http://seer.upf.br/index.php/rbceh/issue/feed Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano 2018-07-26T13:55:58-03:00 Charise Dallazem Bertol e Silvana Alba Scortegagna rbceh@upf.br Open Journal Systems Comunicamos que a partir do v. 13, n.1 de 2016, a revista conta apenas com o ISSN online. http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/8373 Contra capa 2018-07-24T17:27:50-03:00 Editores RBCEH moretto@upf.br 2018-07-24T17:27:50-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/8374 Editorial 2018-07-24T17:27:51-03:00 Cleide Fátima Moretto moretto@upf.br Nadir Antônio Pichler nadirp@upf.br 2018-07-24T17:27:51-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/8375 Pessoa fotografada 2018-07-24T17:27:52-03:00 Editores RBCEH moretto@upf.br 2018-07-24T17:27:51-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/7376 Utilização dos critérios de Beers para avaliação das prescrições em idosos portadores de doenças crônicas vinculados a um plano de saúde 2018-07-26T13:55:58-03:00 Henrique Souza Barros de Oliveira heeenry.barros@icloud.com Jamile Rafaela Poltronieri de Sousa jami.rafa.sousa@gmail.com Ana Carolina Gariba Donis anacarolinagariba@hotmail.com Maria Elisa Gonzalez Manso mansomeg@hotmail.com A senescência é um processo natural do envelhecimento que altera a farmacocinética e a farmacodinâmica dos medicamentos, sendo particularmente importante quando se trata de um país de idosos como o Brasil. Associado à idade, há um aumento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) e consequentemente do uso de diversos medicamentos. A polifarmácia aumenta o risco de reações adversas, especialmente quando associado à prescrição de medicamentos potencialmente inapropriados (MPIs) para idosos. O presente estudo tem como objetivo avaliar a prescrição de MPIs por meio dos critérios de Beers de 2015 em um grupo de idosos portadores de doenças crônicas vinculados a um plano de saúde em São Paulo, Brasil. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo, realizado mediante a análise de 5.995 prescrições médicas, de setembro a dezembro de 2015. Os medicamentos foram examinados segundo os critérios de Beers revisados em 2015. Observou-se que, das 5.995 prescrições médicas feitas a 1.428 idosos, 20,3% foram consideradas inapropriadas. Os MPIs mais prescritos foram: inibidores de bomba de prótons (IBP), 39,4% (481); antidiabéticos, 13,3% (162); benzodiazepínicos (BZP) de ação curta, intermediária e longa, 10,8% (132); anti-inflamatórios não hormonais (AINEs), 10,3% (127); e anti-histamínicos de primeira geração, 6,8% (83). O grupo estudado apresentou um alto índice de prescrição inadequada de medicamentos em uso contínuo. Trata-se de um grupo populacional de risco, devido às suas próprias particularidades clínicas, predispondo a desfechos biopsicossociais desfavoráveis. 2018-07-24T17:27:52-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/6861 Relação entre variáveis climáticas e a mortalidade de idosos por doenças cardiovasculares 2018-07-24T17:27:52-03:00 Natália Galvão gn_natalia@hotmail.com Maysa de Lima Leite mleite@uepg.br O estudo objetiva avaliar a relação entre a mortalidade por doenças do aparelho cardiovascular (DACs) e variáveis climáticas, assim como descrever os óbitos de idosos no município de Ponta Grossa, Paraná, em um período de 16 anos (1998-2013). Os dados epidemiológicos foram analisados em formato de coeficiente de mortalidade mensal juntamente com os dados climáticos pelo teste de coeficiente de correlação de Pearson e por regressão linear múltipla. As DACs foram a maior causa de mortalidade na população idosa do município investigado. O coeficiente de mortalidade apresentou um comportamento sazonal pouco evidente durante a série histórica. Foram observadas fortes correlações negativas com as temperaturas que apresentaram alta significância estatística. Os modelos regressivos anuais apresentaram alta significância e um bom grau de ajuste. É possível comprovar que as variáveis climáticas exercem influência na mortalidade por doenças cardiovasculares no município de Ponta Grossa, destacando a influência da temperatura. 