ASSOCIAÇÃO DE FRAGILIDADE E SEUS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS COM RAÇA EM IDOSOS ASSISTIDOS NA ATENÇÃO BÁSICA

  • Caroline Goergen
  • Julia Belato Teixeira
  • Maria Luiza Freitas Annes
  • Carolina Böettge Rosa
  • Vera Elizabeth Closs
  • Tehura Auozani
  • Carla Helena Augustin Schwanke
Palavras-chave: Grupos Raciais, Raça, Fragilidade, Idosos, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Introdução: Estudos apontam que há diferenças na carga de certas doenças/condições de saúde entre grupos raciais. Estas diferenças podem ser relacionadas a fatores genéticos, mas também ao perfil socioeconômico e à falta de acessibilidade à saúde. Objetivo: Analisar a associação de fragilidade e seus critérios diagnósticos com raça. Métodos: Estudo transversal com idosos assistidos na Atenção Básica de Porto Alegre-RS-Brasil. A fragilidade e seus critérios diagnósticos foram avaliados pelo Fenótipo de Fried, os dados socioeconômicos, demográficos (idade, sexo, renda e escolaridade) e sobre raça/cor foram obtidos por autorrelato. Para a análise de associação utilizou-se Teste Exato de Fischer e Associação Linear (P<0,05). Resultados: Participaram 512 idosos com média de idade de 68,5±6,8 anos (60-103 anos). A maioria do sexo feminino (64,1%), raça branca (66,2%), renda até 1 salário mínimo (55,3%) e ensino primário incompleto/completo (69,4%). A frequência de fragilidade foi 21,3% e de pré-fragilidade foi 51,2%. A raça branca apresentou maiores frequências  de robustez, enquanto a raça índia de fragilidade (P=0,013). Indivíduos com fraqueza muscular eram, mais frequentemente, pardos e índios (P=0,003); com marcha adequada eram brancos e, com lentidão de marcha, pardos (P=0,030); já os idosos com nível de atividade física inadequado eram índios (P=0,041). Não houve associação entre raça, exaustão autorreferida e perda de peso. Conclusão: Observou-se a associação de fragilidade, fraqueza muscular, lentidão de marcha e baixo nível de atividade física com raça (pardos e índios).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-04
Como Citar
Goergen, C., Teixeira, J., Annes, M., Rosa, C., Closs, V., Auozani, T., & Schwanke, C. (2020). ASSOCIAÇÃO DE FRAGILIDADE E SEUS CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS COM RAÇA EM IDOSOS ASSISTIDOS NA ATENÇÃO BÁSICA. Revista Brasileira De Ciências Do Envelhecimento Humano, 17(2). https://doi.org/10.5335/rbceh.v17i2.12001