Felicidade e satisfação com a vida: voz de mulheres adultas e idosas

Marilene Rodrigues Portella, Helenice de Moura Scortegagna, Nadir Antônio Pichler, Daniela Bertol Graeff

Resumo


Envelhecer bem está intimamente ligado à satisfação com a vida e a felicidade, considerando- se a capacidade cognitiva do sujeito, os elementos constituintes da experiência subjetiva e o alcance dos objetivos individuais. A partir dessa compreensão e com objetivo de conhecer e descrever as fontes de felicidade e de satisfação com a vida na concepção de adultos e idosos, foi desenvolvido um estudo qualitativo, ancorado no método do Grupo Focal (GF). Participaram 22 mulheres com idade entre 49 e 81 anos, matriculadas em um programa de extensão na modalidade de Universidade Aberta para a terceira idade, vinculada a uma instituição de ensino superior, localizada em um município no sul do Brasil. Os dados foram coletados em 2014, provenientes de três encontros, com duração média de 60 minutos cada um. O estudo revelou que a maioria das mulheres está satisfeita com a vida e sente-se feliz, apesar das adversidades enfrentadas ao longo do processo de viver e envelhecer. As mulheres consideram a família, a presença de Deus, a saúde e a paz como principais fontes de satisfação com a vida e os principais elementos geradores da felicidade. Esses dados evidenciam a velhice como um momento que pode ser vivido e experienciado de forma prazerosa, considerando a multidimensionalidade e a integralidade do ser. Ressalta-se a importância da compreensão de tais indicadores nas ações implementadas pelos profissionais atuantes no campo da gerontologia, com vistas à qualificação do viver e do envelhecer do ser humano, pois não basta almejar uma vida longa, mas, sim, a qualidade para viver sua extensão.

Palavras-chave


Envelhecimento. Planejamento em Saúde e Bem-Estar. Gerontologia. Felicidade. Saúde da Mulher.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5335/rbceh.v14i1.5960