2018-07-24T17:27:52-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/6769 Acidentes com animais peçonhentos e venenosos em idosos registrados em municípios do estado de Santa Catarina, Brasil 2018-07-24T17:27:53-03:00 Vilma Beltrame vilma.beltrame@unoesc.edu.br Fernanda Maurer D'Agostini fernanda.dagostini@unoesc.edu.br O presente estudo tem por objetivo avaliar aspectos epidemiológicos dos acidentes com animais peçonhentos e venenosos em idosos registrados em municípios do estado de Santa Catarina, na Região Sul do Brasil, por meio de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan). Foram analisadas, de maneira retrospectiva, informações sobre os acidentes ocorridos no período de 2010 a 2014, e os dados foram obtidos por meio das “Fichas de Acidentes por Animais Peçonhentos”, atendidos e/ou ocorridos nas unidades de atendimento. Foram registrados 1.656 casos de acidentes, sendo que 246 ocorreram em idosos, 143 do sexo masculino e 103 do sexo feminino. A maioria dos acidentes foi ocasionada na zona rural e causada por aranhas, seguidas de lagartas, abelhas, serpentes, escorpiões e vespas. Quanto à sazonalidade, o período em que ocorreu o maior número de acidentes foi nos meses de dezembro a março. O tempo de atendimento médico variou de 1 hora a 24 horas. Os dados encontrados permitem diagnosticar a necessidade e a importância de estudos epidemiológicos sobre acidentes causados por animais peçonhentos e venenosos. 2018-07-24T17:27:53-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/6645 Correlação entre índice de massa corporal e circunferência abdominal em adultos e idosos 2018-07-24T17:27:53-03:00 Luiz Alberto Ruiz da Silva luizalbertoruiz91@gmail.com Elaine Aparecida Mye Takamatu Watanabe ewatanabe@uems.br Roberto Dias de Oliveira roberto@uems.br Valfredo de Almeida Santos Junior juniorfex@gmail.com A adiposidade abdominal está diretamente ligada ao risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Indicadores antropométricos têm limitações, por não detectarem a variação na distribuição de gordura corporal, podendo subestimar o risco cardíaco em adultos e idosos. O objetivo deste estudo foi identificar os indicadores antropométricos utilizados em adultos e idosos que melhor se correlacionam com a adiposidade central, para predizer de forma mais eficaz o risco cardíaco em estudos epidemiológicos neste público. Trata-se de um estudo descritivo transversal com 33 indivíduos adultos e idosos, participantes do projeto Universidade Aberta para a Melhor Idade, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Foi analisada a composição corporal por meio do índice de massa corporal (IMC) e o risco cardíaco por meio da circunferência abdominal (CA). Foi realizada a correlação de Pearson entre o IMC e a CA, com nível de significância p < 0,05. A maioria dos participantes do estudo (77,78%) apresentou risco cardiovascular de acordo com a adiposidade central. O IMC teve forte correlação com a CA em ambos os sexos (R = 0,82). Conclui-se que o IMC é um indicador antropométrico importante para identificar a existência de riscos cardiovasculares decorrentes da adiposidade central, como pode ser observado nos participantes. São, portanto, necessárias estratégias políticas e intervenções que reduzam esses riscos e melhorem a qualidade de vida nesta população. 2018-07-24T17:27:53-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/7626 Análise do consumo lipídico de idosos residentes da Região do Vale dos Sinos (RS) 2018-07-24T17:27:54-03:00 Daiana da Silva daianad.s@hotmail.com Fernanda Ruppenthal fernandaahruppenthal@gmail.com Flávia Porto Wieck portofla@gmail.com Denise Ruttke Dillenburg Osório deniseosorio@feevale.br Estudo transversal e retrospectivo, com o objetivo de conhecer o consumo dietético de ácidos graxos em idosos, correlacionando com sexo, idade, cidade de residência e estado nutricional. Foram utilizados 526 prontuários de idosos participantes de uma pesquisa intitulada “Envelhecimento e Qualidade de Vida: Um Estudo em Municípios Selecionados do Vale dos Sinos, RS”, os quais, após serem avaliados pelos critérios de inclusão e exclusão, resultaram em 482 prontuários utilizados neste estudo. A pesquisa foi realizada entre 2011 e 2014 com idosos de ambos os sexos, idade entre 60-79 anos, residentes de Campo Bom, Estância Velha ou Novo Hamburgo – RS. Foram avaliados dados sociodemográficos, antropométricos e consumo alimentar (R24h). A amostra caracterizou-se predominantemente pelo sexo feminino (84,0%), idosos aposentados (87,3%), renda de dois a cinco salários mínimos (72,0%), escolaridade inferior a ensino fundamental completo (70,5%), menos de cinco anos de estudo (41,4%), moram acompanhados (35,7%), casa própria (93,2%), predominância de estado nutricional excesso de peso (55,0%) e risco muito aumentado para doenças cardiovasculares (81,5%). Podemos considerar após a análise dos resultados, que o consumo de ácidos graxos dos idosos da região estudada, estava adequado dentro da faixa de normalidade, com exceção para a relação de consumo de ômega 6:3. A cidade de Campo Bom, mostrou melhores níveis de consumo de ácido graxo em todas as frações lipídicas, com resultados significativos para a relação de consumo ômega 6:3 (p=0,002). As demais variáveis não apresentaram resultados significativos em relação ao consumo lipídico. 