QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS COM DOENÇA RENAL CRÔNICA EM HEMODIÁLISE

  • Luana Fioravanti Roland
  • Carla Cristina Bauermann Brasil
  • Loiva Beatriz Dallepiane
Palavras-chave: Insuficiência Renal, Saúde do Idoso, Diálise Renal

Resumo

Introdução: A expectativa média de vida dos brasileiros aumentou e observa-se um crescimento no número de idosos com doença renal crônica. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de idosos com doença renal crônica em hemodiálise. Métodos: Trata-se de um estudo transversal com idosos que realizavam hemodiálise em uma clínica renal de referência na região central do Rio Grande do Sul. Para mensurar os indicadores de qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS), aplicou-se o questionário Kidney Disease Quality Of Life – Short Form. O instrumento é formado por oito dimensões que avaliam a saúde geral do indivíduo e 12 dimensões específicas sobre a doença renal, sendo que os domínios variam de 0 a 100 pontos. Para a análise das pontuações no teste foi empregado o programa disponibilizado pelo KDQOL-SFTM Working Group e dividida em duas categorias: Melhor QVRS (≥50 pontos) e Baixa QVRS (< 50 pontos). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria. Resultados: Participaram do estudo 122 idosos com média de idade de 70,31±6,92 anos e a maioria do sexo masculino (59,00%). A QVRS foi melhor percebida nos subdomínios: função cognitiva (85,03±18,94), suporte social (84,84±25,44) e qualidade da interação social (83,20 ± 18,00). Já, a menor percepção da QVRS foi nos subdomínios: sobrecarga da doença renal (36,42 ± 22,07), funcionamento físico (42,75 ± 28,84) e saúde geral (44,26 ± 18,54). Conclusão: Foi possível observar que a hemodiálise exerce influência para baixa qualidade de vida dos idosos nas categorias avaliadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-03
Como Citar
Roland, L., Brasil, C. C., & Dallepiane, L. B. (2020). QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS COM DOENÇA RENAL CRÔNICA EM HEMODIÁLISE. Revista Brasileira De Ciências Do Envelhecimento Humano, 17(2). https://doi.org/10.5335/rbceh.v17i2.11999