Medicamentos potencialmente inapropriados e doenças prevalentes em idosos residentes nos meios rural e urbano

Vanessa da Silva Corralo, Maria Isabel Gonçalves da Silva, Marina Winckler, Lilian Caroline Bohnen, Scheila Marcon, Clenise Liliane Schmidt, Clodoaldo Antônio De Sá

Resumo


Objetivou-se analisar o uso de medicamentos potencialmente inapropriados (MPIs) e as doenças prevalentes em idosos de ambos os sexos residentes nos meios rural e urbano de um município do extremo oeste Catarinense. Trata-se de um estudo observacional, transversal, analítico, realizado com 242 idosos estratificados por sexo e local de residência. Desses, 50,4% eram do sexo feminino, 49,6% eram do sexo masculino, 38,8% residiam no meio urbano e 61,2% no meio rural. Os MPIs foram classificados segundo os critérios de Beers (2015). Utilizou-se a estatística descritiva, média, desvio padrão e distribuição de frequências. Para a associação entre variáveis, foi utilizado o teste de Qui-Quadrado de Pearson ou teste Exato de Fisher. O nível de significância adotado foi de 5% (p<0,05). As doenças mais prevalentes referidas pelos idosos foram: hipertensão arterial, problemas osteoarticulares, problemas circulatórios e cardíacos. A análise dos dados não evidenciou associações estatisticamente significativas (p>0,05) entre as doenças relatadas e a prevalência de utilização de medicamentos em função do local de residência (rural ou urbano). Houve associação estatisticamente significativa (p<0,05) entre o consumo de medicamentos das classes dos anti-hipertensivos, antiadrenérgicos de ação periférica, hipolipemiantes, antiulcerosos, diuréticos, medicamentos que afetam estrutura e mineralização óssea, hormônios tireoidianos e antidepressivos e sexo feminino. Dos 242 idosos entrevistados, 211 utilizavam pelo menos um tipo de medicamento e, desses, 55,4% faziam uso de MPIs. Foram considerados inapropriados 26 fármacos pelos critérios estabelecidos na lista de Beers-Fick e 13 pelos critérios de Priscus. Ressalta-se a necessidade de um olhar ampliado dos prescritores para a escolha de fármacos mais seguros para o tratamento de doenças em idosos e para compor a lista nacional de medicamentos essenciais.

Palavras-chave


Doença iatrogênica. Envelhecimento. Idoso. Medicamentos potencialmente inapropriados. Uso racional demedicamentos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5335/rbceh.v14i2.6594