Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática http://seer.upf.br/index.php/rbecm <p>A<strong>&nbsp;RBECM</strong> possui publicação semestral sob a responsabilidade do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECM), voltada exclusivamente para a pesquisa na área de ensino/aprendizagem de Ciências (Física, Química, Biologia ou Ciências Naturais, quando enfocadas de maneira integrada) e Matemática.</p> <p>Este periódico tem como objetivo principal a divulgação aberta de trabalhos relevantes e originais em pesquisa em ensino de Ciências e Matemática para a comunidade internacional de pesquisadores.</p> <p>ISSN:&nbsp;<strong>2595-7376</strong></p> Universidade de Passo Fundo pt-BR Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática 2595-7376 <p>Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença&nbsp;<strong><a id="LPlnk951166" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR" target="_blank" rel="noopener noreferrer" data-auth="NotApplicable">https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR</a></strong></p> <p>&nbsp;<img src="http://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" alt="Creative Commons License"></p> Expediente http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9731 Aline Locatelli ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 1 4 10.5335/rbecm.v2i1.9731 Editorial http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9730 Everton Bedin José Claudio Del Pino ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 5 7 10.5335/rbecm.v2i1.9730 A contextualização e seus impactos nos processos de ensino e aprendizagem da ciência química http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9732 <p>A prática de contextualizar no ensino de química, apesar de ser dificilmente encontrada, é uma&nbsp;atividade significativa para a construção da aprendizagem do aluno, pois, quando realizada&nbsp;de forma satisfatória, tem a capacidade de significar seus conhecimentos do contexto à luz da maximização e aquisição do conteúdo científico. Nesse sentido, o presente artigo tem o objetivo&nbsp;de entender de que forma a contextualização é utilizada no ensino de química e como ela pode&nbsp;impactar na postura e no aprendizado dos estudantes à luz da participação em sala de aula, bem como na conexão entre os saberes e os conteúdos científicos. Os dados foram coletados&nbsp;por meio da observação em quatro aulas diferentes no ensino técnico, considerando-se o uso&nbsp;do diário de bordo e a interpretação e a reflexão da escrita neste para a qualificação dos dados. No término, pode-se perceber que a contextualização qualifica o processo de ensinagem, na&nbsp;medida em que o aluno faz parte cooperativa da construção do seu saber científico a partir do&nbsp;seu contexto, além de que esta é uma forma de demonstrar as competências e habilidades do docente, proliferando saberes e reflexões acerca de sua formação inicial e a necessidade de&nbsp;uma formação continuada com vistas a metodologias de ensino que valorizam o saber do aluno.</p> Isadora Finger Everton Bedin ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 8 24 10.5335/rbecm.v2i1.9732 Atividades construtivistas diversificadas para introdução à Química: um estudo em uma escola da Amazônia ribeirinha http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9121 <p>Este artigo apresenta e discute a estrutura e a aplicação de um conjunto de atividades didáticas para o ensino de Química em uma turma de 25 estudantes do primeiro ano do ensino médio de uma escola pública localizada em uma comunidade ribeirinha do município de Breves, PA. Tratam-se de atividades inspiradas em diferentes estratégias, oriundas de sugestões didáticas de diversas pesquisas contemporâneas sobre o processo de ensino-aprendizagem de Química, que vão desde a realização de atividades de leitura analítica de textos informativos até a problematização de experimentos de Química relativamente simples para executar em salas de aula comuns. Foi possível observar um maior engajamento dos estudantes na realização das tarefas propostas bem como indícios qualitativos de melhor compreensão dos assuntos abordados ao longo das aulas.</p> Jesus Cardoso Brabo Vital Júnior de Oliveira Souza ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 25 43 10.5335/rbecm.v2i1.9121 Análise de rótulos de suplementos alimentares em aulas de Química: uma atividade de ensino de CTS http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9028 <p>Este trabalho apresenta uma atividade de ensino de ciência, tecnologia e sociedade (CTS), na qual foram analisados rótulos de suplementos alimentares, com o objetivo norteador de auxiliar o professor na tarefa de avigorar ou renovar seus conhecimentos sobre temas químicos e suas relações com o trinômio química-saúde-sociedade. O trabalho foi desenvolvido com 74 alunos da terceira série do ensino médio, de uma escola pública do município de Mesquita, RJ. Foram observadas percepções discentes equivocadas acerca dos suplementos alimentares, que permitiram possibilidades de mediação entre o conhecimento escolar e o conhecimento do aluno, com novos significados para a química na vida dos alunos participantes da pesquisa. Abordar o tema suplementos alimentares em aulas de Química estabelece uma relação entre essa disciplina e a saúde, permitindo que os alunos reflitam sobre os riscos que envolvem o consumo de suplementos alimentares sem orientação profissional, além de um olhar crítico para o comércio dessas substâncias, com aspectos econômicos e éticos.