Metodologias ativas e tecnologias digitais na formação do professor de computação

  • Adão Caron Cambraia Professor da licenciatura em Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha (Iffar).
  • Leonardo Matheus Pagani Benvenutti Técnico administrativo em Educação e mestrando em Educação no Iffar.

Resumo

Neste texto, apresentamos um relato de experiência da disciplina Metodologia do Ensino da Computação II, desenvolvida no curso de licenciatura em Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha, Campus Santo Augusto. A proposta é apresentar conceitos como: projetos, ensino híbrido, salas de aula invertidas como potenciais a práticas inovadoras na licenciatura e nas escolas de educação básica. Destacamos conceitos de metodologias ativas aliadas com as tecnologias digitais e analisamos as atividades desenvolvidas na disciplina e a importância da articulação de conhecimentos tecnológicos, pedagógicos e de conteúdo para concretizar a presença de uma cultura digital na educação. Aliamos o planejamento de projetos com tecnologias como forma de estudo e envolvimento profissional na educação, o que proporciona o entendimento de que não basta a incorporação de tecnologias na educação de forma descontextualizada, sendo fundamental um planejamento coletivona comunidade escolar.

Biografia do Autor

Adão Caron Cambraia, Professor da licenciatura em Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha (Iffar).
Professor da licenciatura em Computação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha(Iffar).
Leonardo Matheus Pagani Benvenutti, Técnico administrativo em Educação e mestrando em Educação no Iffar.
Técnico administrativo em Educação e mestrando em Educação no Iffar

Referências

ALONSO, K. M. et al. Aprender e ensinar em tempos de cultura digital. Revista de Educação a Distância: em Rede, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 152-168, 2014.

CAMBRAIA, A. C.; MOURA, S. P.; SILVA, H. A. Educar pela pesquisa: construção dialógica do projeto integrador na Educação Básica. Curitiba: CRV, 2017. (Coleção Educação, Espaço construído e Tecnologias: reflexões, desafios e perspectivas).

CARR, W.; KEMMIS, S. Teoria crítica de la enseñanza: investigación-acción en la formación del profesorado. Barcelona: Martinez Roca, 1988.

CLAXTON, G. O desafio de aprender ao longo da vida. Tradução de Magda Lopes. Porto Alegre: Artmed, 2005.

DEMO, Pedro. Formação permanente e tecnologias educacionais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

EDER, O. A formação do profissional de informática com vistas ao exercício pedagógico da profissão. Ijuí: Editora Unijuí, 2001.

HERNÁNDEZ, F.; VENTURA, M. A organização do currículo por projetos de trabalho: o conhecimento é um caleidoscópio. Tradução de Jussara Hauber Rodrigues. 5. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

GADOTTI, Moacir. Boniteza de um sonho: ensinar-e-aprender com sentido. 2. ed. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2011.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Computação. Santo Augusto: Instituto Federal Farroupilha, 2014. Disponível em: <http://www.sa.IF Farroupilha.edu.br/>. Acesso em:

mar. 2014.

JONASSEN, David H. Computadores, ferramentas cognitivas: desenvolver o pensamento crítico nas escolas. Tradução de Ana Rosa Gonçalves, Sandra Fradão e Maria Francisca Soares. Porto: Porto Editora, 2007.

KOEHLER, M. J.; MISHRA, P. What is technological pedagogical content knowledge? Contemporary Issues in Technology and Teacher

Education, Michigan, v. 9, n. 1, p. 60-70, 2009. Disponível em: <https://citejournal.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2016/04/v9i1general1.pdf>. Acesso em: 04 abr. 2017.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999.

______. O que é virtual. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 1996.

MACHADO, Nílson José. Educação: projetos e valores. São Paulo: Escrituras, 2000.

MANFREDI, Sílvia Maria. Metodologia do ensino: diferentes concepções. Campinas: F. E./Unicamp, 1993.

MARQUES, M. O. Escrever é preciso: o princípio da pesquisa. 4. ed. Ijuí: Unijuí, 2001.

MORAES, R.; VALDEREZ, M. R. L. (Org.). Pesquisa em sala de aula: tendências para educação em novos tempos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Educatrix – Dossiê Currículo, São Paulo: Moderna, a. 7, n. 12, p. 66-69, 2017.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução de Eloá Jacobina. 12. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

______. A religação dos saberes: o desafio do século XXI. Tradução de Flávia Nascimento. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

POZO, J. I. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Tradução de Ernani Rosa. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PRIMO, A. Interação mediada por computador: a comunicação e a educação a distância segundo uma perspectiva sistêmico-relacional. 2003. Tese (Doutorado em Informática na Educação) – Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO. Educação Superior em Computação – Estatísticas. 2015. Disponível em: <https://bit.ly/2JcXzZG>. Acesso em: 05 jul. 2015.

______. Referências de Formação em Computação: Educação Básica. Versão Julho de 2017. (Aprovado pela Comissão de Educação e apresentado no CSBC 2017). Disponível em: <http://www.sbc.org.br/noticias/10-slideshow-noticias/1996-referenciais-de-formacao-em-computacao-educacao-basica>. Acesso em: 18 jul. 2017.

SERRES, Michel. Novas tecnologias e sociedade pedagógica: uma conversa com Michel Serres. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 4, n. 6, fev. 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832000000100013>. Acesso em: 28 jan. 2018.

SILVA, Marco. Sala de aula interativa. 2. ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2001.

SILVA, Sidinei Pithan da. Conhecimento e complexidade: notas sobre o disciplinar, o interdisciplinar e o transdisciplinar na educação. In: MARTINAZZO, C. J.; SILVA, S. P.; CASSOL, C. V. (Org.). Complexidade e educação em diálogo. Ijuí: Editora Unijuí; Frederico Westphalen: URI, 2016. p. 19-34.

VEEN, W.; VRAKKING, B. Homo Zapiens: educando na era digital. Tradução de Vinicius Figueira. Porto Alegre: Artmed, 2009.

Publicado
2018-08-10
Como Citar
Caron Cambraia, A., & Pagani Benvenutti, L. (2018). Metodologias ativas e tecnologias digitais na formação do professor de computação. Revista Brasileira De Ensino De Ciências E Matemática, 1(1). Recuperado de http://seer.upf.br/index.php/rbecm/article/view/8476