O poético que se instaura no vocal: a experiência da criança na linguagem

Palavras-chave: Aspecto vocal da enunciação, Função poética, Aquisição da linguagem

Resumo

Neste estudo, tematiza-se o papel dos arranjos vocais na vivência, pela criança, de experiências de linguagem que se marcam pela função poética da linguagem. A problemática que move essa reflexão centra-se na seguinte questão: qual o papel dos arranjos vocais na experiência da criança com a língua em sua manifestação poética? Para dar conta dessa problemática, assume-se a perspectiva enunciativa aquisicional, a qual ilumina o olhar para os fatos enunciativos de uma criança na faixa etária de dois anos a dois anos e seis meses, os quais compõem um corpus de dados naturalísticos. A análise dos fatos permite afirmar que os arranjos vocais mobilizados pela criança na sua experiência com a língua em manifestações poéticas advêm, principalmente, de esquemas culturais por ela vivenciados em brincadeiras musicadas, as quais são construídas com outras crianças e com adultos, no universo que caracteriza as relações sociais da infância. Logo, a vivência do poético na experiência de aquisição da linguagem abre a possibilidade de a criança experimentar novos modos de dizer, novas relações com a língua e com o outro, constituindo-se como sujeito do seu dizer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlete Sandra Diedrich, Universidade de Passo Fundo
Professora do Curso de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade de Passo Fundo
Publicado
2020-03-09
Como Citar
Diedrich, M. (2020). O poético que se instaura no vocal: a experiência da criança na linguagem. Revista Desenredo, 16(1). https://doi.org/10.5335/rdes.v16i1.10694