INFUSÃO DE ERVA-MATE TEM EFEITOS NA PREVENÇÃO DA DOENÇA DE PARKINSON EM MODELO IN VITRO

  • Danieli Monteiro Pillar
  • Bruna Chitolina
  • Ivana Beatrice Mânica da Cruz
  • Marta Maria Medeiros Frescura Duarte
  • Tábada Samantha Marques Rosa
  • Verônica Farina Azzolin
  • Aron Ferreira da Silveira
  • Euler Esteves Ribeiro
  • Ednea Aguiar Maia-Ribeiro
  • Raquel Souza-Praia
  • Fernanda Barbisan
Palavras-chave: Chimarrão, Ilex paraguariensis , Envelhecimento

Resumo

Introdução: Doença de Parkinson (DP) é resultado da associação entre fatores genéticos e ambientais e da combinação desses fatores com o envelhecimento, ocasionando disfunções mitocôndrias e de membrana celular culminando com o estresse oxidativo e inflamação crônica. Compostos bioativos com capacidade antioxidante e anti-inflamatória podem reduzir o estresse oxidativo. A erva-mate (Ilex paraguariensis), altamente consumida principalmente sob a forma de chás e chimarrão, é rica em compostos fotoquímicos com capacidade antioxidante. Objetivo: Investigar o papel da erva-mate em modelo in vitro de Doença de Parkinson. Métodos: A linhagem celular SHSY-5Y foi cultivada em condições padronizadas. Inicialmente as células foram expostas a uma infusão de erva-mate (10 mg/mL) por 24 horas, adicionou-se a rotenona (indutor de DP in vitro), as células permaneceram em cultivo por 72 horas. Então, foram realizadas análises relacionadas ao metabolismo oxidativo e inflamatório. Resultados: Células expostas somente a rotenona apresentaram forte elevação nos marcadores oxidativos e citocinas inflamatórias, além de queda nos níveis da IL-10 (anti-inflamatória) em relação ao grupo controle. Quando houve tratamento com erva-mate antes da exposição a rotenona houve uma diminuição significativa nos marcadores oxidativos, com destaque para 8-OHdG (dano ao DNA). Os marcadores inflamatórios aqui analisados tiveram significativa queda e concomitantemente a erva-mate foi capaz de elevar os níveis da IL-10. Conclusão: Demonstrou-se efeito preventivo da infusão de erva-mate à DP, mais estudos em modelos animais, precisam ser realizados para comprovação dessa hipótese e possível utilização da erva-mate para o desenvolvimento de medicamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-05
Como Citar
Monteiro Pillar, D., Chitolina, B., Mânica da Cruz, I., Medeiros Frescura Duarte, M., Marques Rosa, T., Farina Azzolin, V., Ferreira da Silveira, A., Esteves Ribeiro, E., Aguiar Maia-Ribeiro, E., Souza-Praia, R., & Barbisan, F. (2020). INFUSÃO DE ERVA-MATE TEM EFEITOS NA PREVENÇÃO DA DOENÇA DE PARKINSON EM MODELO IN VITRO. Revista Brasileira De Ciências Do Envelhecimento Humano, 17(2). https://doi.org/10.5335/rbceh.v17i2.11938
Seção
Artigos Originais