SENSIBILIDADE PLANTAR DE IDOSAS COM DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS OSTEOARTICULARES

  • Cátia Trennepohl UNIJUÌ
  • Cristina Thum UNICRUZ
  • Dinara Hansen Costa UNICRUZ
Palavras-chave: Envelhecimento, Idoso, Fisioterapia, Artrite, Pé

Resumo

Introdução: Doenças osteoarticulares propiciam desequilíbrios posturais, assim compreender as alterações de sensibilidade plantar em idosos com doenças osteoarticulares e fundamental na prevenção de maiores agravos ao equilíbrio. Objetivo: Descrever as alterações de sensibilidade plantar em idosas com diagnóstico de doenças osteoarticulares. Métodos: Trata-se de estudo observacional, descritivo e quantitativo, com idosas da comunidade diagnosticadas com doenças osteoarticulares. A coleta de dados ocorreu de janeiro a fevereiro de 2018, no munícipio de Panambi-RS, através de questionário sobre dados de saúde. A sensibilidade plantar foi avaliada através estesiômetro Semmes-Weintein, em nove regiões plantares e registrado o primeiro monofilamento sentido em cada local plantar. A análise estatística foi feita através de frequências absolutas e relativas, média e desvio padrão. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade de Cruz Alta nº 2.386.155 e todas idosas assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Resultados: participaram da pesquisa 11 idosas, com idade média de 70(DP±4,86) anos, todas com diagnóstico de artrite e/ou artrose. O local mais acometido foram os joelhos, com 7 (63,6%) idosas. Relataram dor nos membros inferiores, 10 (90,9%) idosas. A prática de exercícios físicos foi mencionada por 4 (36,4%) idosas, enquanto que 9 (81,8%) afirmaram não ter sofrido queda(s) no último ano. Na análise da sensibilidade plantar do pé direito, 4 (36,4%) idosas apresentavam diminuição da sensibilidade em todas as regiões avaliadas. No pé esquerdo, 7 (63,6%) participantes mostraram perda sensitiva em todas os locais plantar. A região com maior perda de sensibilidade plantar foi o calcâneo, no qual todas idosas apresentaram perda sensitiva. Conclusões: portanto a prática de exercícios físicos é necessária em idosos com doenças osteoarticulares, seja para atenuar a sintomatologia, como para prevenir perdas funcionais. O calcâneo mostrou-se como a região com maior redução da sensibilidade plantar, assim como o pé esquerdo, demonstrando a importância de intensificar a atenção aos idosos com doenças osteoarticulares, pois a associação desta patologia e a diminuição da sensibilidade plantar inerente ao envelhecimento podem prejudicar o controlepostural e propiciar maior risco de quedas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-11-07
Como Citar
Trennepohl, C., Thum, C., & Costa, D. (2019). SENSIBILIDADE PLANTAR DE IDOSAS COM DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS OSTEOARTICULARES. Revista Brasileira De Ciências Do Envelhecimento Humano, 16(2), 29. https://doi.org/10.5335/rbceh.v16i2.10215