi.org/10.5335/rdes.v9i1.3545
Seção
Artigos