Uma interface entre signo linguístico e o romance O despertar, de Kate Chopin

  • Fabiane Verardi Burlamaque
  • Deisi Luzia Zanatta
Palavras-chave: Interface. Linguística. Literatura. Signo linguístico. O despertar.

Resumo

Este estudo tem como norteamento central realizar uma interface entre linguística e literatura, especificamente objetivando analisar e descrever o ponto de ligação entre a teoria do signo linguístico proposto por Ferdinand de Saussure (1916) e o romance O despertar, de Kate Chopin (1851-1904). Opta-se por essa abordagem em razão da importância de pesquisas interfaciais, envolvendo estudos linguísticos e literários. De acordo com a base teórica, o romance é entendido, neste artigo, como uma estrutura, bem como o funcionamento da língua proposto pelo mestre genebrino, tendo como contribuições teóricas os pressupostos de Bakhtin (1988a, 1988b), Benveniste (1995), Carvalho (2003), Marcuschi (2002) e Saussure (1996). Os procedimentos metodológicos são de cunho qualitativo, inserindo-se no método indutivo. A pesquisa mostrou que essa ligação é concebida de acordo com o princípio da arbitrariedade em que o romance de Chopin é entendido como uma estrutura que compreende uma representação textual e linguística (significante) e uma finalidade social (significado). A relação com a imutabilidade ocorre quando o romance não pode ser modificado pela sociedade leitora, fazendo com que sua finalidade social permaneça estável. Já a mutabilidade permite que alguns intelectuais aperfeiçoem o gênero por meio da representação textual e linguística já existente, como também a evolução do romance através do tempo. As características da imutabilidade e mutabilidade também condizem com o discurso de emancipação da protagonista de O despertar, pois sua voz muta da anulação à emancipação, fazendo com que seu discurso emancipatório se torne imutável ao final do romance. No que diz respeito à diacronia e sincronia, a relevância ocorre ao estudarmos o romance em questão e sua evolução através do tempo, em razão dos motivos que o relegaram e o fizeram renascer das cinzas, chegando até a contemporaneidade, exercendo fundamental importância para os estudos feministas. Mas também é possível estudá-lo num determinado momento do tempo, ressaltando sua importância somente para dias atuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-05-10
Como Citar
Burlamaque, F., & Zanatta, D. (2012). Uma interface entre signo linguístico e o romance O despertar, de Kate Chopin. Revista Desenredo, 7(2). Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/rd/article/view/2400
Seção
Artigos

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##