Como a Física aplicada ao trânsito foi abordada no ENEM de 1998 até 2018?

Palavras-chave: Alfabetização Científica, Pesquisa documental, Avaliação

Resumo

Resumo: Apresentamos os resultados de uma pesquisa documental que analisou as características de itens do ENEM que abordaram a Física aplicada ao trânsito. Os índices e causas de acidentes reforçam a importância de o tema ser discutido na escola. A Física ganha um papel fundamental no debate, pois pode fornecer subsídios para a compreensão das relações de causa e efeito que os fenômenos científicos podem acarretar em situações do trânsito. Assim, justifica-se o desejo de conhecer como um exame da magnitude do ENEM abordou esse tema, aliado à Física, durante os seus 20 anos de aplicação. Encontramos 33 itens, que foram analisados de acordo com suas características e comparados com os eixos de Alfabetização Científica propostos por Miller (1983). A maioria deles encaixou-se dentro dos parâmetros de itens conteudistas. Nenhum abordou aspectos epistemológicos e apenas uma parcela pequena versou sobre o impacto da ciência e tecnologia na sociedade e ambiente. Além disso, aplicamos a noção de Proficiência Científica para agrupar 24% dos itens que não puderam ser classificados nos eixos acima mencionados. Ainda sugerimos, em estudos futuros, analisar os 33 itens à luz da psicometria através dos Microdados do ENEM.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrick Alves Vizzotto, Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES
Doutor em Educação em Ciências pela UFRGS (2019). Mestre em Educação em Ciências pela FURG (2017). Graduado em Física Licenciatura pela UPF (2014). Atualmente realiza estágio de Pós-doutorado (PNPD/CAPES) no Programa de Pós-graduação em Ensino da UNIVATES, pesquisando a temática da Alfabetização Científica. Participa dos Grupos de Pesquisa Processos de Ensino e Aprendizagem em Ciências - UNIVATES e Inovações no Ensino de Ciências - FURG. É revisor de periódicos na área do Ensino e da Educação. Tem experiência na área de Ensino de Física, com ênfase em mensuração da Alfabetização Científica, Física aplicada ao trânsito e retenção dos conhecimentos de Física em egressos do Ensino Médio.
Luiz Fernando Mackedanz, Universidade Federal do Rio Grande - FURG
possui graduação em Licenciatura Em Física pela Universidade Federal de Pelotas (2000), mestrado em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003) e doutorado em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). Atualmente trabalha como professor associado no Instituto de Matemática, Estatística e Física (IMEF) da Universidade Federal do Rio Grande, atuando junto aos programas de Pós Graduação em Educação em Ciências (PPGEC) e Mestrado Profissional em Ensino de Física (MNPEF). Atualmente, ocupa a coordenação do curso de Física Licenciatura. Trabalhou como professor assistente da Universidade Federal de Pelotas, lotado na Universidade Federal do Pampa, campus Caçapava do Sul, atuando junto ao curso de Geofísica. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Fenomenologia de Partículas Em Altas Energias e atua, desde 2010, na área de Educação em Ciências e Ensino de Física, atuando com os temas: formação de professores, inovações pedagógicas no ensino de ciências, temas controversos da física, contextualização e historicidade das ciências, interdisciplinaridade na atuação e formação de professores, formação continuada de professores de ciências naturais, relações de poder no currículo de ciências naturais. Coordena o Grupo de Pesquisa em Inovações no Ensino de Ciências (INOVAFIS), onde o foco de estudo são as inovações metodológicas e teóricas no processo ensino e aprendizagem, mantendo a historicidade das relações, bem como entendendo o caráter epistemológico destas inovações.
Publicado
2020-04-01
Como Citar
Vizzotto, P., & Mackedanz, L. (2020). Como a Física aplicada ao trânsito foi abordada no ENEM de 1998 até 2018?. Revista Brasileira De Ensino De Ciências E Matemática, 3(1). https://doi.org/10.5335/rbecm.v3i1.10017