Da leitura como se deserto: inscrição e sujeição significante

  • Piero Eyben

Resumo

O presente ensaio tem por objetivo discutir a leitura a partir da metáfora do deserto e de suas consequências metafigurativas (conforme a define Paul de Man) para a compreensão de uma teoria da leitura do texto literário. Ao ler três autores emblemáticos – Borges, Llansol e Vila-Matas –, pretendo desenvolver uma análise de seus modos particulares (à maneira de tropos) de se pensar a relação de poder entre sujeito da leitura e a sujeição pela leitura na escritura literária. Palavras-chave: Leitura. Deserto. Metafiguração. Escritura. Sujeição.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
Eyben, P. (1). Da leitura como se deserto: inscrição e sujeição significante. Revista Desenredo, 9(1). https://doi.org/10.5335/rdes.v9i1.3538
Seção
Artigos