2018-07-24T17:27:54-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/6460 O envelhecimento como um tema da atualidade: a produção de sentidos pela mídia jornalística 2018-07-24T17:27:55-03:00 Averlândio Wallysson Soares Costa averlandiowallysson@hotmail.com Maria do Socorro Costa Feitosa Alves socorrocfa@hotmail.com O estudo busca analisar as produções de sentidos sobre o envelhecimento pelos meios jornalísticos, evidenciando os modos como é percebido e discutido o fenômeno do envelhecimento. A pesquisa é embasada na teoria das representações sociais, utilizando como universo de pesquisa os três principais jornais do estado do Rio Grande do Norte: Tribuna do Norte, Jornal de Hoje e Gazeta do Oeste, sendo avaliados por meio da análise de conteúdo temático de Bardin (2009). É identificada uma expressiva tendência para a explicação do fenômeno envelhecimento, buscando entender as consequências de tal processo para a sociedade. Nota-se uma necessidade em compreender essa nova conjunção social, já que essa é uma demanda que se estabelece na contemporaneidade. Desse modo, torna-se importante compreender os sentidos estabelecidos sobre o envelhecimento que se configuram, de modo a serem construídos valores e juízos mais fidedignos às reais necessidades. 2018-07-24T17:27:55-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/6631 Implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem como meio de qualificação da assistência ao idoso 2018-07-24T17:27:55-03:00 Vanusa Maria Piccinini nusa@universo.univates.br Arlete Eli Kunz da Costa arlete.costa@univates.br Luís Felipe Pissaia lpissaia@universo.univates.br A Sistematização da Assistência de Enfermagem é uma metodologia de trabalho baseada em conhecimentos científicos, que oferece ao enfermeiro instrumentos de intervenção efetivos, neste caso, à população idosa. O objetivo deste estudo é descrever o processo de implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem como meio de qualificação da assistência ao idoso na Atenção Primária à Saúde em um município do Vale do Taquari, RS, Brasil. Trata-se de uma pesquisa descritiva e exploratória, com abordagem qualitativa. Os sujeitos de pesquisa são onze profissionais de enfermagem que atuam na Atenção Primária à Saúde de um município do Vale do Taquari, RS, Brasil. Os resultados evidenciam que os profissionais acreditam na importância de sistematizar o cuidado como meio de qualificação da assistência aos idosos. No entanto, foram evidenciados alguns entraves à implantação, como a falta de capacitação profissional e de conhecimento dos gestores sobre sua importância. A investigação aponta ainda o aumento da demanda assistencial aos idosos, o que dificulta a prestação de cuidados efetivos pelas equipes, devido ao déficit de profissionais. Considera-se o estudo limitado, pois poucas pesquisas relacionadas à temática foram realizadas até o momento. No entanto, verificou-se que os profissionais têm responsabilidade ao assistir seus pacientes, oferendo uma assistência de qualidade, resolutiva e efetiva. 2018-07-24T17:27:55-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/6201 Avaliação do risco de quedas dos idosos residentes em instituição de longa permanência no Brasil: uma revisão integrativa 2018-07-24T17:27:56-03:00 Verônica Porto de Freitas verinha.porto.freitas@gmail.com Naiara Andrade do Carmo naiarauesb4@gmail.com Brenda de Couto Andreotti Raimundo brendaandreotti@outlook.com Ariana Oliveira Santos hariianna_oliveira@hotmail.com Claudinéia Matos de Araújo neialis@hotmail.com Luciana Araújo dos Reis lucianauesb@yahoo.com.br As quedas entre idosos são um dos principais problemas clínicos e de saúde pública, devido à sua alta incidência, às complicações e aos altos custos assistenciais. Nesta perspectiva, o presente estudo teve por objetivo analisar a avaliação do risco de quedas em idosos residentes em instituição de longa permanência a partir de uma revisão integrativa. Foram analisados artigos cadastrados nas bases de pesquisa SciELO e Bireme, no período de 2010 a 2015, em língua portuguesa e resultantes do cruzamento dos seguintes descritores: instituição de longa permanência, idosos e risco de quedas, utilizando-se o indicador boleano (AND). Dos 19 artigos utilizados, evidenciaram-se institucionalização, sexo feminino, idade superior a 70 anos, presença de comorbidades, uso de medicamentos e polifarmácia, cômodos e período mais comum, como determinantes para tornar o idoso vulnerável a episódios de queda. 2018-07-24T17:27:56-03:00 ##submission.copyrightStatement## http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/8376 Diretrizes para autores 2018-07-24T17:27:56-03:00 Editores RBCEH moretto@upf.br 2018-07-24T17:27:56-03:00 ##submission.copyrightStatement##