DECLÍNIO COGNITIVO COMO FATOR DE RISCO PARA INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

  • Ingrid Araújo Ribeiro
  • João Luis Almeida da Silva
  • Dulce Aparecida Aparecida Barbosa
Palavras-chave: Instituição de Longa Permanência para Idosos, Envelhecimento cognitivo, Sistema Urinário

Resumo

Introdução: as doenças crônicas não transmissíveis são as mais prevalentes entre os idosos; porém a fragilização por doenças infecciosas constitui importante intercorrência clínica, motivo de internações e óbito. Entre as mais comuns está a do trato urinário, pois os idosos estão propensos à presença de vários fatores de risco, entre eles, a institucionalização, idade avança e declínio cognitivo (ARAUJO, 2011; ANDRADE et al, 2017). Objetivo: avaliar o declínio cognitivo de idosos institucionalizados e sua associação com Infecção do Trato Urinário (ITU). Métodos: estudo transversal, recorte do Projeto: Avaliação do Impacto de Intervenção Educacional na Prevalência de Infecção do Trato Urinário em Idosos Institucionalizados; CEP-UESC nº. 1.050.366. População:116 idosos institucionalizados, período: junho a dezembro de 2017. Avaliação: resultados de urocultura e aplicação do Mini Exame do Estado Mental (MEEM). Resultados: maioria com 80 anos ou mais (36,2 %); sexo feminino (65,52%); 84,79% com grau de comprometimento cognitivo (65,52% grave); MEEM médio: 12,45/30 pontos; 88,6% analfabetos. Regressão logística e testes estatísticos demonstraram significância entre tempo de estudo e déficit cognitivo (p value < 0,001), mas não houve associação de declínio cognitivo com ITU (p value = 0,55). Conclusão: quanto menor a instrução educacional maior o risco de declínio cognitivo, corroborando com a literatura (ANDRADE et al, 2017; MELO e BARBOSA, 2015). No contexto estudado, déficit cognitivo não se apresentou como fator de risco para ITU, sugerindo mais estudos com associação a outros fatores integrados. A utilização do MEEM possibilitou traçar metas e estratégias para uma melhor assistência à população idosa no intuito de reduzir a progressão da perda cognitiva e encaminhamentos de casos à avaliação neurológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ingrid Araújo Ribeiro
UESC
João Luis Almeida da Silva
UESC
Dulce Aparecida Aparecida Barbosa
UNIFESP
Publicado
2019-11-05
Como Citar
Ribeiro, I., da Silva, J. L., & Barbosa, D. A. (2019). DECLÍNIO COGNITIVO COMO FATOR DE RISCO PARA INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS. Revista Brasileira De Ciências Do Envelhecimento Humano, 16(2), 41. https://doi.org/10.5335/rbceh.v16i2.10190