http://seer.upf.br/index.php/rbecm/issue/feed Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática 2018-08-16T09:24:10-03:00 Aline Locatelli alinelocatelli@upf.br Open Journal Systems <p>A<strong>&nbsp;RBECM</strong> possui publicação semestral sob a responsabilidade do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECM), voltada exclusivamente para a pesquisa na área de ensino/aprendizagem de Ciências (Física, Química, Biologia ou Ciências Naturais, quando enfocadas de maneira integrada) e Matemática.</p> <p>Este periódico tem como objetivo principal a divulgação aberta de trabalhos relevantes e originais em pesquisa em ensino de Ciências e Matemática para a comunidade internacional de pesquisadores.</p> <p>ISSN:&nbsp;<strong>2595-7376</strong></p> http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8490 Expediente 2018-08-16T09:24:10-03:00 Aline Locatelli alinelocatelli@upf.br 2018-08-10T17:22:27-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8487 Editorial 2018-08-10T17:22:27-03:00 Aline Locatelli alinelocatelli@upf.br Luiz Marcelo Darroz ldarroz@upf.br 2018-08-10T17:22:27-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8474 Performance Matemática Digital: o aluno produzindo vídeos e construindo conceitos 2018-08-12T20:09:01-03:00 Carla Denize Ott Felcher carlafelcher@gmail.com Ana Cristina Medina Pinto cpinto.ana@gmail.com Vanderlei Folmer vanderleifolmer@unipampa.edu.br <p>O presente artigo tem por objetivo apresentar e analisar a produção de vídeos por alunos como uma performance matemática digital. Para tal, desenvolveu-se um estudo de caso, na disciplina de Matemática, com 54 alunos de três turma dos anos finais do ensino fundamental de uma escola pública da cidade de Canguçu, RS. Foram produzidos 13 vídeos, dos quais três foram selecionados, um de cada turma, os mais coerentes com a proposta, sendo que, desses três, um foi premiado em dois festivais de vídeos. Para os alunos, a produção foi de suma importância, visto que possibilitou aprender mais o conteúdo e de maneira diferenciada, sendo que mais de 90% desses alunos responderam que gostariam de produzir novos vídeos.</p> 2018-08-10T17:22:28-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8475 Vídeos como objetos de aprendizagem potencialmente significativos 2018-08-12T20:23:14-03:00 Adriano Edo Neuenfeldt adrianoneuenfeldt@univates.br Rogério José Schuck rogerios@univates.br Lara Kalkmann Goulart lara.goulart@univates.br <p>Este artigo versa sobre a produção de vídeos como objetos de aprendizagem potencialmente significativos (Oaps). Os vídeos foram postados num canal do YouTube gerenciado pelos próprios estudantes. Com o trabalho desenvolvido, buscaram-se analisar e apontar alternativas metodológicas, para incluir os estudantes nos processos de ensino e de aprendizagem. Foi desenvolvido um estudo de caso que envolveu estudantes matriculados na disciplina de cálculo de uma instituição do ensino superior. Ressalta-se que a proposta permanece em desenvolvimento e, até o momento, foi possível perceber que os estudantes se comportam, principalmente, como consumidores de informação e, em menor escala, como produtores de conhecimento, tendo o professor como mediador do processo.</p> 2018-08-10T17:22:28-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8477 Utilização da metodologia WebQuest nas aulas de matemática: uma proposta para o estudo de matrizes 2018-08-12T21:12:50-03:00 Camila Faligurski Fim 151179@upf.br Pâmela Ceolin Pinto 151200@upf.br Rosana Maria Luvezute Kripka rkripka@upf.br <p>Apresenta-se resultados de uma pesquisa em desenvolvimento, na qual se propõe a utilização do recurso tecnológico digital da WebQuest para o ensino e a aprendizagem de matemática. Também propõe-se a elaboração de uma tarefa para abordagem do tópico matrizes, envolvendo o uso de materiais educacionais, disponibilizados na rede mundial de computadores (WWW), bem como o uso da resolução de problemas, tendo em vista potencializar e facilitar a aprendizagem significativa desse objeto matemático. Pretende-se aplicar a tarefa com estudantes do ensino médio, com o objetivo de avaliar qualitativamente as implicações observadas em termos de aprendizagens ocorridas.</p> 2018-08-10T17:22:29-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8478 Geometria analítica com GeoGebra usando a Teoria dos Campos Conceituais de Vergnaud no ensino médio 2018-08-12T21:29:04-03:00 Candido dos Santos Silva candidossilva@gmail.com Miguel Raymundo Flores Santibanez santibanez@gmail.com Delfa Mercedes Huatuco Zuasnábar delfa.zuasnabar@ufrr.br <p>Os docentes estão inserindo a utilização da tecnologia para incrementar e dinamizar suas aulas, de modo a prender a atenção dos estudantes, possibilitando a interação entre a teoria e a prática em sala de aula.<br />Este trabalho apresenta os resultados obtidos de uma pesquisa quali-quantitativa de trabalho de campo utilizando o software GeoGebra e suas funcionalidades nas aulas de geometria analítica: ponto e reta, tendo como base as atividades propostas para uma turma de ensino médio. Destaca-se o uso da Teoria dos Campos Conceituais de Vergnaud e do software no auxílio ao desenvolvimento do processo educacional, proporcionando novos horizontes, apoiando os processos de ensino e aprendizagem dos estudantes.