Literatura e interdependência: as funções sociais da tragédia grega

  • Francisco Fianco

Resumo

O presente artigo pretende ser uma análise das diversas funções sociais desempenhadas pela tragédia enquanto gênero literário no contexto da cultura grega clássica. Para tanto, discorre-se sobre os três principais tragediógrafos do período, Ésquilo, Sófocles e Eurípides, para caracterizar suas obras como, respectivamente, arte como justificativa estética da existência por meio do pensamento mitológico, literatura como purgação das paixões e alívio da angústia existencial, e, por fim, narrativa como instrumento pedagógico e moralizante. A base interpretativa desta análise dá-se a partir da obra O nascimento da tragédia, de Friedrich Nietzsche, bem como de críticas e autocríticas ao texto citado e de outros especialistas em tragédia grega e literatura clássica, como Junito de Souza Brandão e Bárbara Freitag. Palavras-chave: Tragédia. Nietzsche. Ésquilo. Sófocles. Eurípides.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Fianco, F. (1). Literatura e interdependência: as funções sociais da tragédia grega. Revista Desenredo, 9(1). https://doi.org/10.5335/rdes.v9i1.3540
Seção
Artigos