Capacidade funcional de idosos adscritos em uma estratégia saúde da família do meio rural

  • Maiara Tamires Franco Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI
  • Rosa Maria Wypyszynski Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
  • Elisiane Bisognin Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
  • Ronald Schaly Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
  • Renata Breda Martins Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul- PUCRS
  • Valéria Baccarin Ianiski Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul- PUCRS
Palavras-chave: Idosos, Condições de saúde, Funcionalidade, Indicadores de saúde, Saúde Pública.

Resumo

Este estudo objetivou identificar o grau de capacidade funcional, as doenças crônicas mais frequentes e as características sociodemográficas de idosos de um território de saúde do meio rural. Trata-se de umestudo quantitativo, descritivo, transversal e exploratório, com 288 idosos residentes de uma zona rural de Santa Rosa/RS, no período de março a junho de 2012. Para a coleta dos dados foram utilizados osinstrumentos: índice de Katz, para as Atividades Básicas da Vida Diária (ABVD); e a escala de Lawton para as Atividades Instrumentais da Vida Diária (AIVD). Para análise dos dados, foi utilizado o programaEpi Info 3.5.3. Houve predomínio de mulheres idosas (52%), na faixa etária dos 75 anos ou mais (30%). A maioria dos entrevistados eram aposentados (94%), com renda de um a dois salários mínimos (81%)e baixa escolaridade (60%). A maioria se mostrou independente (97%) em relação às ABVDs e às AIVDs (77%). Entretanto, com relação às AIVDs, as mulheres foram as mais dependentes (60%). Observou-se que 57% idosos apresentavam algum grau de dependência, sendo que 23% deles não conseguiam utilizar o telefone e 20% apresentavam dependência parcial para utilizar meios de transporte e controlar as finanças. Foi possível identificar maior frequência de dependência a partir dos 70 anos de idade por meio dos dois instrumentos utilizados. Conclui-se que a diminuição da capacidade funcional relacionou-se ao aumento da idade, sexo feminino e baixa escolaridade. Os homens mostraram-se mais independentes. A hipertensão arterial sistêmica foi a doença mais frequente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maiara Tamires Franco, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI
Enfermeira, especialista em Saúde da Família.
Rosa Maria Wypyszynski, Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
Enfermeira, Preceptora de campo do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família UNIJUI/FUMSSAR
Elisiane Bisognin, Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
Enfermeira, Coordenadora e preceptora de campo do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família UNIJUÍ/FUMSSAR
Ronald Schaly, Fundação Municipal de Saúde de Santa Rosa - FUMSSAR
Preceptor de campo do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família UNIJUÍ/FUMSSAR
Renata Breda Martins, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul- PUCRS
Nutricionista, especialista em Saúde do Idoso e aluna do curso de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica do Instituto de Geriatria e Gerontologia (IGG) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).
Valéria Baccarin Ianiski, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul- PUCRS
Nutricionista, Especialista em Saúde da Família e aluna do curso de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica do Instituto de Geriatria e Gerontologia (IGG) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).
Publicado
2018-07-05
Como Citar
Franco, M., Wypyszynski, R., Bisognin, E., Schaly, R., Martins, R., & Ianiski, V. (2018). Capacidade funcional de idosos adscritos em uma estratégia saúde da família do meio rural. Revista Brasileira De Ciências Do Envelhecimento Humano, 15(1), 62-75. https://doi.org/10.5335/rbceh.v15i1.7781
Seção
Artigos Originais