</p> 2018-08-10T17:22:29-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8480 Explosion Math: um jogo digital como recurso na aprendizagem de Matemática 2018-08-12T21:46:14-03:00 Bruna Takita brunatakita@hotmail.com Jackson Santana jack.rsantana@gmail.com Pedro de Souza profpedromoises@gmail.com <p>Este artigo tem como objetivo apresentar o desenvolvimento e a aplicação de um jogo digital educacional que aborda conteúdos específicos da Matemática dos anos finais do ensino fundamental I, com foco no 5º ano. Explosion Math, inspirado no jogo clássico Bomberman, foi desenvolvido utilizando o motor gráfico Unity 3D e pretende auxiliar o ensino de matemática de forma diferenciada e dinâmica. O jogo propõe aos alunos uma viagem com o astronauta Albert, um garoto apaixonado por Matemática, que, ao descobrir a existência de planetas matemáticos, embarca em uma aventura espacial. A missão de Albert é explorar os planetas Numérico, Geométrico e Grammy (grandezas e medidas), a fim de obter o conhecimento presente em cada um deles.</p> 2018-08-10T17:22:30-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8479 A metodologia Dicumba como uma tempestade de possibilidades para o desenvolvimento do ensino de Química 2018-08-12T21:57:22-03:00 Everton Bedin bedin.everton@gmail.com José Claudio Del Pino delpinojc@yahoo.com.br <p>Este artigo apresenta resultados de uma atividade investigativa realizada por meio do aprender pela pesquisa à luz da metodologia de ensino denominada Dicumba, proporcionando ao aluno a conexão de sua vivência com os saberes do conteúdo da ciência química e ao professor a percepção da necessidade de uma formação continuada para aperfeiçoar seu saber intradisciplinar. A pesquisa se enquadra em um viés qualitativo-quantitativo e foi desenvolvida, durante três meses, com uma turma de segundo ano do ensino médio. A coleta de dados foi realizada por meio da observação participante e da aplicação de um questionário estruturado. Os dados coletados foram interpretados à luz da análise de conteúdos de Bardin e apresentados por meio de quadros e gráficos. Ao término, conclui-se que a metodologia Dicumba é fiel quanto ao desenvolvimento de atividades pedagógicas que levam os alunos à aprendizagem, pois estes colocam-na como algo inovador, sendo uma ação de aprimorar e ressignificar saberes de forma universal-bilateral. Por fim, sugere-se que o aprender pela pesquisa seja, urgentemente, incorporado nas práticas pedagógicas, buscando a formação do sujeito e a estruturação curricular a partir do contexto e da vivência do aluno, para, então, construir conhecimentos científicos relacionados à ciência química.</p> 2018-08-10T17:22:30-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8476 Metodologias ativas e tecnologias digitais na formação do professor de computação 2018-08-12T22:10:25-03:00 Adão Caron Cambraia adao.cambraia@iffarroupilha.edu.br Leonardo Matheus Pagani Benvenutti leonardo.benvenutti@iffarroupilha.edu.br <p>Neste texto, apresentamos um relato de experiência da disciplina Metodologia do Ensino da Computação II, desenvolvida no curso de licenciatura em Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha, Campus Santo Augusto. A proposta é apresentar conceitos como: projetos, ensino híbrido, salas de aula invertidas como potenciais a práticas inovadoras na licenciatura e nas escolas de educação básica. Destacamos conceitos de metodologias ativas aliadas com as tecnologias digitais e analisamos as atividades desenvolvidas na disciplina e a importância da articulação de conhecimentos tecnológicos, pedagógicos e de conteúdo para concretizar a presença de uma cultura digital na educação. Aliamos o planejamento de projetos com tecnologias como forma de estudo e envolvimento profissional na educação, o que proporciona o entendimento de que não basta a incorporação de tecnologias na educação de forma descontextualizada, sendo fundamental um planejamento coletivo<br />na comunidade escolar.</p> 2018-08-10T17:22:31-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8481 Pensamento computacional na educação básica: interface tecnológica na construção de competências do século XXI 2018-08-12T22:19:55-03:00 Debora Conforto debora@maristas.org.br Patrícia Cavedini patricia@maristas.org.br Roxane Miranda roxane@maristas.org.br Saulo Caetano saulo.caetano@maristas.org.br <p>Este artigo discute a implementação da ação pedagógica Oficina de Pensamento Computacional no âmbito da educação básica, em Porto Alegre, objetivando socializar uma das possíveis respostas para o desafio de alinhar a escola às demandas colocadas por um contexto sociocultural, político e econômico edificado pelas tecnologias da informação e comunicação. Problematizam-se as premissas que justificam a inclusão dessa ação na grade curricular, delineando as estratégias de implementação, de acompanhamento e de avaliação, especialmente por escutar os participantes e dar voz a eles.</p> 2018-08-10T17:22:31-03:00 ##submission.copyrightStatement##