</p> Amanda Torres Vieira da Costa Jorge Cardoso Messeder ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 44 52 10.5335/rbecm.v2i1.9028 Estratégias de ensino de ciências e a promoção do pensamento crítico em contexto brasileiro http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8697 <p>Internacionalmente, os estudos sobre o processo de ensino e aprendizagem baseado na promoção do pensamento crítico (PC) vêm sendo cada vez mais valorizados, porém, não em contexto brasileiro. Acredita-se que analisar as estratégias de ensino utilizadas no Brasil para ensinar ciências é crucial, no sentido de criar subsídios para facilitar a compreensão acerca das possibilidades de promoção do PC, bem como de seus desdobramentos no desenvolvimento curricular e em processos de formação de professores. Foi realizada uma análise dos referenciais brasileiros que discutem a promoção do PC, o que mostrou a precariedade de discussão dessa forma de pensamento em contextos educativos. Para uma melhor compreensão, procedeu-se à análise das seguintes estratégias: experimentação investigativa, ensino por investigação, educar pela pesquisa, resolução de problemas, situações de estudo e pedagogia de projetos. Objetiva-se instigar novos estudos, que favoreçam professores na hora de escolher/adaptar a estratégia de ensino para sua realidade e estimulem um processo de escolha mais reflexivo e direcionado ao desenvolvimento de atitudes críticas. Acredita-se que estudos nesta direção possam ser empreendidos em análises de políticas públicas educacionais curriculares, materiais didáticos e processos de formação de professores, na perspectiva de envidar esforços para avançar no desenvolvimento desta área, em contexto brasileiro.</p> Camila Boszko Roque Ismael da Costa Güllich ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 53 71 10.5335/rbecm.v2i1.8697 Determinação da qualidade de vinhos artesanais produzidos na Mesorregião do Noroeste Rio-Grandense http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9739 <p>O vinho é uma bebida obtida da fermentação alcoólica da uva madura e fresca ou do suco de uva fresco. Sua definição bioquímica é caracterizada como bebida proveniente da fermentação alcoólica dos açúcares de suco de uva pelas leveduras e, em alguns casos, pelas bactérias lácticas. A presente pesquisa objetiva conhecer a realidade da qualidade de vinhos artesanais comercializados em feiras de produtores ou adquiridos diretamente em propriedades rurais. Pretende-<br>-se analisar quantitativamente, por meio de análises físico-químicas, determinados parâmetros, como: o teor alcoólico e a acidez total de vinhos tintos e brancos produzidos e comercializados na Mesorregião do Noroeste Rio-Grandense. A região em estudo possui uma significativa quantidade de produtores rurais que produzem vinhos para agregar valores às atividades desenvolvidas nas suas propriedades. Os vinhos artesanais são amplamente consumidos na região pesquisada por questões culturais, devido à sua qualidade sensorial diferenciada e também pelos benefícios que traz a saúde, quando consumidos de forma moderada. No caso do vinho, a determinação de acidez e teor alcoólico fornece um dado importante do estado de conservação do produto, uma<br>vez que, na produção artesanal do vinho, um dos principais problemas está relacionado com a acidificação precoce do produto mediante a transformação do álcool em ácido acético, já que não há um efetivo controle na hora da fabricação, bem como na conservação do produto, uma vez que as boas práticas de fabricação pouco são conhecidas ou praticadas.</p> Natália Ambrósio Luciana Dornelles Venquiaruto Rogério Marcos Dallago Rozelaine de Fatima Franzin João Carlos Krause Bethina Pascuetti Tres Nadia Ligiamara Dewes Nyari ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 72 83 10.5335/rbecm.v2i1.9739 Prática pedagógica integrada de alfabetização matemática e literatura infantil http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9153 <p>Este artigo tem como objetivos apresentar, descrever e discutir o ensino integrado de alfabetização matemática e linguística por meio da literatura infantil, no que concerne, especificamente, o ensino de geometria. As propostas didáticas apresentadas nesta pesquisa abordam o ensino de geometria (espaço e forma), especificamente as habilidades relacionadas a localização e movimentação no espaço, reconhecimento, composição e decomposição de figuras planas e seus elementos (aresta, vértice, lado, etc.), a partir da leitura de dois textos de literatura infantil. A prática docente deu-se por meio de duas sequências de atividades, construídas com o propósito de desenvolver um ensino integrado de alfabetização matemática e alfabetização linguística em uma turma multisseriada, composta por alunos de 1º, 2º e 3º anos do ensino fundamental.<br>Nesta pesquisa, percebemos que é possível trabalhar a disciplina matemática de maneira contextualizada<br>e integrada com a língua portuguesa por meio da literatura infantil.</p> Fabio Colins Patrícia Pena Moraes Arthur Gonçalves Machado Júnior ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 84 98 10.5335/rbecm.v2i1.9153 A construção de narrativas digitais por professores de ciências: análise de uma experiência de formação mediada pelas tecnologias http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9330 <p>Este estudo apresenta e analisa quatro encontros que constituíram uma experiência de formação cujo foco foi o desenvolvimento de narrativas digitais por professores de ciências de uma escola da rede particular do sul do estado de Minas Gerais, Brasil. Essa experiência formativa de produção de narrativas digitais foi organizada com o propósito de promover a reflexão dos docentes sobre o uso pedagógico das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDICs), tendo como ponto de partida a pergunta: “Tenho um tablet. E agora?”