A contextualização e seus impactos nos processos de ensino e aprendizagem da ciência química

  • Isadora Finger Universidade Luterana do Brasil (Ulbra)
  • Everton Bedin
Palavras-chave: Contextualização, Ensino de química, Saberes

Resumo

A prática de contextualizar no ensino de química, apesar de ser dificilmente encontrada, é uma atividade significativa para a construção da aprendizagem do aluno, pois, quando realizada de forma satisfatória, tem a capacidade de significar seus conhecimentos do contexto à luz da maximização e aquisição do conteúdo científico. Nesse sentido, o presente artigo tem o objetivo de entender de que forma a contextualização é utilizada no ensino de química e como ela pode impactar na postura e no aprendizado dos estudantes à luz da participação em sala de aula, bem como na conexão entre os saberes e os conteúdos científicos. Os dados foram coletados por meio da observação em quatro aulas diferentes no ensino técnico, considerando-se o uso do diário de bordo e a interpretação e a reflexão da escrita neste para a qualificação dos dados. No término, pode-se perceber que a contextualização qualifica o processo de ensinagem, na medida em que o aluno faz parte cooperativa da construção do seu saber científico a partir do seu contexto, além de que esta é uma forma de demonstrar as competências e habilidades do docente, proliferando saberes e reflexões acerca de sua formação inicial e a necessidade de uma formação continuada com vistas a metodologias de ensino que valorizam o saber do aluno.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-16
Como Citar
Finger, I., & Bedin, E. (2019). A contextualização e seus impactos nos processos de ensino e aprendizagem da ciência química. Revista Brasileira De Ensino De Ciências E Matemática, 2(1), 8-24. https://doi.org/10.5335/rbecm.v2i1.9732