. A análise dos encontros desse processo formativo permitiu identificar a narrativa digital como um elemento<br>motivador e promotor de reflexão na formação de professores, pois os docentes tiveram a oportunidade<br>de compartilhar suas práticas com tecnologias, refletir sobre elas e, por vezes, alterá-las. Também, nas narrativas digitais resultantes dessa experiência, identificou-se a potencialidade de um recurso cognitivo a ser utilizado na formação continuada, mas também na inicial, de professores, apresentando-se viável e acessível para as diferentes realidades e contextos das escolas brasileiras.</p> Vanessa Aparecida Schumann Santos Alessandra Rodrigues Mikael Frank Rezende Junior ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 99 118 10.5335/rbecm.v2i1.9330 Conhecimento pedagógico do conteúdo no ensino de Geometria Elementar: conceito de medida http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9345 <p>Este artigo é um recorte de uma dissertação de mestrado que teve por objetivo analisar quais contribuições um espaço de formação continuada de professores de Matemática pode proporcionar à construção do conhecimento pedagógico do conteúdo em Geometria Elementar. A fundamentação teórica do trabalho apoia-se no conjunto de conhecimentos que o professor necessita para o ensino, em especial o conhecimento pedagógico de conteúdo (pedagogical content knowledge – PCK), proposto por David Lee Shulman. Para a realização da pesquisa, contamos com a colaboração de um grupo de seis professores (incluindo a própria pesquisadora), os quais estavam matriculados na disciplina “Matemática nos anos iniciais: conteúdos e<br>produção de atividades do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Franciscana”. A complexidade do PCK, bem como o fato de esse ser construído em situações reais em sala de aula, dificultou sua construção para os professores que não possuem experiência de ensino nos anos iniciais. Porém, acreditamos ser possível proporcionar-lhes uma “condição favorável” à construção e ao desenvolvimento do PCK em formações que instiguem esse conhecimento. Como resultado, concluímos que os cursos que exigem do professor reflexão e que contemplam o conhecimento matemático juntamente com o conhecimento pedagógico do conteúdo podem contribuir de forma satisfatória e positiva no ensino e na<br>aprendizagem desse profissional, pois, desse modo, ele não aprende apenas “o que ensinar”, mas também “como ensinar”.</p> Débora Silva de Lara José Carlos Pinto Leivas ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 119 137 10.5335/rbecm.v2i1.9345 Educação não formal: atividades experimentais em uma cooperativa de catadores http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9735 <p>Integrando ações do Projeto de Extensão Aulão na Cooperativa Amigos do Meio Ambiente (Coama), da Universidade de Passo Fundo (UPF), ocorreu, no segundo semestre de 2018, a realização de atividades experimentais não formais com sequências didáticas de conteúdos de Ciências e Química, desenvolvidos por uma acadêmica do curso de Química Licenciatura da UPF, destinadas aos trabalhadores da Coama. O objetivo do trabalho realizado foi possibilitar aos cooperados o acesso a alguns conceitos científicos da área Ciências Naturais, que poderão dar as explicações sobre alguns fenômenos do cotidiano desses sujeitos, bem como auxiliar para que eles consigam atingir o objetivo de certificação dos ensinos fundamental e médio, por<br>intermédio das provas do supletivo, ofertadas pelo Núcleo de Educação de Jovens e Adultos.</p> Kérly Alessandra Rosa Denkio Silva Clóvia Marozzin Mistura Elisabeth Maria Foschiera ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 138 149 10.5335/rbecm.v2i1.9735 O jogo digital on-line e as funções cognitivas de atenção e memória em Matemática: um estudo em neurociências http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/9348 <p>Este artigo tem por objetivo apresentar um produto educacional referente a uma pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação da Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Erechim. Trata-se dos jogos digitais on-line: Space Race e Batalha Matemática, que oferecem estratégias para o desenvolvimento das funções cognitivas humanas. Definimos o perfil dos estudantes nativos digitais e mostramos o jogo como perspectiva inovadora aos processos de ensinar e aprender. Apresentamos uma breve revisão de estudos relativos às funções cognitivas de atenção e memória associadas ao uso das tecnologias digitais de informação e comunicação na perspectiva da neurociência. Os resultados apontam que o estudante mantém a atenção sensorial/mental voltada à atividade quando está interagindo com o jogo, bem como faz o uso da memória de trabalho e de processos de evocação e consolidação de memória permanente. Consequentemente, estes e outros jogos digitais podem ser considerados importantes aliados à aprendizagem matemática.</p> Sindia Liliane Demartini da Silva Nilce Fátima Scheffer ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2019-08-16 2019-08-16 2 1 150 171 10.5335/rbecm.v2i1.9348